Polónia: Nem vão dar pela diferença

 
Todos os políticos que quisessem ocupar lugares de topo, como Primeiro-Ministro ou Presidente da República, só deviam poder concorrer ao cargo se tivessem um irmão gémeo. Assim, se morressem, poderiam sempre ser substituídos pelo irmão gémeo e nem se notava a diferença.
Oops! Lembrei-me de repente do caso português. Já pensaram o que seria um gémeo de José Sócrates? Dois Sócrates?
Não, é capaz de não ser boa ideia. Livra!

Mais uma decapitação polaca

Até podíamos não gostar do presidente Lech Kaczynski ou de algumas personalidades que morreram no acidente, mas qualquer país fica marcado por tamanha decapitação. Especialmente um país com uma história tão sombria e controversa como a Polónia.

Polónia: A maldição de Katyn

Pela segunda vez, altos responsáveis políticos da Polónia desaparecem na floresta de Katyn. A primeira vez aconteceu durante a II Guerra Mundial, a segunda vez hoje de manhã.
Maldição? A explicação é bem mais prosaica.
Na realidade, após a aliança germano-soviética de 23 de Agosto de 1939, os alemães invadiram a Polónia em 1 de Setembro e a 17, foi a vez dos soviéticos, atacando pelo leste, ocuparem uma parte do país (que jamais devolveriam).
Antes da invasão alemã à URSS, Estaline decidiu liquidar o corpo de oficiais polacos que capturara em 1939 e com um tiro na nuca, despachou-os. Quandos os alemães decobriram as valas comuns, Moscovo atribuiu-lhes a autoria da limpeza, coisa em que ninguém acreditou, dados os “métodos expeditos” que o NKVD utilizava contra a própria população.
Hoje, parece que foi um erro do piloto. Nada de grave. Afinal, o Presidente nem lhes faz muita falta: podem substituir pelo irmão gémeo e nem se nota a diferença.