Foda-se!

A indecência merece mais respeito [Ricardo Araújo Pereira, a propósito da mania do “fodasse”]