Os chineses estão a fazer tudo bem, de certeza

Sou tão infantil como sempre fui e morrerei assim. Um dos sintomas da minha infantilidade é o espanto que me provocam as certezas absolutas de que o espaço público está cheio. O espaço público, esclareça-se, pode ser um café com dois clientes bêbedos, uma conferência de imprensa do primeiro-ministro ou o fascinante mundo das teorias da conspiração que está espalhado pelas redes sociais virtuais.

Há pouco fiquei a saber que, segundo a directora-geral de saúde, os chineses estão a fazer tudo o que deve ser feito para combater o vírus da moda. Não consigo perceber como é que, mesmo sendo uma pessoa tão informada, alguém consegue afirmar, a milhares de quilómetros de distância, que há uma nação inteira a fazer o que deve ser feito. Eu, confesso, não faço a mínima ideia se os vizinhos do lado lavam as mãos depois de fazerem as necessidades ou outra coisa qualquer desnecessária.

Isto faz-me lembrar outros tópicos da certeza absoluta, com ocorrências como “os portugueses sabem que…”, regurgitado por políticos espectacularmente omniscientes, ou “Deus quer que…”, afirmado por pessoas que têm ligação directa à Providência.

O meu espanto infantil, portanto, mantém-se, mas a minha ingenuidade desapareceu: antigamente, ficava com a impressão de que as pessoas das certezas absolutas possuíam um saber igualmente absoluto; hoje, sei que são tão ignorantes como eu. Esta certeza não me deveria trazer tanta tranquilidade, mas a minha leveza quase leviandade leva-me a viver neste tédio de saber que não controlo nada, pelo que tenho de me conformar por estar no lugar do morto.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Não espero um final como o do Titanic, com a orquestra a tocar para uns quantos, cujas balsas há muito estão encomendadas, enquanto outros, no qual me insiro, se conformarão com a sua sorte de enclausurados no gueto dos **didos.

    Se há uma coisa que o Corona vírus nos mostra, é que enquanto a economia global não respeitar vários parâmetros, como por ex: o clima, o consumismo desenfreado, a justiça social, regulação de mercados, etc, nunca sairemos destes ciclos epidémicos, que existirão sempre, mas podendo ser estancados à nascença, acabam sempre por se expandir em grande escala.

    Estou a ouvir o patrão da CIP, António Saraiva, no 360°, na RTP3. Até parece o líder do BE a falar. Recomendo. Pena é que só agora diga o que disse.
    Quem tem cu, tem medo!

    • Paulo Marques says:

      Não vi, mas imagino que seja a falar sobre o problema da globalização desregulada, abertura à China incluída, uma revelação recente do camarada, agora que acabou a mama europeia que lhe comprou a carreira. É uma chatice a realidade não ser compatível com o monetarismo.

      • Rui Naldinho says:

        Pois é isso mesmo. A globalização para eles só é boa quando serve os seus interesses. Neste caso já não lhes está a servir.
        Não foi esta gente que sempre desejou uma globalização sem regras? Em especial na transferência de capitais, na desregulação do mercado de trabalho, no aligeirar das regras ambientais, na menoridade fiscal?
        Agora queixem-se.
        No continente asiático, com excepção do Japão, porventura, as regras e as boas práticas, a todos os níveis, estão muito aquém do que é exigido aos Europeus. Não é por acaso que importámos a «gripes das aves », «abelha asiática », «Corona vírus, « Peste suína (O vírus é endêmico da Africa Subsaariana, mas espalhou-se pela China, maior produtora de carne suína do mundo) ».
        Estavam à espera de quê?
        Este planeta irá sucumbir às mãos da sua própria ganância.

        • Paulo Marques says:

          Em termos de produção alimentar não damos grandes lições. O grande aumento de intolerâncias alimentares, incluindo as minhas, são de genuína origem europeia.

  2. esteves ayres says:

    Desde pequenino que não acredito no pai natal , nem tão pouco na mãe natal, mas acredito que patrão da CIP , é um (dos tantos) exploradores dos trabalhadores portugueses , que queiram fazer de nós uns totós. E pretendem com tudo isto aproveitarem-se para uma vez mais (chorarem lagrimas de crocodilo) arrancar uns tantos euros do impostos e taxas sobre os trabalhadores ( Povo em geral).E como sabemos, este governo de direita do PS de Costa e Centeno espera-se tudo – desde que seja para agradar ao capitalismo e as empresas exploradoras – Que nunca fizeram nada pelo País

    Um desabafo , e porque hoje é sábado

  3. esteves ayres says:

    Não é meu habito fazer propaganda aos jornais controlados pela burguesia – mas parece-me de grande importância este artigo que confiou ao jornal, a, nossa concidadã que vive em Macau: https://leitor.expresso.pt/diario/sexta-74/html/caderno1/temas-principais/puxadores-de-portas-e-botoes-de-elevadores-desinfetados-hora-a-hora.-a-experiencia-de-uma-portuguesa-residente-em-macau

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.