Bailinho

O dia de ontem foi peculiarmente sumarento ao nível da exposição dos verdadeiros intentos da fraudemia.

Por um lado, ficámos a saber que a Madeira adoptou o sistema de castas que já prolifera por alguns países do mundo. Mercados, restaurantes, cabeleireiros e convivência social em geral é luxo inalcançável para quem não se sujeitar ao tratamento médico experimental imposto, nem sequer por médicos note-se, mas por sociopatas engravatados. Obrigarem os madeirenses não-vacinados a deixar crescer o cabelo demonstrou em definitivo que o menosprezo do estado de Direito e o uso da Constituição como papel higiénico não foi circunstancial, mas sim deliberado e permanente. Com esta agravante: a acreditar que a taxa de vacinação na Madeira é semelhante à do resto do país, quantos são os não-vacinados? Meia-dúzia? Considerar que representam um perigo de saúde pública não é não entender de epidemiologia, é declinar qualquer tipo de razoabilidade e honestidade. Direitos inalienáveis, diziam orgulhosas as prostitutas do sistema, proclamando-se amantes da liberdade, de cravo presunçoso na lapela. Que hilariantes montes de merda.

Porém, a melhor notícia de ontem foi a informação de que qualquer injectado com a mistela Janssen terá de tomar uma dose de reforço. Não é “poderá tomar”, que é o spin que foi dado por muita comunicação; foi bastante explícito que “terá” de o fazer. Esse reforço terá necessariamente de ser…de outra marca. Algum obscurantista poderia aqui especular interesses financeiros: para citar um apenas, fico-me pelo vencedor de um Globo de Ouro, o nosso amigo Popeye das vacinas, o herói nacional que diz que quem afirma que estamos a usar cobaias humanas por putrefactos interesses corporativos é um perigoso obscurantista, mas que esta terceira dose é inadmissível, porque é claramente usar cobaias humanas por putrefactos interesses corporativos. Poderíamos até, num assomo de loucura, ousar afirmar que reforços de vacinas completamente distintas não são reforços imunitários, é uma roleta russa que se torna particularmente anedótica se verificarmos que a taxa de mortalidade de infectados abaixo dos 50 anos é virtualmente de 0%.

Ficar-me-ei pelo optimismo: atendendo a que a população que tomou a mistela Janssen é maioritariamente composta por homens abaixo dos 40 anos, parece-me que irritaram o sector populacional errado. Esta não é propriamente a população mais impregnada da narrativa. Muitos destes jovens tomaram a injecção em troca de uma liberdade da qual nunca deveriam ter abdicado e rapidamente se aperceberam de que ela não irá voltar por continuarem a submeter-se aos apetites insaciáveis de uma elite psicopata e de compatriotas autoritários. Sentem-se defraudados e agora também assustados. Além disso, homens abaixo dos 40 são os que melhor sabem andar à porrada, o que será uma skill de grande utilidade quando inevitavelmente vivermos no limiar da guerra civil. A todos os jovens que se recusarão a injetar mais doses, bem-vindos ao grupo dos não-vacinados. Não se julgavam mentirosos conspiracionistas de extrema-direita? Não se preocupem, rapidamente os jornalistas vos vão informar de que são.

Comments


  1. Popeye das vacinas, garotão de m**** ?

    É assim que tu queres que respeitem a tua opinião ?

    Ainda por cima és reincidente !

    • Teresa Palmira HOFFBAUER says:

      O “garotão de merda” escreve sem se importar com a opinião dos outros. Agradar a gregos e troianos não é uma qualidade do clã HOFFBAUER 😜

      • ÇPOIS! says:

        Pois. É lógico.

        Lá no clã preferem que sejam os gregos e os troianos a agradarem aos alemães.

        Pelo menos quando lá vão de férias.

        • Teresa Palmira Hoffbauer says:

          0 clã HOFFBAUER NÃO QUER AGRADAR a NINGUÉM … só quer agradar a ele próprio!!

          Saudações de um Düsseldorf chuvoso, cinzento escuríssimo, onde se tropeça com muitos “pois! pois! pois!

          • Luís Lavoura says:

            Gruess Dich, Teresa Palmira!

            Duesseldorf é aquela cidade onde se serve a cerveja em copos de 0,2 litros, não é? Que ridículo! Quando bávaros aparecem aí, mandam vir 5 copos de uma vez!

          • Teresa Palmira Hoffbauer says:

            Palavras sábias de um homem que sabe!!

