Se o Porto Canal tivesse ouvido uma das partes interessadas,

saberia que aquela mulher não é Ana Plácido: “aquela mulher é simbólica – representa a mulher na obra do Camilo, no Amor de Perdição. Não é, nunca quis ser, um retrato de Ana Plácido“.

Comments

  1. Fernando Manuel Rodrigues says:

    Oh Francisco, mas acha que a maralha hoke sabe lá alguma coisa? Só sabem que se sentem incomodados com os pronomes, com os acentos, ou com o C***** que os F***

    Precisam e que lhes dêem o que fazer. Têm demasiado tempo livre, e muito pouco inteligência.

  2. Paulo Marques says:

    Eu pensei que o autor tinha morrido.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.