Acordo ortográfico: Viegas, boçalidades e patetices

nao2c4Francisco José Viegas, regressado à blogosfera e aos jornais, defende-se de “ataques boçais e patetas” de que teria sido alvo, por ter defendido que o chamado acordo ortográfico (AO90) necessitava de ser aperfeiçoado, opinião que já tive oportunidade de comentar.

No mesmo texto, Francisco José Viegas repete a ideia de que não houve oposição ao alegado acordo desde 1990. Embora noutro texto já tenha chamado a atenção para a aparente falta de atenção de Viegas, aqui fica, mais uma vez, o conselho para que visite a página do professor António Emiliano. A visita a essa mesma página permite, inclusivamente, a consulta de uma raridade: o único parecer favorável à aplicação do AO90 (da autoria de Malaca Casteleiro, um dos autores do mesmíssimo AO90).

Espero não ter sido demasiado boçal nestas críticas a FJV, mas não posso desperdiçar a oportunidade de qualificar como patetas as suas opiniões acerca do AO90, nomeadamente quando declara acreditar na possibilidade de aperfeiçoar um instrumento que não tem ponta por onde se lhe pegue. Faz tanto sentido como decidir transformar uma faca romba em colher, continuando a chamar-lhe faca e sabendo que nunca será colher.