            Grüße Gott 😜

          • Teresa Palmira Hoffbauer says:

            O meu cunhado bávaro quando entra num local da cidade velha de Düsseldorf pede imediatamente 10 copos … e não fica por aí 🍻

          • CPOIS! says:

            Eu também não.
            Faz-me impressão muita coisa.
            Nunca usei nada disso. Mas não tenho nada contra. Nem a favor.
            Enfin não há nada como realmente, como se diz na minha terrinha.

        • POIS! says:

          Poisou aqui um ç no POIS!. Foscaçe!

          Quanto ao segundo comentário que aparece como CPOIS, não sou eu o autor, é obra de algum cobardolas marrante.

          Não é de considerar, POIS!

      • João L Maio says:

        Teresa Palmira HOFFBAUER,

        A noção também não parece ser uma qualidade do clã Hoffbauer.

  2. JgMenos says:

    «para quem não se sujeitar ao tratamento médico experimental imposto»

    Ainda estou para perceber o que motiva esta onda de cretinice experimental dos negacionistas das vacinas!

    • POIS! says:

      Pois talvez…

      Estejam motivados pelas venturosas pregações de Venturosos Descendentes dos salazarrascas.

    • Paulo Marques says:

      Muitos motivos, uns mais legítimos do que outros. Um deles é o caos que o financiador do teu querido líder quer, com o conhecimento deste, a bem do negócio.


  3. É exactamente isso. Eles bem querem ir apertando o cerco, mas a areia escoa-se por entre os seus dedos e a narrativa oficial depara-se com crescentes brechas que as cliques instaladas não conseguem remendar. A Declaração de Roma (global Covid Summit) é um excelente sinal de que a maré está a virar mesmo.


  4. Falso!!. Os negacionistas são os que negam haver tratamentos preventivos e curativos eficazes e baratos, os que negam autópsias aos milhares de mortos pela vacina(30.000 só na UE), os que negam que os vacinados transmitem tanto ou mais que os não-vacinados, os que negam que os países mais vacinados têm muito mais casos que os não vacinados, os que negam os debates abertos, os que apostam na censura pura e dura, os que apostam em ainda mais vacinas depois de verem a sua ineficácia, os que escondem os milhões de efeitos adversos graves… creio não ser preciso continuar…

  5. Luís Lavoura says:

    a população que tomou a mistela Janssen é maioritariamente composta por homens abaixo dos 40 anos

    Quem lhe garante tal coisa?

    As pessoas não tinham o direito de escolher a vacina que tomavam e elas eram aplicadas consoante a disponibilidade. Não vejo portanto razão para que um qualquer segmento da população tenha tomado mais de uma vacina do que a generalidade da população.

  6. Luís Lavoura says:

    a Madeira adoptou o sistema de castas que já prolifera por alguns países do mundo

    Não vejo qual o motivo para tanto espanto e revolta. Esse sistema já foi aplicado em todo Portugal há uns tempos, quando era obrigatório exibir prova de vacinação para ir a qualquer espetáculo ou a um hotel ou (ao fim de semana) a um restaurante. Também já foi aplicado um sistema de castas anteriormente, quando houve cercas sanitárias a Ovar, a Rabo de Peixe e (ao fim de semana) à região de Lisboa.

    Não vejo por que motivo o Diogo se revolta agora mais do que anteriormente.

    • Teresa Palmira Hoffbauer says:

      A rebeldia está no sangue do clã HOFFBAUER 🐲

      • Luís Lavoura says:

        Quando dia clã, significa que se sentam à volta de uma Stammtisch?

        • Teresa Palmira Hoffbauer says:

          Ah! Ah! Ah! Stammtisch 🙈 🙉 🙊

          O clã HOFFBAUER é uma família numerosa e muitíssimo unida, mesmo NÃO tendo a mesma opinião sobre política, religião e futebol … e sobretudo sobre a pandemia.

  7. CPOIS! says:

    Fiquei sem palavras!

    Diz-se na minha santa terrinha:

    Que impressão impressionante!

    Que espanto espantoso!
    Que perspicácia perspicaz!
    Que sagaz sagacidade!
    Que clarividência clarividente!
    Que lúcida lucidez!
    Que visionária visão!
    Que fragância reentrância.

    Que concludente conclusão!

    Diz-se na minha santa terrinha!

    • Abstencionista says:

      Pois mais uma série de “piadas” imbecis do poluidor do Aventar!

