Não sejamos é ingénuos!

Finalmente é notícia que “O gigantesco projeto internacional de infraestruturas lançado pela China “uma faixa, uma rota” pode minar os objetivos do Acordo de Paris sobre o clima“ – neste caso, constatado por uma conhecida unidade de investigação chinesa, num estudo realizado em conjunto com a consultora Vivid Economics e a fundação ClimateWorks Foundation.

“Se continuarmos por este caminho, mesmo que todos os outros países do mundo, incluindo os Estados Unidos, países europeus, China ou Índia cumpram as metas, as emissões de carbono mundiais continuarão a explodir”, aponta Simon Zadek, do centro da Tsinghua.

A China é hoje a maior emissora de gases causadores do efeito estufa, correspondendo a 30% das emissões globais.

Para Simon Zadek, Pequim deveria ter uma “política coerente” para a redução das emissões de CO2 no país e no exterior.

Ora uma “política coerente” é aquilo a que o ministro Augusto Santos Silva chamaria de ingenuidade; E também por cá, Governo e o PS fazem a maior questão de não serem ingénuos, querem-se sabidões, finórios. Portanto não desistem de promover a todo o vapor os bons negócios, como por exemplo o acordo UE-Mercosul, que vêm impulsionando como campeões. Que a Amazónia e as comunidades indígenas tenham de sucumbir aos poderosos interesses econômicos da criação de gado, do comércio ilegal de madeira e da produção de soja geneticamente manipulada, paciência, não sejamos é ingénuos!

Comments

  1. Ana A. says:

    Os genocídios agora são em grande!

    À escala global como convém!

    Os trastes sabem bem o que querem, por isso, há que investir na “exploração” de outros planetas, pode ser que ainda venha a tempo de salvar o couro a uns tantos!

  2. Luís Lavoura says:

    Não vejo o que é que “a Amazónia e as comunidades indígenas” têm a ver com o Mercosul.
    O Mercosul é um conjunto de países (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) que têm uma enorme área e uma enorme produção económica, independentemente da Amazónia e das comunidades indígenas. Por exemplo, a Argentina produz muita carne de vaca e muita soja, as quais nada têm a ver com a Amazónia nem com quaisquer comunidades indígenas.

  3. JgMenos says:

    A assembleia de treteiros esquerdalhos tem a estrita necessidade de novas bandeiras para agitar os ares que alimentam os seus sufocados cérebros.
    A Amazonia ameaça apagar-se com as chuvas, adicione-se o Mercosul.
    A China, com a Rota da Seda, pensa em alternativas às híper poluentes frotas de cargueiros, lembremos as poluentes infraestruturas.
    As medidas cá por casa, pouco os ocupa, mas para o mundo que não o das suas comodidades as iniciativas são radicais!

    • abaixoapadralhada says:

      Para este esterco nazi menor, todos os outros são estúpidos.
      E o curioso é que todos os fascistoides ou mesmo nazis como o caso desta nódoa negativa, dizem sempre a mesma ladainha: quem não pensa como eles é estúpido ou tem o cérebro sufocado.


  4. Ana Moreno,

    …”A UE e o Mercosul, que congrega 260 milhões de habitantes, negoceiam desde 1999 um amplo acordo de associação que inclui um acordo comercial,…”

    sente-se incluída a ser um destes 260 milhões que negoceiam esta coisa como está escrito ??
    E 7 ( sete!! ) Chefes de Governo de acordo total ??

    Como vamos poder deixar de ser ingénuos, que por isso nos tomam, e néscios, ao ponto de podermos gritar-lhes nas fuças:
    ” em meu nome NÃO !! ”
    …e cuspir-lhes, e atirar-lhes sapatos….pelo menos aos finórios e sabidões daqui do Governo e do PS, como afirma ?

    Para além de toda a abrangência dramática que aponta e descreve, em que :
    “….as emissões de carbono mundiais continuarão a explodir”, aponta Simon Zadek, do centro da Tsinghua. ”

    Grave, demasiado preocupante .
    Não só por nós hoje e aqui ainda neste planeta azul, mas pelo futuro sufocado dos que amamos !

    Aquelabraço até que doa, sempre.

    ! e para desentristecer, vamos curtindo com algo que ainda temos para lavar almas e aflições :

    https://www.youtube.com/watch?v=WLN7BBY9Zvw : )

    • Ana Moreno says:

      Ah, nunca esperei ouvir esta música pelo Sérgio Godinho, mas ficou uma versão bem gira! Obrigada, Isabela, abração!

  5. Julio Rolo Santos says:

    As alterações climáticas estão na ordem do dia mas não passam disso. Discute-se o que se passa lá fora ,em matéria de alterações climáticas, mas ignora-se, ou faz-se por ignorar, o que vai ca dentro. Os incêndios e os incendiários que são os responsáveis pelas alterações climáticas, mais do que o fumo que sai pelo escape dos automóveis, são ignorados e, no entanto, todos os anos se repetem sem que nada seja feito, antes se promove e desenvolve a indústria dos fogos que dá milhões a uns quantos parasitas que vivem da desgraça alheia. Os governantes sabem-no e ignoram-no e o povo já se habituou á situação e só deseja, em cada ano que passa, que o fogo não lhe chegue ao seu quintal. No entanto, uma simples alteração legislativa que permitisse perseguir o incendiário e quem vive á sua custa, para o resto das suas vidas, obrigando-os a pagarem monetariamente por todos os prejuízos causados. Mas não, todos ou quase todos são considerados inimputáveis e os que o não são, apanham uns anitos de prisão mas a recompensa do seu ato já lhe entrou na carteira por parte do seu mandante. Os governantes limitam-se, em cada ano que passa, a fazerem o balanço da área ardida, regozijando-se pela diminuição da área ardida, com números fictícios. Assim vai um país mais preocupado com o que se passa lá fora, para o entretenimento de quem nasceu, vive e morre cá dentro. Apesar de tudo, sejamos todos felizes, ainda que hipócritamente.

    • abaixoapadralhada says:

      Bem dito

      ” mas a recompensa do seu ato já lhe entrou na carteira por parte do seu mandante”

      Mas a mim não me interessa quem é o incendiário, apenas que seja obrigado a dizer quem lhe pagou para atear os fogos.

      Mas ao não se conseguir isso, talvez por falta de meios ou interesse, o incendiário estar preso ou não, é um pormenor que de positivo só tem que este na prisão não ateia fogos. Mas depressa arranjam outros,porque dinheiro não deve faltar.

    • Ana Moreno says:

      “Discute-se o que se passa lá fora ,em matéria de alterações climáticas, mas ignora-se, ou faz-se por ignorar, o que vai ca dentro. ” Neste mundo globalizado em que vivemos, o que se passa cá dentro tem muitas vezes a ver com o que se passa lá fora. Falar da destruição do Amazonas tem a ver, por exemplo, com o facto do gado europeu “pastar” no Amazonas, por via das rações de soja. Claro que os incêndios são prejudiciais em todo o lado e há o mais possível que se lhes pôr cobro, mas não chega olhar para o que se passa cá dentro.

  6. Julio Rolo Santos says:

    Se não somos capazes de arrumarmos a nossa casa como podemos querer arrumar a casa dos outros? Os incêndios e incendiários não são de hoje e, no entanto, continua tudo mudo e quedo como se nada aconteça. Os governantes agradecem que não os chateiem com os problemas internos e esfregam as mãos de contentes quando vêem as pessoas viradas para os problemas exteriores. Assim não dá.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.