A democracia à PCP

Ainda há quem consiga dizer sem rir que o PCP é um partido importante para a democracia. Por muito menos, acusaram a direita portuguesa de legitimar fascistas. Desta vez, a pérola é esta. Haja decência.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Quando propõe a IL sanções portuguesas?

  2. Filipe Bastos says:

    A verdade é que não é impossível o ‘massacre de Tiananmen’ ter sido algo distante da versão oficial, ou até muito distante.

    Da canalha americana, tal como da chinesa ou da russa, espera-se tudo. A bem dizer, qualquer governo ou mamão mente. Porque nos governos também mandam mamões.

    O problema é o PCP branquear tudo e todos, como o criminoso regime chinês ou o celerado Lukashenko, por mera conveniência pulhítica. Porque também isto é pulhítica: não é política nem é ideologia. A ser ideologia, devia ser o primeiro a distanciar-se.

    • Paulo Marques says:

      Olhe que não, quer dizer, pelo que eu vi, que não vi muito, não há branqueamento de Lukashenko, ou de Maduro, já agora; é que se a alternativa é lavar um aspirante a ditadorzeco, igual aos que se aceitam e se dá benesses para aqueles (dois) lados, mais vale não mexer, por várias razões, como dar sempre merda.
      Já Tiananmen parece casmurrice, se não lhes desse para ser capitalistas em relação ao assunto ainda via o que tinham a dizer… ¯_(ツ)_/¯

  3. POIS! says:

    Pois temos de dar razão a V. Exa.

    Porque o comportamento dos liberais, por cá, foi exemplar! Não viram as sanções? Para já, para já, os chineses não ficaram com a maioria na EDP! Nem na REN!

    E na Fidelidade, só depois de terem pedido muito, e com boas maneiras!

    E a Huawei aqui não risca nada!

    Acham que isto é o balhocas?


  4. As tentativas de apagar factos, só apagam realmente quem o tenta fazer, pois a realidade tem essa característica de que alguns não gostam nada: ela permanece, queiram ou não.