O que significa ser comunista?

Isto dava um livro, pelo que a sua redução a um texto obriga à (grosseira) preferência pelas conclusões e ao (ético) consentimento comum sobre os factos que as sustentam.

Antes de responder, uma constatação e uma contextualização. Esta pandemia pôs, dura e friamente, a nu uma terrível verdade: o aumento substancial e exponencial da qualidade de vida do último meio século, não foi, de modo algum, acompanhado pelo correspondente desenvolvimento humano. Continuamos pequenos, pequeninos. Muito mais pequenos que os “gadgets” a que passamos a ter acesso.


E essa estagnação humana gera uma população confusa e confundida. Não consegue compreender o novo mundo de possibilidades quase infinitas e isso tem duas consequências: uma, a má, errada e diminuída utilização daquilo a que passou a ter acesso (não, não são só as novas tecnologias) e depois, a acrescida redução das suas qualidades e o proporcional aumento dos seus defeitos causados pelo medo do desconhecido e do colossal.
E uma das razões básicas da nossa temporária existência, a nossa própria validação, o nosso auto-reconhecimento, continua a ser definido por terceiros e pela negativa. Não tentamos ser bons ou melhores. Basta que os outros sejam piores que nós. Se na realidade não forem, mentimos, inventamos e fazemo-los piores do que são.


E de considerações mais globais, descemos ao nicho porque não há melhor exemplo que os comunistas para demonstrar o pior a que o ser humano se pode reduzir. Ancorados em ilusões de suprema solidariedade humana que além de despudoradamente falsas, mais não são que mau folclore, berram uma superioridade moral que além de não terem, só pretende disfarçar a enorme pequenez humana que defendem.
Abdicaram há muito das necessárias responsabilidade e responsabilização individuais, condições essenciais para o crescimento e o desenvolvimento humanos. E transferiram-as para terceiros. 


Do lado “acção”, para o Estado. É a este que passa a caber a definição do bem e do mal, do que fazer e do que não fazer, do que podemos ser e do que não podemos ser e pior, do que deveremos querer ser. Ora se já era mau ceder grande parte desse arbítrio a terceiros, é mesmo muito, muito mau quando esse terceiro é uma figura como o Estado. Não só como ele está actualmente configurado, pelo menos no nosso País, mas mais grave, como estaria configurado se hipoteticamente vivêssemos sob princípios comunistas. Para não alongar muito a constatação do que é negativo no Estado, deixo apenas uma imagem: o Estado é aquele personagem que gasta quantidades obscenas de dinheiro, mas que não tem um tostão seu. As fortunas que despedaça são dinheiro que fomos obrigados, forçados e coagidos a entregar. O Estado não tem dinheiro. Nós é que temos. E se ainda se pudesse pôr a hipótese de um sector empresarial do Estado que gerasse riqueza, essa possibilidade é, imediatamente, implodida pela evidência que as tentativas do Estado se intrometer no mundo dos negócios geraram, quase sem excepção, milhares de milhões de prejuízos que NÓS tivemos e teremos de pagar.


Pelo lado da “reacção”, para todas as entidades consideradas inimigas. Patrões, adversários políticos, a História, etc. Se não houverem “à mão de semear”, inventam-se maquinações escabrosas e maquiavélicas. A culpa nunca morre solteira, mas nunca é deles. É terrível e contranatura que a situação que mais culpam e mais combatem é algo que deveria ser um objectivo quase genético de qualquer indivíduo: o sucesso. Não, primordialmente, o financeiro, mas sim, o humano. 


E é esta configuração mental que gera e é gerada por uma ideologia cujos crentes (na realidade é apenas isso que são, crentes) não sabem construir ou acrescentar, mas são do melhor a protestar e a reivindicar. Uma ideologia que sempre, repito, sempre que foi posta em prática conduziu a índices estratosféricos de infelicidade humana. Nunca, repito, nunca houve um governo comunista que tivesse melhorado o seu País. Além de quase sempre (as excepções são ínfimas) esses governos serem ditaduras nojentas e assassinas.


