Urânio embrutecido

dtf

Na sequência do assassinato do general Soleimani, eis-nos perante a primeira consequência nefasta da estupidez unilateral de Donald Trump, com o Irão a anunciar ao mundo que se afastará ainda mais do acordo de 2015 e que deixará de respeitar os limites impostos ao enriquecimento de urânio.

De uma assentada, temos um Irão ainda mais empenhado no desenvolvimento de um arsenal nuclear e mais afastado ainda de qualquer entendimento com o Ocidente. Junte-se a isto o orgulho ferido pelo duro golpe contra o topo da hierarquia da República Islâmica e a necessidade de provar à nação que o Irão é uma potência que não se verga ao imperialismo norte-americano, e que vingará a morte do seu general, e temos a receita perfeita para mais um desastre no Médio Oriente. O lobby americano do armamento, o Daesh e a Arábia Saudita, mecenas maior do terrorismo sunita, agradecem encarecidamente.

Comments

  1. Luís Lavoura says:

    um Irão ainda mais empenhado no desenvolvimento de um arsenal nuclear

    Acha? O Irão sempre disse alto e bom som que rejeita as armas nucleares e até, creio, que as considera anti-islâmicas.

    O Irão quer enriquecer urânio, principalmente, para as suas centrais nucleares de produção de eletricidade. Elas precisam de urânio enriquecido como combustível, e o Irão não quer depender da importação para obter esse combustível, sob risco de ficar ainda mais sujeito a boicotes.

  2. Paulo Marques says:

    Por acaso é a segunda, a primeira foi a votação do parlamento iraquiano para as tropas saírem. Conta o PM lá do sítio que foi usado para convocar um cessar/abrandamento de hostilidades com o canalha defunto.
    Não vou ao ponto de achar que querem urânio para centrais eléctricas, não que sejam má opção, mas porque é mais um sinal de que só se está seguro do império quando se tem uma faca que o faça sangrar.


  3. Os amigos do general fartaram-se de o avisar que não era seguro surfar nas redes sociais americanas… mas ele teimou em mostrar-se aos amigos…

    Uns dias depois da sua morte, o Irão retalia, mas avisa primeiro, para ninguém se aleijar. Lança 12 misseis contra duas bases militares iraquianas, aonde estavam também uns soldados americanos a dar formação… Não provocou mortes nem feridos, mas classificou o ato como “Grande Vingança”.

    Ah! e, para além dos mísseis também abateram um avião comercial com destino à Turquia, cheio de passageiros, entre os quais o expião ou os expiões que tentavam a fuga. Talvez fosse aquele ou aqueles que organizaram a morte de Solimani. Esta sim, FOI A GRANDE VINGANÇA.

    É de duvidar se o homem morreu de facto, se não lhe aconteceu o mesmo que com Bin Laden; cortou a barba e o cabelo e foi viver calmamente para o sol da Califórnia…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.