Dia de Portugal

O país. A bandeira. O hino. As suas gentes. Hoje é o dia de Portugal. Apenas se falta cumprir.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    O que une a direita é o grande patriotismo de desejar que o país e os portugueses fossem outros.

    • João L Maio says:

      Não lhe chamaria patriotismo. Nacionalismo moderado, ou chauvinismo, parecem-me termos mais adequados.

      E isto vem de gente que acha de um “identitarismo exagerado” assinalar-se o mês da luta LGBTQI+ ou o Dia Contra a Discriminação Racial. No entanto, têm sonhos molhados com bandeiras e hinos, e, isso sim, é identitarismo do bem.

      • Paulo Marques says:

        Se faço sátira, é para ir até ao fim, carago, não é para utilizar a definição correcta. O que não percebo é porque é que demorei tanto tempo a perceber que é tudo um grande complexo de inferioridade.

  2. POIS! says:

    Pois tá bem!

    Se o que diz for verdade, são uma data de anos de incumprimento. Em juros de mora deve ser uma conta calada.

    Parece que o caso é grave e tem origem num empréstimo pedido por D. Afonso Henriques a um judeu (só podia ser!) para comprar a D. Mafalda que estava a subir de cotação na Europrincext, com o intuito patriótico de a reestruturar e, posteriormente, alienar nos mercados obtendo consideráveis mais-valias.

    O problema é que em vez de cumprir o plano acabou por a utilizar como garantia para mais um financiamento destinado produzir umas catapultas que viriam a ser decisivas no cerco de Lisboa, estando a operação na origem do conhecido termo alavancagem.

    Um “downsizing” mal calculado acabou por insolver, e posteriormente dissolver, a D. Mafalda. Numa tentativa de fuga para a frente, o D. Afonso ainda tentou ir a Badajoz tratar da saúde a uns caramelos, mas correu pessimamente.

    Não há tempo para contar os sucessivos sucessos que se sucederam desde esse sucesso que, na realidade, se traduziu num insucesso. Fica para mais tarde.

    Apenas uma dúvida, ó Sr. Figueiredo: pode-nos indicar algum país que esteja cumprido? E como se fez? E em que lá dia deram por isso?

    • POIS! says:

      Uma correção: obviamente a última interrogação é “E em que dia lá deram por isso?”.