Ser comunista não é uma opção política. É, tão só, um acto de fé. Improvável. A história, a realidade, a inteligência e a lucidez desmentem a ideologia. Mas os seus crentes não podem deixar de acreditar. Porque a perda do credo traria o desastre de se começarem a perceber como, realmente, são: a personificação da nulidade, da vacuidade e da indigência humana.


Assim, a sobrevivência dos “ideais” (???) comunistas está exclusivamente dependente de dois ventiladores. Por um lado, e repetindo-me, o fraco estágio de crescimento humano porque só a pequenez pode permitir a existência de uma tese que nos faz, ainda, mais pequenos. E por outro e à custa de uma comunicação social, uma cultura e uma classe política, predominantemente, arregimentadas, a subsistência de um “double standard” que promove, desculpa e encobre uma filosofia vetusta, sanguinária e tirana. 


E se parece ser admissível (se calhar, bem) dar com um “martelo pilão” na cabeça de um energúmeno que tivesse a lata de se passear com uma t-shirt do “hitler”, não descansarei até que seja, igualmente, admissível fazê-lo ao obtuso que se pavoneie com uma do “lenine”. 

Comments

  1. Sarfarão Azevedo says:

    A este merdoso fascista, fazia-lhe bem uma estadia no Tarrafal do antigamente que ele tanto gosta.
    E estricnina, já experimentaste?

    • Carlos Garcez Osório says:

      Quod erat demonstrandum

      • abaixoapadralhada says:

        O nazi sabe latim.

        • Elvimonte says:

          Mas não foram os nazis aliados da extinta URSS, de 1939 a 1942, e não dividiram a Polónia entre si?

          Não foi a URSS responsável pelo massacre da floresta de Katyn e pelos massacres ocorridos nas prisões de Kalinin e Kharkiv, entre outros?

          Qual a diferença entre a URSS e a Alemanha nazi? Não foram ambos regimes deploráveis?

          • José Monteiro says:

            Goulag Point.

          • Samuel Clemens says:

            Sabe,tão bem quanto eu,que a revolução de Outubro de 1917,logo que surgiu foi imediatamente atacada por uma Aliança de 14 (quatorze)países ocidentais que queriam acabar com os Vermelhos logo ali, apoiando o Exército Branco que,sendo finalmente derrotado,acabou por ceder parte dos seus oficiais ao precário,ainda que já Glorioso,Exército Vermelho. As conspirações em que depois se envolveram ditaram o seu destino! Estaline não podia hesitar na limpeza do Exército Vermelho.
            Lamentáveis conspirações,lamentável,mas necessária solução !!!m

          • esteves ayres says:

            Mas foi o Stalin que liquidou o nazista (Hitler)! Não escrevem uma linha Porquê?!
            Nem fascismo nem social-fascismo!…

          • Paulo Marques says:

            Não foram os democratas os responsáveis pela fome na Índia, destruição de Dresden, Hiroshima e Nagasaki, deixaram a Polónia à espera, ignoraram as informações sobre os campos de morte, ficaram à espera que os russos usassem as suas vidas para acabar a guerra, perdoaram nazis para irem ao espaço, etc, etc, etc.
            Filhos da puta não faltaram, e ainda não faltam.

    • Elvimonte says:

      E porque não o arquipélago de Gulag? Para além do clima, qual a diferença?

  2. PauloG says:

    A vaidade é uma coisa feia. Nunca tinha visto neste blogue ilustrar texto com um selfie carregando a bandeira do tema.

  3. Paulo Marques says:

    “a nossa própria validação, o nosso auto-reconhecimento, continua a ser definido por terceiros e pela negativa. ”

    Exacto. Auto-reflexão depois de escrever isto? Zero. É pegar numa concepção ultrapassada de dinheiro que já ninguém leva a sério para ir batendo na realidade.

    The Times They Are a-Changin

  4. POIS! says:

    Pois gostei muito!

    Finalmente uma prosa muito útil!

