E você? Ainda tinha dúvidas sobre André Ventura?

av

via Expresso

Num artigo de opinião que é um rasgado elogio a Matteo Salvini, André Ventura mostra-nos, caso não tenhamos reparado, quem é, quem são as suas referências e ao que vem. Um estado mínimo e autoritário, propaganda populista, demagoga e desonesta, menos impostos para os mais ricos e desrespeito pelas instituições democráticas. Em linha não só com Salvini, mas também com Bolsonaro, Trump ou Orbán. O tal plano B das brigadas neoliberais. [Read more…]

O califa de Mar-a-Lago

No espaço de uma semana, três atentados terroristas nos EUA ceifaram a vida a mais de 30 pessoas. Primeiro na cidade californiana de Gilroy, de seguida em El Paso, cidade fronteiriça de New Mexico, e, finalmente, em Dayton, Ohio. E se é certo que tiroteios são o prato do dia nos EUA, o elevado número de atentados em tão curto espaço de tempo é revelador destes tempos sombrios, ainda mais sombrios do que aqueles a que fomos habituados pelo Tio Sam. [Read more…]

O racismo de Trump termina onde começa o dinheiro dos outros

dt.png

O rapper A$AP Rocky foi detido em Estocolmo, no passado dia 3, devido ao envolvimento numa rixa, tendo sido acusado pela justiça sueca de agressão. O músico norte-americano poderá apanhar até 2 anos de prisão.

Na sequência da detenção, Donald Trump decidiu intervir, e, sem surpresas, usou a sua conta no Twitter para atacar o governo e a justiça sueca, intrometendo-se, como é seu hábito, na soberania de terceiros. [Read more…]

Donald Trump & friends

DT.jpg

Ninguém lhe arranja uma cimeira (ou um negócio de armamento) com o ayatollah Ali Khamenei?

Trump e Kim: como branquear a brutalidade do mais violento dos ditadores

TK.jpg

Foi, efectivamente, um momento histórico e sem precedentes: nunca o líder de um Estado democrático fez tanto para branquear a brutalidade do mais violento ditador à face da Terra. Pior: nunca nenhum o fez a troco de rigorosamente nada. Aguarda-se, com expectativa, a inauguração da primeira Trump Tower em Pyongyang.

É oficial: a Huawei já não está a espiar ninguém

Há coisa de um, dois meses, comprei um Huawei. Comprei por ser um bom telemóvel, segundo o meu guru dos telemóveis, que confirmou ser uma excelente opção pela vantajosa relação qualidade-preço.

Dias depois, o lunático que manda nisto tudo decidiu fazer a folha à Huawei. Alegadamente porque a China estava a usar o gigante tecnológico para espiar os EUA e o Ocidente. E se calhar até está, tanto quanto os EUA espiam o mundo inteiro com um vasto leque de tecnologias desenvolvidas para o efeito.

Desculpas para enganar malta que degusta gelados com a testa à parte, era mais que óbvio que o cerco a Huawei foi apenas mais um capítulo de uma guerra comercial entre China e Estados Unidos, que nos poderá empurrar a todos para um abismo bem mais profundo que o de 2008. Seja pela possibilidade da China inundar os mercados com dívida americana, da qual é o maior credor, seja pelas sanções contraproducentes, que prejudicam a arraia miúda e às quais os senhores do dinheiro continuam e continuarão imunes, seja pelo potencial para escalar militarmente no Pacífico.

Entretanto, o G-20 reuniu-se e Trump andou por lá a roçar-se em alguns dos ditadores mais canalhas que o planeta pariu, como o talhante saudita ou o oligarca-chefe da mother Russia. E no regresso ainda foi apertar a mão ao Kim da Coreia. Mas antes de bater continência ao senhor absoluto de Pyongyang, Trump reuniu-se com Xi Jinping e levantou as sanções à Huawei. Parece que, afinal, já não estão a espiar ninguém. Ainda não é desta que fico sem acesso às aplicações e o Google pode continuar a espiar-me à vontade e a entregar os meus (nossos) dados à espionagem norte-americana. Tudo está bem quando acaba bem.

Humor e liberdade


A decisão anunciada pelo New York Times de pôr fim à publicação de “cartoons políticos” é provavelmente o melhor indicador do estado geral de indigência a que chegou a democracia norte-americana sob a gestão de Donald Trump.

Na origem desta atitude está a publicação, em Abril passado, de um desenho de António – porventura o artista gráfico português mais conhecido e reconhecido internacionalmente – satirizando a relação subserviente do presidente dos EUA para com o primeiro-ministro de Israel. [Read more…]

Da série “nunca me engano e raramente tenho dúvidas”

 

Sabe mais que todos sobre quase tudo e raramente tem dúvidas. É, no fundo, o ser mais genial à face da Terra. Pelo menos para o próprio.

