Se dependesse dele, seria um padreco a mandar no país

O padre malícias a dar cartas. Já agora, acrescento: Ó Tomás, isso não se faz!

Mesmo assim, o homem vai a votos e ganha.

É limpinho. 

Afinal,

o regime que está podre somos nós. Não, o povo português não está mesmo nada de parabéns. Fazer cara alegre a turistas vale menos do que cuidar da democracia. E livrem-se de darem maioria absoluta ao PS.

Não há dinheiro que pague o que sofreu…

… mas ganha muito bem.