    É bom saber saber quais as t-shirts não permitidas junto ao “martelo pilão” do autor ou de outras pessoas recomendáveis. Ficamos agora á espera das que são permitidas e das que são até abençoadas (estou a referir-me a carneirinhos, cavaquinhos, coelhinhos, laranjinhas,palhacinhos, assim coisas fora da política).

    Presume-se ainda que o martelo pilão é um instrumento de defesa das liberdades cujo uso é amplamente protegido pela Constituição, pelas leis da República e pelo Código Deontológico da Ordem dos Advogados.

  5. Samuel Clemens says:

    Sêr comunista é ganhar em Estalinegrado e chegar primeiro a Berlim,obrigando,psicologicamente, o Adolfo a suicidar-se !!!
    – Chega ?


    • Que romântico!
      Que imagem tão bonita!
      É este espírito poético que me impressiona nos comunistas.
      A imagem no post é uma justa homenagem.

      • POIS! says:

        Pois é, mas não há nada que consiga ultrapassar o romantismo salazaresco. Eis um exemplo, tirado dos arquivos recentemente desclassificados:

        Cerejeira, linda cerejeira,
        Abraça-me c’os teus raminhos;
        Para Angola ide em força,
        P’ra civilizar os pretinhos.

        O teu busto, Mussolini,
        Tenho aqui na escrivaninha;
        Oxalá que Deus te ajude,
        A ganhar essa guerrinha.

        • Elvimonte says:

          Gulag, pois,
          Grande Gulag,
          Não digas que morreste
          De frio, depois.

          As caveiras, pois,
          Daqueles arrozais
          Onde os kmers,
          Vermelhos, pois,
          Enterraram os cadáveres
          Dos opositores depois.

          • POIS! says:

            Pois estou estarrecido!

            E não sou, certamente, o único! A qualidade da poesia do grande Elvimonte a todos nos deixa tolhidos de espanto!

            Começemos pela estrutura: a sublime alternância de um sextilha de quatro versos com uma quadra de seis versos, quando poderia ter facilmente dividido em duas quintilhas, mas nunca seria a mesma coisa, revela uma sincopabilidade rítmica que só estará ao alcance de verdadeiros iniciados na música de dança aborígene.

            Mas genial, genial, é a rima, que poderemos colocar ao nível do grande Espadachim Zarolho, deixando a milhas outros como a Atrevidota Alentejana, o Javardo de Setúbal ou o Tónio Solitário, já que o Bêbado da Brasileira pouco rimava (isto porque depois de mamar uma litrada de aguardente tudo passava, para ele, a rimar).

            Um original achado, só possível a um génio deste jaez, é a difícil rima entre “pois” e “depois”, seguida dessa ainda mais original entre “pois”, “pois” e “depois”, Elvimonte inspirou-se, certamente, nos escritos do grande poeta Al Capone, autor da célebre frase “pois, paga ou depois levas um tiro!” incluída na sua obra épica ” Os Gangsteríadas”.

            Por fim, a constatação que só um génio de calibre 6,35, como é o caso de Elvimonte,se poderia permitir, na sua genial resposta versificada, colocar implícitamente Salazar à altura de um Pol-Pot ou o Tarrafal e São Nicolau ao nível de um Gulag, distinção que já tardava e que reputo de inteiramente merecida.

            Por tudo o exposto, penso ser urgente a proposta de Elvimonte para o Nobel do ano que vem, isto se não houver pandemia, já esta poderia agravar-se devido à interação fatal entre vírus, pois e depois..

            No entanto um mistério subsiste. o poeta não terá apelido? Certamente que sim. Será Elvimonte de quê?

      • abaixoapadralhada says:

        Um Sa Lazarento ao lado de um liberoide ?
        Curioso, mas não surpreendente

  6. Filipe Bastos says:

    O Sr. Osório diz o que muita gente pensa. E não só de direita: boa parte dos moderados pensa algo perto disto. Jamais votariam na extrema-direita, num PNR ou até num Chega, mas também jamais votarão no PCP ou até no Berloque.

    Já reparei que há um núcleo duro de comentadores do Aventar que são comunas cabeça-dura, dos que não aceitam a mais leve crítica.