Sim, é um auto-retrato absurdo e fantasioso, em linha com a narrativa absurda e fantasiosa que vem marcando a era Trump. Contudo, por trás deste aparente doido varrido que chegou a presidente dos estado mais poderoso do mundo, e que por lá deverá ficar mais um mandato, não está um palerma qualquer. Porque um palerma qualquer não consegue enganar milhões de americanos e não-americanos, depois de tudo o que fez e faz. [Read more…]

O Buraco Negro

A Coreia do Norte é uma democracia, Bolsonaro dixit

bb.png

A designação oficial da Coreia do Norte é República Popular Democrática da Coreia. Lamentavelmente, tal nomenclatura nunca garantiu grande popularidade, fora ou dentro de portas, com a excepção da pequena cúpula do poder que dirige o regime com mão de ferro. Muito menos se trata de uma democracia. É, aliás, a sua antítese. [Read more…]

Terrorismo fascista

jbdt.jpg

A Nova Zelândia, um país pacífico que ocupa o topo da cadeia alimentar das nações mais desenvolvidas e com maior qualidade de vida do planeta, foi na Sexta-feira palco de um atentado terrorista, o mais grave da sua história (se é que houve outro), que resultou em dezenas mortos e feridos.

O autor do atentado é um terrorista de extrema-direita, que afirma inspirar-se em personagens sinistras como Anders Breivik, e que elogia Marine Le Pen e Donald Trump como “símbolo de identidade branca renovada”. A agenda da violência, da intolerância, do racismo e da islamofobia começa a colher os seus frutos. [Read more…]

Reféns da nossa irrelevância militar

GF

Quase 30 anos depois do fim da Guerra Fria, o palerma americano e o czar russo entretêm-se a rasgar contratos de não proliferação e a falar abertamente sobre a instalação de mísseis na Europa, como quem fala de um corte numa prestação social. E nós aqui no meio, reféns da na nossa irrelevância militar, a ser tomados de assalto por fascistas apoiados pelos dois.

Trump, Bolsonaro e as piadas que se fazem sozinhas

TB.jpeg

Cartoon: Carlos Latuff@Mondoweiss

Donald Trump, o BFF do Kim da Coreia que come na mão de Putin, quer trabalhar em conjunto com Bolsonaro, o adepto da ditadura militar que quer metralhar adversários políticos, para combater os regimes autoritários. Isto está é para os humoristas. Bem que podem passar o dia todo no café, que as piadas já se fazem sozinhas.

Sem saber ler nem escrever

DT.jpg

Trumpalhada, poupem-me de merdas: um presidente não tem que ter 10 mestrados e 4 doutoramentos. Mas ler e escrever são requisitos mínimos. Até para um nacionalista (principalmente para um nacionalista?), a quem o novo politicamente correcto me obriga a chamar conservador. Como o gajo da Arábia Saudita, que manda fatiar jornalistas, mais o Orbán e o Bolsonaro. São todos conservadores e até bastante liberais. Já agora, que raio de nacionalistas são estes, que não respeitam o valor da língua materna? Que falam de tradições e raízes, mas não se dão ao trabalho de escrever correctamente? [Read more…]

Dois ditadores entram numa cimeira do G20

 

Na cimeira do G20, dois ditadores cumprimentam-se com aquele entusiamo de quem faz do presidente da superpotência mundial a sua bitch. Diz quem esteve por lá que trocaram ideias sobre como eliminar opositores e jornalistas, à bruta e sem consequências, sem prejudicar os seus investimentos na Europa dos Direitos Humanos. E que o dia terminou com a visualização da pee tape de Donald Trump.

Make money great again

DTMBS

via Editorial & Political Cartoons 

Como cortar jornalistas incómodos às postas sem sofrer consequências:

  1. Ser “conservador”.
  2. Ser religiosamente fanático.
  3. Investir milhares de milhões em armamento norte-americano.
  4. Não incomodar Israel.
  5. Incomodar o Irão.

Distracções

DTP.jpg

Noam Chomsky considera Donald Trump uma distracção. E talvez o seja. Enquanto milhões se agarram aos televisores e ao Twitter, para visualizar ou ler a mais recente palermice ou machadada na credibilidade dos EUA, vendem-se armas a facínoras, cozinha-se a próxima crise financeira mundial e o 1% aproveita as borlas fiscais para fazer o seu capital great again, antecipando a época de saldos que chegará quando o próximo Lehman Brothers cair. [Read more…]

Trump, Chomsky e as línguas

Quem quer ouvir pintar em inglês do Mali?

