Compramos o "POLVO" e lemos o "SOL"

Uma das estratégias para evitar as acções cautelares é mudar o nome do objecto “acautelado”!

Por exemplo, o tribunal determina uma “accção cautelar” sobre um restaurante, e quando a polícia lá chega o restaurante que se chamava “Rui Pedro” passou a chamar-se “Soares”. Tudo volta ao princípio.

O “SOL”, que naturalmente sabia que seria objecto de uma acção destas, acautelou o assunto e vai usar um dos títulos de que é proprietário. O mais apropriado é o “POLVO”!

E não se esqueçam que o AVENTAR tem um homem em África num dos territórios onde o SOL se publica e onde os tribunais portugueses não têm qualquer poder!