    É assim que as coisas nunca evoluem nem avançam. Continuam a gritar slogans de há 60 ou 70 anos, a usar imagens bacocas de foices e tratamento por ‘camarada’, como se fôssemos todos camponeses ou magalas na tropa, a branquear atrocidades e hipocrisas, mais recentemente até tentam impor uma histeria PC que só aliena as pessoas, e depois admiram-se com Brexits e Bolsonaros e Trampas.

    Gente como o Sr. Osório, defensores do egoísmo e da ganância que passam a vida com a língua no cu dos mamões, e que aspiram a ser um dia também mamões, adoram esta postura dos Aventares.

    Adoram-na porque é a receita certa para jamais terem poder; para a esquerda jamais passar da cepa torta.

    • Elvimonte says:

      “Já reparei que há um núcleo duro de comentadores do Aventar que são comunas cabeça-dura”

      Eu tenho uma opinião diferente: acho que é apenas um comentador, pago para o efeito, mas com um núcleo duro de heterónimos, personagens de tasca e das madrassas que proliferavam na URSS e em regimes como o dos kmers vermelhos.

      Que o Aventar já teve melhores dias, já.

    • Democrata_Cristão says:

      “Gente como o Sr. Osório, defensores do egoísmo e da ganância que passam a vida com a língua no cu dos mamões, e que aspiram a ser um dia também mamões, adoram esta postura dos Aventares.”

      O nazi é que é provocador, e os que se lhe opões é que estão mal.

      “admiram-se com Brexits e Bolsonaros e Trampas.”

      Esse esterco aparece sempre quando vêm oportunidade e ela aparece com os que “querem o sol na eira e chuva no nabal”

      • Elvimonte says:

        Um esterco de que o seu comentário é bem exemplo.

        • Democrata_Cristão says:

          Nunca me enganaste !

          • Elvimonte says:

            Eh troll lindo! Eh troll lindo! Eh troll…

          • POIS! says:

            Pois, mas temos de reconhecer.

            Que o Elvimonte é uma sumidade em termos de esterco. Dizem até que é descendente da ancestral e nobre família dos Elvimontes de Esterco.

    • Filipe Bastos says:

      O nazi é que é provocador…

      Acha mesmo que o Osório é nazi? Está a ver o nível do argumentário? Acha que conseguimos passar do liceu?

      E alguém refutou as provocações do Osório, alguém as reduziu ao ridículo? Um manda-o para o Tarrafal; outros vêm com conversas de nazis e Estalinegrado. Há discussões mais evoluídas entre bêbados em tascas.

      Estamos ao nível dos direitalhas que chamam ‘comunista’ a tudo que não seja darwinismo social e lamber o cu a mamões. Por aqui é tudo facho e nazi.

      • abaixoapadralhada says:

        Os liberocas são fachos envergonhados e à espera da sua oportunidade


        • É assim mesmo debaixodassaias!
          Não te deixes intimidar, não há nada que não se resolva com a etiquetagem de ‘fascista’!
          Esse são teus irmão de sangue mas resolveram não pôr o povo a passar fome e mantiveram os proprietários ao seu serviço.

          • British says:

            What ?

          • abaixoapadralhada says:

            “Não te deixes intimidar, não há nada que não se resolva com a etiquetagem de ‘fascista’!”

            Repugnante Sa Lazarento

            Os Sa Lazarentos são muito sensiveis a que lhes chamem esse nome. Por alguma razão será.

            A mim podes chamar-me fascista à tua vontade, que não me toca, minimamente.

            Aconselho-te a ler o post inicial


      • Como te disse, debaixodassaias, comunistas e fascistas são irmãos de sangue; um fascista é um comuna que não quer fazer passar fome ao povo e mantém os proprietários a trabalhar para eles.
        Não tens grandes razões para te incomodares se te chamarem fascista, é na prática dizer-te mais inteligente.