— GNR

I’ll tell you what I want, what I really, really want
So tell me what you want, what you really, really want
I wanna, (ha) I wanna, (ha) I wanna, (ha) I wanna, (ha)
I wanna really, really, really wanna zigazig ah

— Elijah Wood (o original é este e eis um bónus)

***

Segundo a versão do Politico («Without the US, the French would be speaking German»), Donald Trump terá escrito que, sem a intervenção dos EUA na Segunda Guerra Mundial, hoje em dia, os franceses estariam a falar alemão — como língua dominante no território francês, entenda-se. Já agora, fica aqui uma nótula informativa a indicar que a paisagem linguística do hexágono é extremamente complexa e interessante e, já agora, há vida francófona além do hexágono.

Adiante.

Com esta asserção do presidente dos EUA (a veiculada pelo Politico, a original encontra-se no chilreio), depreende-se que Trump não lê, não escuta, não ouve (ou — existe sempre esta hipótese — não concorda linguisticamente com) Chomsky. Há uns anos, perante a pergunta de  Al Page “porque é que a língua francesa é tão diferente da alemã?”, Chomsky criticou implicitamente o ‘tão’, retorquindo que Page estava a partir do princípio de que a língua francesa era diferente da alemã.

Além desta pequena provocação, deixo-vos uma linda imagem do sítio do costume, desta vez, sem fatos, sem contatos, mas com um belíssimo panorama de um aspecto que só tenho difundido em dias de Orçamento do Estado. Tradutores Contra o Acordo Ortográfico, obrigado pelo mote.

Efectivamente, ontem, no sítio do costume.

***

Checks and Balances

EUA

Hoje, os norte-americanos regressam às urnas para uma eleição intercalar que poderá dar um de dois importantíssimos sinais ao mundo. Podíamos entrar aqui numa discussão muito em voga, sobre a verdade e a mentira na era dos factos alternativos, mas o Partido Democrata não é propriamente uma entidade impoluta. Contudo, vivemos tempos conturbados, em que as disputas entre esquerda e direita, liberais e conservadores, se tornaram praticamente irrelevantes perante a grande batalha do século XXI. Uma batalha pela liberdade, ou pelo que resta dela, contra os novos autocratas que emergem das democracias liberais para acabar com elas.  [Read more…]

Cesar Sayoc e a alvorada do terrorismo liberal-fascista

Fotografia via New York Magazine

Chama-se Cesar Sayoc, tem 56 anos e um extenso registo criminal (esteve preso em 2015), e, avança a imprensa nacional e internacional, é o principal suspeito pelo envio de engenhos explosivos para a casa de várias figuras do Partido Democrata. Sayoc é também membro do Partido Republicano e apoiante entusiástico de Donald Trump, daqueles que se dedicam, com afinco, a destilar ódio e a partilhar propaganda e conspirações do Breitbart nas redes sociais. Um dos muitos mujahedines produzidos na fábrica de androides fascistas do trumpismo.

Cesar Sayoc, a confirmarem-se as suspeitas da justiça norte-americana, conspirou para assassinar várias pessoas, por motivos ideológicos. Uma consequência directa desta nova narrativa de divisão e ódio, alimentada diariamente por um presidente bélico, que destrata os aliados da NATO com a mesma convicção com que declara o seu amor por Kim Jong-un. Com a mesma determinação com que procurou amparar o cliente saudita, após o brutal (e encomendado) homicídio de Jamal Khashoggi. Com a mesma paz de espírito com que desvaloriza a violência racial. [Read more…]

Em direcção ao precipício

 

A estratégia de ódio, desinformação e mentira, desta perigosíssima extrema-direita reeditada, mas igualmente violenta e intolerante, alimentada por Trump e respectivos apóstolos, começa a dar frutos.

