Uma Europa cada vez mais unida

O governo húngaro prepara-se para levantar um muro na fronteira com a Sérvia. O fascista Orbán, membro do PPE e amigo de palmada nas costas de Juncker continua a não integrar o lote dos radicais na narrativa do pensamento único. A pena de morte é já ao virar da esquina.

Copos, chapadas, gravatas e ditadores

O título do vídeo refere-se ao presidente da Comissão Europeia como estando alcoolizado. É possível que esteja, até porque em alguns momentos fica no ar a sensação de que o senhor está efectivamente embriagado, não só pelas atitudes pouco protocolares mas também por alguns gestos vagarosos e frouxos, comuns entre aqueles que já beberam um copito a mais. Talvez isso explique a graçola – que não é mentira nenhuma – de se referir ao seu colega do PPE Victor Orbán como o ditador (“the dictator arrives“), a quem de resto deu um valente “bacalhau” e aplicou mais um bela chapada. Ditador ou não, Juncker não parece propriamente incomodado com a sua chegada e o cumprimento é caloroso. Afinal de contas, Orbán é apenas um fascista que pretende ressuscitar a pena de morte e reinstituir campos de trabalho forçado.