Transparência só atrapalha o negócio

Sempre fiel à linha da promoção e protecção de negociatas, Portugal falha na transposição de regras sobre branqueamento de capitais, tendo declarado que o fez.

Portugal tem dois meses para notificar Bruxelas sobre a completa adoção das normas sobre branqueamento de capitais, sob pena de o caso ser levado perante o Tribunal de Justiça da União Europeia (UE). Concretamente, Bruxelas refere-se às obrigações das instituições de crédito e financeiras no que respeita aos cartões pré-pagos anónimos emitidos em países terceiros, às informações a obter sobre relações de negócio ou transações que envolvam países terceiros de risco elevado e à acessibilidade das informações sobre os beneficiários efetivos de um fundo fiduciário ou de um centro de interesses coletivos sem personalidade jurídica semelhante.

O modelo de negócio português continua a ocorrer preferencialmente debaixo dos panos. É uma mentalidade ranhosa e pegajosa, que se infiltra a todos os níveis.

Portugal, um paraíso para aldrabões e oportunistas.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Não, não, o sr Costa garante que está muito preocupado com a criminalidade e financiamento do terrorismo. Certamente não será só sobre poder espiar todos os cidadãos para criar soluções fáceis para o crime comum!

  2. Joana Quelhas says:

    Ó Aninhas mais uma vez (nunca falha) os teus amiguinhos…

    “ESG é uma farsa”? Por que Tesla ficou de fora do índice S&P 500 ESG”

    “Falsos guerreiros sociais” e o “ESG é uma farsa”. Musk carrega contra democratas depois de Tesla ser expulsa de índice.

    Tão bem intencionados tão bem intencionados , mas primeiro está a instauração do Comunismo, depois mas lá muito depois da sociedade igualitária estar implantada vamos falar do Planeta , porque não há planeta B…

    Enfim…

    Joana Quelhas

    • POIS! says:

      Tem toda a razão, ó Juannitttta Qwuewelass!

      E saliento que as abetardas, este ano, estão a atacar fortemente as cerejas da Cova da Beira.

      Em consequência, a indústria de calçado de Taiwan está completamente paralisada por falta de agrafos, desviados para a produção de manilhas para os programas de saneamento básico da Namíbia.

      Já para não falar da falta de sementes de batata-doce que está a prejudicar a forte indústria de conservas de carne de avestruz na Nova Zelândia.

      E os comunas assobiar para o lado. Sim, a assobiar, mas por falta de apitos, açambarcados por malta do Golfo que irá enriquecer á tripa forra com o Mundial de Futebol!

      PS. Isto vem a propósito de quê? Bem, não sei. Mas depois de ver o comentário de Vosselência, tudo vem a propósito.

    • João L Maio says:

      Aqui foi depois do xanax… essa escrita mão diz bem com nada, Joaninha. Voa, voa!

    • Paulo Marques says:

      A Joaninha sempre pronta a defender os criminosos, desde que sejam ricos e não gostem de homosexuais, a ver se lhe mijam para cima.
      São gostos. Vá lá comprar BTC a ver se repara em si.

  3. JgMenos says:

    Quando a prioridade é o produto dar cobertura à dívida crescente, há que não ser muito esquisito …

    • POIS! says:

      Pois é, mas em breve o caso vai estar resolvido.

      Há aí muito volfrâmio, lá pelas minas e não só. E a procura deve estar em alta.

      E os oligarcas russos, tal como os velhos judeus, devem ter bastante ouro em armazém.

      Tá no papo! Parece que uma “task force” já está a pesquisar na secção salazaresca da Torre do Tombo para saber como se fizeram essas negociatas.

      A dívida que se cuide!

    • Paulo Marques says:

      Para quem quer guerras e sanções e essas coisas, além de gostar de facilitar a fuga de capitais, não percebe muito bem disto, pois não?

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.