Ídolos, quem vai ganhar

Quem vai ganhar o Ídolos é a Diana. Pois eu acho que vai ganhar o Filipe. Eu cá acho que deviam ganhar os dois. E tu, quem achas que vai ganhar?

Oiço estas conversas na rua, nos cafés, na padaria, no barbeiro, em todo o lado. Será que o país anda todo assim? Ou será que, morando eu no Algarve e sendo uma as concorrentes algarvia, se trata de uma febre local? Seja como for, nesta pacatez própria do inverno, o Algarve – este Algarve onde vivo – parece ter sucumbido ao programa e andar suspenso até domingo. Paulo Rangel? – Esse também canta? Liberdade de expressão? – Uma canção é escolhida pelo júri, mas a outra é escolhida livremente pelos concorrentes. Mário Crespo? – Ah,  mas antes de falar nisso, o primeiro-ministro disse ao director de programas da SIC que gosta muito dos Ídolos.

Num tempo em que os meios de comunicação são cada vez mais diversos, em que os canais de televisão existem às dezenas, um único programa de entretenimento congrega as preocupações de muitas pessoas, gera grupos de fãs, movimentos de apoio, argumentos a favor desta ou daquele, torna-se o centro de discussões populares, propõem-se medidas salomónicas para que ganhem os dois concorrentes. Fãs individuais entram nos blogues e fóruns virtuais e tentam convencer os outros a votar no seu favorito, as revistas cor-de-rosa fazem capas e aumentam tiragens.

Quem vai ganhar o Ídolos? A Diana? O Filipe? Quem ganha com isso – quem já ganhou – é a SIC e seu universo editorial. E tu, quem achas vai ganhar?