        • abaixoapadralhada says:

          Se calhar foi por isso, que o teu ídolo morto Salazar, eminente politico da linha fascista de Mussolini e Hitler, perseguiu os comunistas.
          Queres reescrever a História, nojento Sa Lazarento ?

    • Paulo Marques says:

      É natural, qualquer coisa que não seja um mercado completamente desregulado hoje em dia é comunismo.

  7. José Manuel Oliveira says:

    Pois eu discordo de muito do que aqui se disse e isto porque a maioria se recusa a ver os factos como eles são. Essas pessoas, como não gostam da realidade inventam outra, pensando que a conseguem esconder. Não conseguem, obviamente. O Osório critica os regimes comunistas por serem ditaduras, subentendendo que há ditaduras boas, as capitalistas, e ditaduras más, as comunistas. Depois critica o estado, tal como o fazem os anarquistas, certos grupos de extrema-esquerda e sobretudo as grandes corporações e seus satélites, as quais agradecem reconhecidamente esta ajuda preciosa. Um simples olhar para a realidade desmente tudo isso. Aqueles que atacam o estado (com todos os seus enormes defeitos) deviam imaginar como seria a vida sem ele ou com ele bastante diminuído. Privatizem pois todas as escolas, hospitais e centros de saúde, prisões, transportes, forças de segurança e justiça, repartições, códigos de conduta e regulamentos ambientais e empresariais e terão o tal admirável Mundo Novo.
    Quanto ao PCP, as direitas deveriam agradecer-lhe emotivamente pelo seu permanente papel de conter as lutas e protestos das massas dentro de parâmetros aceitáveis para o regime e de sabotar todas as que eles não conseguem controlar. O controleirismo é uma doença do seu ADN. Assim, o PCP é uma organização profundamente conservadora, retrógrada, situacionista e inimiga do progresso humano, da democracia e da independência dos cidadãos e das comunidades.

    • Democrata_Cristão says:

      Esqueça o PCP. Há mais de 50 anos que em Portugal há mais esquerda para alem do Partido Comunista


  8. Vocês continuam nesta ilusão de que existem “comunistas”…

    O PCP – Partido Capitalista Português – já demonstrou por mais que uma vez que para ele o Capital está sempre acima do Animal!

    • POIS! says:

      Pois a minha solidariedade!

      Realmente V. Exa. tem certamente sofrido bastante, a levar com o capital em cima! E a coisa é pesada, dizem!


      • Eu sou como o PCP/PSD/PS/CDS e por aí fora…

        Estou a rebentar de capital. Continua a berrar que vais longe!

        • POIS! says:

          Pois claro é como eu dizia!

          O Capital está sempre acima de si! Não admira que esteja a rebentar!

          E a unica força política que lhe pode valer só pode ser o PAN, tendência IRA. São os únicos talvez capazes de o resgatar..

  9. Vila do Conde says:

    Pois…não sou comunista . mas…quando foi preciso estar lá na luta pela Liberdade …onde andavam os liberais, e restante escumalha…

    • anticarneiros says:

      Estavam do outro lado da barricada, com o botas

    • Póvoa de Varzim says:

      Pois…não sou comunista . mas…quando foi preciso estar lá na luta pela Liberdade …onde andavam os liberais, e restante escumalha…

      Esses estavam em Inglaterra, USA, etc, já os comunistas sabotavam as fábricas de material de guerra em frança, quando esta lutava contra os nazis.

      Os comunistas a história não engana apoiaram os nazis, só após a invasão da urss é que combateram os nazis.

      • anticarneiros says:

        A tua historia. Os americanos apenas entraram na guerra, quando viram que a URSS ia vencer como venceu a batalha de Stalingrad e ia chegar a Berlim antes deles.
        O Stalin pode ser tudo, menos burro. Se não tivesse ganho aqueles 2 anos com aquela aliança fictícia para ter tempo de preparar as sua defesas, as tropas alemã chegavam até Moscovo, que era o que os “democratas” todos queriam, a começar pelos ingleses.

        • Filipe Bastos says:

          Porra. Isto é sátira?

