A História de Rui Ramos desculpabiliza o Estado Novo?

Transcreve-se aqui um artigo de São José Almeida no Público que pode clarificar algumas coisas sobre a “polémica” do momento. Coloco aspas porque um dos lados nem um argumento utiliza: rodeado de gente das mais variadas profissões que não a de historiador do séc. XX, o contra-ataque não passa disso mesmo na forma mais baixa: Manuel Loff é acusado de ter escrito o que não escreveu. Transcrevo o artigo integralmente pela simples razão de que o Público se esquece dos seus próprios arquivos, e da pertinência de colocar online (já para não falar em republicar na edição em papel) aquilo que sem dúvida é seu. Ora nem esta edição do jornal (31-05-2010) está à venda, nem no séc. XXI faz sentido ir a uma hemeroteca procurá-lo.

A História de Rui Ramos desculpabiliza o Estado Novo?

Rui Ramos lamenta que em Portugal a História seja vista “a preto e branco, ou esquerda ou direita”. E que se conviva mal com diferentes interpretações do passado. Mas outros historiadores vêem na mais recente História de Portugal, coordenada por este autor, um discurso que desculpabiliza o Estado Novo e diaboliza a I República. Há mesmo quem fale em “legitimação” do regime de Salazar. E quem acuse esta História de ignorar a violência daqueles anos.

Por São José Almeida [Read more…]