      • POIS! says:

        Pois “poluidor” só pode ser…

        V. Exa Abstencioneira Marrante!

        Quando está aqui armado em provocador a usar o pseudónimo alheio para confundir quem aqui está.

        Vosselência retirou umas frases minhas do contexto, alterou-as e colocou-as aqui.

        Incomodo tanto assim Vossa Excelência Marrante, a ponto de só aqui comentar para agredir o parceiro, ÓóAbstencioneiro?

        Quem é que “polui”???

        PS. E não, não esqueço ter chamado “proxeneta” ao pai de alguém só porque não gostou dos comentários.

        Depois de dizer que foi “MENTIRA!” meteu aqui as patas da frente pelas de trás a justificar. Porco!

        • Abstencionista says:

          Xô Pois, abaixoapadralhada, cPois, çpois, tuga, xantipa, eleutério, etc.

          Quanto a perfis falsos estamos conversados.

          Quanto ao porco deves estar a confundir com o animal que vês ao espelho, uma vez por ano, na Páscoa, quando lavas as fauces.

          Quanto ao tema do postal como de costume dizes umas “piadas” imbecis na forma mas quanto ao conteúdo, nada.

          Quando escreves alguma coisa de jeito, vai-se a ver e…é um plágio!

          Bem sei que és um parasita que não trabalhas e que, para ocupar o dia vens para aqui “trolar”.

          Porque é que não arranjas outra ocupação e deixas de chatear por aqui?

          Dou-te umas dicas para passar o dia: toma banho, compra uma máquina de lavar roupa na Worten, leva-a para casa às costas e depois devolve-a a dizer que não gostas da cor.
          Nestes desideratos já ocupas a manhã.

          De tarde, depois do almoço, faz uma sesta a ouvir o agir e depois vais ao Mediamarket comprar outra máquina, mas esta da loiça, alombas com ela até casa e depois fazes como fizeste com a outra da Worten.
          Só que dizes, para disfarçar, que a pretendes trocar por uma a gás pois a luz vai aumentar.
          Neste desiderato já passou a tarde.

          De noite, vais até ao parque conversar com a Deneuve e, se a polícia aparecer, dizes que estão à procura de gambosinos.
          Se não te prenderem, por ofensa à moral, regressa a casa, emborca uns tintos, lê o “puema” que te vou mandar e vai nanar.

          Não te envio bjs porque fedes.

          • POIS! says:

            Em primeiro lugar, citando:

            “Quando escreves alguma coisa de jeito, vai-se a ver e…é um plágio!”

            Outra vez???? Outra vez????? Outra Vez????

            PONHA LÀ OS LINKS PARA AS PÀGINAS QUE EU “PLAGIEI”! NEM QUE SEJA UMA PARA EXEMPLO!

            Quanto ao resto: pois não Marrante Abstencioneiro!

            Porco é Vosselência. Não fui eu que chamei ao seu paizinho “proxeneta”. Não perdoo os seus arremedos de psicopata, mas tenho respeito por quem não conheço.

            Porra que Vosselência está mesmo de todo! Em 224 comentários saídos desse patranhento bestunto, 223 são para marrar a toda a força. O outro é para a malta se rir de tanta indigência.

            Os seus conselhos, produto da sua vidaça triste, não me interessam. Aliás, não interessam a ninguém!

            Por exemplo: vosselência é que sabe que essa “Deneuve” anda no parque. Já não é a primeira vez que aqui o diz.

            Eu nunca lá fui, de certeza. Nem sei a que parque se refere.

            Os meus comentários são feitos sob o “perfil” POIS!

            E mais nenhum. Aliás, já disse o que tinha a dizer a Vosselência. Tenho-o para troca ó Marrante.

            Vosselência está é ressabiado porque estava á espera que eu enfiasse um barrete que tentou passar ontem. Como não resultou, resolveu passar a hora do almoço a cagar postas de pescada em vez de as comer.

            Depois, quando acabou a faina, foi solto lá dos curros e veio aqui acabar o trabalho.

          • POIS! says:

            Citando V. Exa. Abstencionista:

            “Bem sei que és um parasita que não trabalhas e que, para ocupar o dia vens para aqui “trolar”.

            Porque é que não arranjas outra ocupação e deixas de chatear por aqui?”

            Então esta não é uma “avença bem paga”???

            Devolvo a Vosselência a imputação gratuita. Porque é mesmo gratuita, não corro o risco de entrar em despesas.