Na Quarta-feira, vários engenhos explosivos foram encontrados nas residências de figuras de relevo do Partido Democrata, como Barack Obama e Hillary Clinton, e na redacção da CNN, os “inimigos do povo”, como o troglodita americano gosta de lhes chamar. Ontem foi a vez de Robert de Niro, que não é politico, mas que não poupa nas críticas a Trump. [Read more…]

Sejam bem-vindos ao esgoto virtual da direita radical, onde laranjas e nazis chafurdam lado a lado

A peça é do DN mas teve ecos um pouco por toda a imprensa nacional. Resumidamente, a reportagem revela que várias páginas de Facebook, alinhadas à direita e amplamente conhecidas pelas fake news que publicam, pela deturpação de informação e pelo ataque cerrado e constante a tudo o que mexe à esquerda da ala mais à direita do PSD são propriedade de uma só pessoa: João Pedro Rosas Fernandes, aparentemente o primeiro empresário português do sector das fake news. Isto, claro, se exceptuarmos a esmagadora maioria dos partidos políticos e as agências de comunicação que produzem mentiras e outros tipos de esterco por encomenda. [Read more…]

Mar-a-Lago School of Diplomacy

Fotografia via Jornal Económico

A meio da semana, vi Trump afirmar perante a imprensa norte-americana que a sua filha Ivanka seria uma excelente sucessora de Nikki Hailey, a representante demissionária dos EUA na ONU. Nas suas palavras, Ivanka seria “dinamite”, o que de resto faz todo o sentido. E, claro, Trump fez questão de sublinhar que tal decisão nada teria a ver com nepotismo, até porque, afirmou, não há no mundo alguém mais competente do que a sua filha. Nem com nepotismo, nem com diplomacia. Felizmente, Ivanka teve o bom senso de se demarcar de mais um anúncio estapafúrdio do presidente-palhaço. Até ver. [Read more…]

Trump e Bolsonaro: as provas vivas de que o capitalismo selvagem detesta a democracia

Imagem via Blog de Pablo Reis

A eleição de Trump, o anti-herói que alguns palermas ainda acreditam não representar os mais imorais interesses económicos, foi apresentado ao mundo como aquele que vinha para romper com o establishment e acabar com os poderes ocultos que nos conduziam para uma ditadura globalista. Não só não o fez como não há stock de Gout de Diamants que resista ao clima de celebração em que vivem os piratas de Wall Street, desde que o anormal foi eleito.

Com Bolsonaro sucede exactamente a mesma coisa. Aldrabado que está grande parte do povo, com uma campanha milionária totalmente focada nas redes sociais e na desinformação, largos milhões de ingénuos (ou imbecis) acreditam que Bolsonaro não representa a elite abastada do país. E a elite abastada do país já esfrega as mãos com o que aí vem. Porque a supressão de direitos e liberdades é sempre boa para o negócio, até porque pagar salários justos e dar condições aos trabalhadores é sempre uma maçada e o helicóptero não se mantém sozinho. Que o diga a bolsa de São Paulo, em contraciclo com o resto do mundo.

Não sei se repararam

 

Fotografia: AFP

mas a administração Trump ameaçou a Europa com “consequências terríveis“, caso insistam no acordo com o Irão. Só espero que não mandem para cá o atrasado mental do Bolton. A nível de tralha fascista, já nos chega ter que levar com a besta do Bannon a pregar as doutrinas do racismo e da violência na Europa. Bom bom era largá-los os três num barco de borracha sem remos. algures no Mar Mediterrâneo.

Uma besta quadrada chamada Donald Trump

A pulseira “tudo incluído” de Rio

O que Rui Rio disse, no Algarve, é que a Geringonça vive à custa de Trump. Tem alguma razão.

Fake news

Os neo-fachos devem estar loucos

Trish Regan é pivô e apresentadora da Fox, estação televisiva famosa pela forte aposta em fake news e pelo apoio incondicional dado ao chorrilho diário de parvoíces regurgitadas por Donald Trump. Na passada semana, e na ânsia de associar a ascensão de uma tendência mais à esquerda no Partido Democrata – uma esquerda que, traduzida para a realidade portuguesa, nunca passaria de um Partido Socialista, mas que, no entender da jihad conservadora norte-americana, equivale ao mais violento comunismo – à Venezuela, a apresentadora decidiu brindar os seus espectadores com uma das comparações mais imbecis da história da manipulação da opinião pública norte-americana, ao comparar a Venezuela à Dinamarca[Read more…]

A fortuna de Evo Morales e outros crimes sem importância

Há pouco mais de uma semana, um dos temas quentes na imprensa portuguesa foi o estratosférico saldo bancário acumulado pelo presidente da Bolívia, Evo Morales, que passou de 21.276 mil dólares, em 2006, ano em que foi eleito pela primeira vez, para os actuais 58.681. Apesar de não faltarem em Portugal presidentes de junta que em menos de um ano desviam bem mais do que esse valor, através de ajustes directos para família, amigos e esquemas que revertem para os próprios ou para futuras campanhas, às claras e perante o silêncio generalizado da esmagadora maioria da população, a fortuna de Evo Morales foi por cá motivo de grandes discussões filosóficas e linchamentos virtuais que duraram vários dias. [Read more…]

%d bloggers like this: