Não haverá por aí alguém


Que possa fazer a lista dos donos dos tais colégios?

Comments

  1. Tempero Correia says:

    Estou farto de pensar nisso: creio que seria muito útil saber-se quem são os donos dos tais colégios e, bem assim, desde quando é que passaram a ser donos dos ditos colégios.

  2. Maria Sousa says:

    Alguns estão nesta reportagem:

  3. joão lopes says:

    eu decidi escrever uma carta ao imã da mesquita de Lisboa para o desafiar a pedir subsidios ao ME ,porque se os catolicos tem subsidios de um estado laico então os islamicos,budistas,judaicos,tambem tem direito.O seu a seu dono,mais nada.

  4. Vitor says:

    “O presidente do grupo GPS é António Calvete, ex-deputado socialista, que chamou para a instituição ex-secretários de Estado e ex-directores regionais de Educação quer do seu partido, quer do PSD. Entre os colaboradores e funcionários figuram José Canavarro e Paulo Pereira Coelho, ex-secretários de Estado no Governo de Santana Lopes. E também os directores regionais de Educação de Lisboa e do Centro, respectivamente, José Almeida e Linhares de Castro.

    Em 2007, o Tribunal de Contas detectou, num relatório da auditoria financeira realizada à Direcção Regional de Educação do Centro, que entre 2003 e 2005 a IGEC instaurara 12 processos devido a irregularidades no âmbito dos contratos de associação. Destas, quatro eram escolas do grupo GPS: por pagamentos a mais ou adiantamentos considerados indevidos deveriam então ao Estado quase três milhões de euros.

    O GPS é uma sociedade anónima constituída em 2003 a partir de um grupo de educação que já detinha sete escolas, no Centro do país. Em dez anos acrescentou mais 19 estabelecimentos a este património, contando agora com um total de 26 escolas.”

  5. Carlos Almeida - Portugal says:

    Boas

    Dei-me ao trabalho de pesquisar, o porquê da boa organização das manifestações dos últimos dias em Santo Tirso e Coimbra

    Temos vindo a assistir quase diariamente a reportagens nas TVs de manifestações com insultos, apupos e outros mimos dirigidas ao Primeiro Ministro, por parte de alunos, pais dos alunos, professores e funcionários de escolas privadas que contestam a decisão do Governo em acabar com os contratos de associação para novas turmas, nos locais com oferta de ensino publico suficiente.

    Eu acho que estão no seu pleno direito de protestar. Mal fora que depois do 25 de Abril, fosse proibido protestar.

    A ideia dos promotores das manifestações que se trata de um movimento expontaneo da Sociedade Civil é completamente falsa.
    Toda esta movimentação é organizada pelos Jesuítas e o pessoal dos seus colégios, respectivamente em Santo Tirso (Colégio das Caldinhas)

    http://www.jesuitas.pt/Caldinhas-113.aspx

    http://www.colegiodascaldinhas.pt/

    e Cernache – Coimbra (Colégio da Imaculada Conceição).

    http://www.jesuitas.pt/Cernache-114.aspx

    http://www.caic.pt/

    Os únicos que têm estado calados são os do Colégio São João de Brito em Lisboa, talvez por não serem abrangidos pela alteração.

    http://www.jesuitas.pt/S%C3%A3o-Jo%C3%A3o-de-Brito-115.aspx

    http://www.csjb.pt/Paginas/Default.aspx

    Manifestações e reportagens TV

    Se virmos as reportagens TV abaixo nos links, das diferentes manifestações, quer em Santo Tirso, Cernache e hoje em Coimbra, reparamos que as cores das camisolas são as mesmas, os cartazes com as letras CAIC são os mesmos e até o entrevistado em Cernache e Coimbra é o mesmo, como podem ver nas reportagens dos links a seguir:

    http://www.rtp.pt/noticias/pais/primeiro-ministro-recebido-com-protestos-em-santo-tirso_v920493

    http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/cordao-humano-junta-1-300-pais-alunos-e-professores-de-colegio-privado/572c595d0cf273cab4608520

    http://www.rtp.pt/noticias/pais/antonio-costa-vaiado-em-coimbra_v920622

    Todos estes colégios pertencem aos Jesuítas e a organização das manifestações também.

    Os Jesuítas, são inteligentes e especialmente bem organizados.
    Se forem deixados sem controle, acontecerá o que acontecia no século 18 em que numa população de apenas 3 milhões de Portugueses, os seus colégios ensinavam e controlavam cerca de 20.000 alunos, conforme Célio Juvenal Costa:

    “Em meados do século XVIII os colégios da Companhia de Jesus tinham, no reino, em torno de vinte mil alunos, numa população estimada em três milhões de habitantes” (COSTA, Célio Juvenal., 2011, p. 68).

    Portanto, se continuar-mos distraídos e a assobiar para o lado, não nos podemos queixar de mais tarde andar a pagar impostos para subsidiar os negócios dessa gente.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s