            E espero que seja mesmo o último comentário a ser-me dirigido por Vosselência.

            Quanto ao resto Vosselência comente à vontade, claro! Não me armo em dono do Aventar, como é costume de Vossa Alteza Marrante

            É que Vosselência já se “despediu” definitivamente umas 347 vezes.

    • Teresa Palmira Hoffbauer says:

      Eu também fiquei sem palavras!!
      NUNCA pensei que um “pois” escrevesse algo tão interessante.
      Confesso que gostei e digo isso sem ironia.

      • POIS! says:

        O Abstencioneiro Marrante agora usa outra tática: comenta “em meu nome” e responde a ele mesmo.

        Trata-se de um fenómeno de esquizofrenia psicopática galopante.

  8. Teresa Palmira Hoffbauer says:

    Diogo!!
    Peço-te mil desculpas pelas piadas imbecis que escrevi aqui.
    NÃO volta a acontecer.
    Tenho cá em casa 🏡 um artífice por causa das persianas, o que me dá cabo dos nervos e do cérebro… e para evitar torcer-lhe o pescoço, escrevo aqui disparates.

  9. Paulo Marques says:

    Ficamos, então, mas sentadinhos, à espera que os betinhos peguem nas armas e marchem da Alemanha para a guerra civil, e mostrem se valem mais do que a merda que sai pela boca.
    Brinco, claro. Querem lá saber, vociferam por um país que nunca foi o que queriam, mas lá dizem coisas que temos que ler porque são gente de boas famílias. Perceber coisas é que não é com eles, porque também não são pagos para isso.

    • Filipe Bastos says:

      Apoiado! Então este Hoffbauer não sabe que o covid é pior que a gripe, a peste e a SIDA juntas? Que sem as corajosas medidas dos nossos Eleitos já tínhamos morrido todos?

      Sim, o nº de casos sobe a pique em países cheios de vacinas; é porque precisamos de mais vacinas! E de controlar o gado, perdão, o povo que não sabe comportar-se.

      Quem é que ele se julga para questionar as decisões dos Eleitos? Os Eleitos têm mandato dos eleitores (dos 20% que os elegeram) e de Deus; representam a ciência e o povo (20% dele); o que eles decidem é para se obedecer, não questionar.

      É verdade, como vão as suas acções na Pfizer?

      • Paulo Marques says:

        A maneira como sempre aparece sempre a defender o esgoto da direita, amante do capital à força da ameaça de violência, é enternecedora. Deve ser uma vida mais simples, comer tudo e não questionar nada, mas, azar, continua enraivecido, por isso, veja lá, se calhar faz-lhe mal à saúde na mesma evitar a realidade.
        Já é menino, licenciado em informática e tudo, segundo diz, para seguir a ciência com conhecimento de estatística e ver o óbvio. Se ainda não quer, e prefere ser gado ao dispor dos DDT a achar que não, é a sua opção. Mas depois não estranhe que ninguém o leve a sério, nem esteja para lhe fazer o trabalho de casa que depois deita fora.

        • Filipe Bastos says:

          …defender o esgoto da direita
          …amante do capital
          …comer tudo e não questionar nada
          …evitar a realidade.

          Apetece responder como as crianças: estará a ver-se ao espelho? V. defende a desigualdade, come tudo que a canalha pulhítica manda, e os outros é que…

          Já lhe disse que estudos podem dizer o que os mamões que os pagam quiserem que digam. Sabe quantos anos andámos a culpar tudo na gordura e a branquear os males do açúcar? Sabe porquê, não sabe?

          Ciência… estatística… gado ao dispor dos DDT…

          É verdade, como vão as suas acções na Pfizer?

          • Paulo Marques says:

            Não nega, porque não pode negar, o quanto concorda. O resto é barulho.
            Vão bem, voto para que me tirem o lucro e a herança. Não concorda, fico com os dois, azar o seu. Meritocrasse para uma família melhor.

  10. António de Almeida says:

    Diogo, ontem a Madeira também serviu para mostrar ao país, que em matéria de ataque aos direitos e Liberdades dos portugueses, o PSD, neste caso o PSD-M, mas desde o início da pandemia, o PSD na AR em nada se distinguiu do PS, é apenas parte do bloco central de interesses. Quem pensar que votar PSD é útil, liderado por Rio ou Rangel é exactamente igual, terá uma desilusão e cedo verificará o quão inútil foi o seu voto.
    Numa população com taxa de vacinação acima de 80%, equacionar restrições seja a quem for, é uma fraude. Afinal já não existe imunidade de grupo? As vacinas já não são eficazes? Ou tento experimentado um poder que não tinham, os talibãs hipocondríacos dele não querem abrir mão?