          Ou haverá alguém tão fanático – e tão ESTÚPIDO – que acredita mesmo nisso?

          • anticarneiros says:

            ESTUPIDO é quem te fez as orelhas, bimbo

          • Filipe Bastos says:

            Asseguro-lhe que não. O meu pai sempre foi comunista, mas jamais diria uma bacorada dessas.

            Não que seja preciso grande inteligência: qualquer pessoa com um dedo de testa e conhecimento muito ligeiro da II Guerra sabe que a aliança “fictícia” foi bem real: a URSS dividiu cinicamente a Polónia com os nazis.

            Nessa altura a Alemanha não conseguia aguentar duas frentes; na prática foi a Estaline que possibilitou tudo que aconteceu de 1939 em diante.

            Depois invadiu outros países ainda menores – os estados bálticos e a Finlândia – como cobarde que sempre foi; e fingiu até ao último momento que Hitler não o ia atacar.

            Quando levou com ele, correu a esconder-se na datcha… quais defesas? Só por milagre, o Inverno e erros próprios os alemães não chegaram à Sibéria.

            Um carneiro destes ainda se diz ‘anticarneiros’?

          • Paulo Marques says:

            A primeira parte não é mentira, os americanos queriam tanto saber dos “eslavos” e judeus como o resto dos aliados,que ficaram um ano a chuchar no dedo.
            Mas sim, os 3 lados queriam arrumar com os outros 2, nada de novo desde Westphalia.

  10. esteves ayres says:

    Vivemos aquela etapa da História que corre sob o modo de produção capitalista, em que o poder económico, politico e ideológico burguês é dominante, muito embora tenha alcançado a sua fase final, a do imperialismo moribundo. Esta é a razão pela qual uma revolução politica proletária não pode sobreviver sozinha num país isolado, sobretudo quando essa revolução, como sucedeu na Rússia, a 7 de Novembro de 1917, e na China ,em 1 de Outubro de 1949,começou por ser meramente politica e ideológica ,antes de ser uma revolução económica, que nos dois casos em referência nunca foi. É ainda uma consequência do princípio materialista dialéctico fundador: o movimento procede a consciência. E a consciência revolucionária procede do movimento revolucionário

    Pagina 30 a 31 sublinhado. “Teses da Urgeiriça” Arnaldo Matos

  11. Rui Santos says:

    Não faz sentido e é um desperdício de tempo comentar as ‘bojardas alarves’ do cronista.

  12. Clemente Alves says:

    Foi seguramente uma sanita que “escreveu” a trampa que se derrama no espaço do artiguelho. A mostrar que o neo-nazismo ainda por aqui, a atentar, a atentar.
    Porque é uma sanita nazi-fascista que escreve, não se dá conta que no fundo, o ódio que bolsa constitui um elogio à coragem dos comunistas: porque só os comunistas lhes fazem frente; porque os comunistas já os derrotaram; porque só os comunistas estão em condições de, quando for preciso, lhes partir os dentes.

  13. A.Silva says:

    Vai-te foder, filho da puta fascista!

    • Carlos Garcez Osório says:

      😂😂😂😂😂

      • João Garcez Osório says:

        Ainda não percebeste que o teu discurso de ódio tem os dias contados quando o governo que abominas te cortar o pio? O que dizes é tão estúpido e vazio que Deus ainda te há de ir ao cú por andares aqui a parir pela boca dezenas de comunistas…

  14. Pimba! says:

    Ó trongo, pelo menos poderia V. Exa. encontrar uma imagem original. Mas isso seria pedir muito de fachos…!

    Por acaso os cabec,as rapadas, suspensórios, botas cardadas… säo comunas? Pois…

    Os nazis e fascistas gostam muito de reciclar material alheio… eis o original, que mostra o CGO em toda a “glória”:
    https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Nazism-144975.svg

  15. João Garcez Osório says:

    Irmão, mostra que és empreendedor e põe os clickbaites a render. Quando é que enches o Aventar de publicidade com as tuas finas análises psicológico-políticas? Bem vês que tens aqui um nicho para o que vais obrando por aqui.