    • Paulo Marques says:

      Capacidade, António, que os seus ídolos continuam a querer mama para curar feridas, quanto mais salvar vidas. Eu quanto preciso da urgência gosto de a ter, se é imortal, não chego a tanto.
      E o povo concorda com o poder que acha que não têm, porque sim, azarito, não é um mercado ainda.

  11. Elvimonte says:

    Na falta de melhores argumentos, porque já se sabe que os vacinados contraem a doença e contagiam como os não vacinados, sendo idênticas as suas cargas virais, dizem-nos que as vacinas são essenciais porque reduzem o risco de desenvolvimentos graves da doença, reduzindo também a probabilidade de morte.

    Mas será isso que se vê nos dados brutos (de quem tem a coragem de os publicar claramente, embora nas vielas da net)?

    Números do Reino Unido, tendo como fonte relatórios oficiais de que deixo os links, que nada melhor do que “ver para crer”.

    «32. The resurgence in both hospitalisations and deaths is dominated by those that have received two doses of the vaccine, comprising around 60% and 70% of the wave respectively.

    This can be attributed to the high levels of uptake in the most at-risk age groups, such that immunisation failures account for more serious illness than unvaccinated individuals. This is discussed further in paragraphs 55 and 56.» [Março de 2021]
    (https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/975909/S1182_SPI-
    M-O_Summary_of_modelling_of_easing_roadmap_step_2_restrictions.pdf )

    Relativamente à variante delta, dos dados apresentados na tabela 4 que figura na página 12 [Table 4. Attendance to emergency care and deaths by vaccination status among Delta confirmed cases (sequencing and genotyping) in England, 1 February 2021 to 14 June 2021.], pode concluir-se que:

    a taxa de mortalidade dos vacinados é 6 vezes maior do que a dos não-vacinados.

    não-vacinados: 35521 casos, 34 mortos, taxa de mortalidade 0,096%
    vacinados, 2ª dose> 14 dias: 4087 casos, 26 mortos, taxa de mortalidade 0,636%
    (https://assets.publishing.service.gov.uk/
    government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/994839/Variants_of_
    Concern_VOC_Technical_Briefing_16.pdf )

    Ainda relativamente à variante delta, 3 relatórios depois:

    a taxa de mortalidade dos inoculados é cerca de seis vezes maior do que a taxa de mortalidade dos não inoculados,

    conforme Tabela 5, páginas 18-19 do relatório “SARS-CoV-2 variants of concern and variants under investigation in England Technical briefing 19”, de onde podemos chegar a estas conclusões:

    não vacinados: 121400 casos, 165 mortos, taxa de mortalidade 0,136%.
    vacinados, 2ª dose >14 dias: 28773 casos, 224 mortos, taxa de mortalidade 0,779%
    (https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/1005517/Technical_Briefing_19.pdf )

    Os números de que disponho são os apresentados e os links fornecidos permitem que se possa confirmar. Há alguém que tenha números, não paleio, que apontem para outras conclusões?

    Nota: taxas de mortalidade relativas a casos confirmados (a chamada CFR em inglês); as taxas de mortalidade de infectados (IFR) serão bastante menores, grande percentagem dos infectados (60%-80%) são assintomáticos.

    Em consequência da tranquilidade que as vacinas geram (mesmo que seja ilusória, em face dos números apresentados) e da validade de 6 meses (confirmado por fonte credível) do certificado de vacinação, há que ir arregaçando a manga para a terceira dose. E a do outro braço para a quarta. Repetir os mesmos procedimentos e esperar resultados diferentes constituiu sempre prova grande inteligência.

    E quem não tiver certificado de vacinação válido prepare-se para fazer a viagem turística da sua vida até Mauthasen ou talvez Vught. Ao que parece há para lá umas magníficas estâncias para os acolher com todo o conforto. Imagens bonitas de morrer nos links abaixo:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Mauthausen_concentration_camp
    https://en.wikipedia.org/wiki/Herzogenbusch_concentration_camp

  12. João Soares says:

    HOFFILOMENA
    SE EU FOSSE COMO TU
    DEIXAVA ESTA VIDA
    PARA IR LEVAR NO COFF.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.