Porto Invicto

tviContinua a campanha centralista por parte dos órgãos de comunicação. Continuamos a ter Lisboa considerada o arquétipo da perfeição e o resto do país como paisagem. Do Norte a Sul, os portugueses merecem respeito. O Porto também merece. Um Porto exemplar nesta luta que devia ser de todos. Uma luta contra as mentalidades mesquinhas que tentam diminuir o resto do país.

Ao contrário de muitas regiões que já se renderam à capital, o Porto diz não.

Comments

  1. Dragartomaspouco says:

    Parece a conversa do gângster do viagra

  2. Eles andam aí ... says:

    Eles andam aí …

  3. abaixoapadralhada says:

    ” Uma luta contra as mentalidades mesquinhas que tentam diminuir o resto do país.”

    Ao menos os Bolsonaros e Trumpas dizem ao que vêm
    Facharia liberoide envergonhada

  4. Julio Rolo Santos says:

    Nesta luta pela independência, Coimbra fica de fora.

  5. Paulo Marques says:

    E a Figueira?
    Mas, sendo honesto, as imagens não querem dizer grande coisa. Fora um local não ser uma região inteira, ainda no outro dia circulava no twitter um post com duas imagens: uma tirada da frente da fila para uma loja (noutro país) com uma objectiva que fazia parecer que estavam todos uns em cima dos outros, e uma de mais longe em que se via que estavam todos correctamente distanciados.

    Voltando à propaganda, se os casos sobem no Norte foi porque se continuou a trabalhar onde se produz, e não onde se faz chamadas ou se vende bugigangas, sardinhas e pastéis de nata. Ah, minto, faltam os galos de Barcelos e a parafernália com a cara do Ronaldo.
    Somos todos iguais, o resto é o provincianismo já há muito bem descrito pelo Eça.

  6. Dragartomaspouco says:

    “Voltando à propaganda, se os casos sobem no Norte foi porque se continuou a trabalhar onde se produz”

    Como disse aqui alguém: agua e sabão e muito

    • Paulo Marques says:

      Hmmm, em quem confiar, em quem conhece o terreno e sugeriu com conhecimento de causa (não que me lembre quem), ou quem só aparece para insultar uma cidade e os seus cidadãos. Escolha difícil.
      Minto, também aparece para desculpar os crimes de um traficante de droga que paga a polícias, jornalistas, juízes e funcionários públicos para sair ileso. Opah, vou já concordar.

      • Dragartomaspouco says:

        Se estas a falar do Pinto Junior, eu nunca disse que o rapazola é traficante de droga.
        Nessa Mafia, esse departamento é do “macaco” empregado do Pinto senior.

  7. Luís Lavoura says:

    Não sei quantos lisboetas aproveitaram o dia de sol para “passear”. Sei que ontem ao fim da tarde um jardim de Lisboa, perto do qual resido, estava cheio de grupos de pessoas estendidas pela relva a conversar. O distanciamento social era pouco ou nenhum, e não estavam ali a fazer exercício, certamente.


    • Se calhar não é tão grave assim, “diz que” os ultravioletas matam o “bicho”…

      • Luís Lavoura says:

        Eu também não acho nada grave que as pessoas vão apanhar sol e ar, para o jardim e para a praia, ou para onde fôr, aliás eu também o faço.
        Sei é que isso era considerado uma contravenção ao Estado de Emergência. As pessoas só eram autorizadas a sair de casa para fazer exercício, não para apanhar sol. As forças da repressão do Estado reprimiam os cidadãos que procuravam simplesmente estar ao ar livre, sem fazer exercício nenhum.

      • Paulo Marques says:

        Matam, mas é preciso uns minutos para actuarem, minutos que não existem quando se fala de partículas que ainda estão no ar por falar ou tossir a curta distância.

  8. POIS! says:

    Pois não entendo!

    A razão desta posta (desta vez, de goraz).

    Afinal trata-se de uma televisão privada, que opera no mercado e desenvolve uma estratégia coerente para chegar aos consumidores, e tal. E se a estratégia de agaradar aos do Sul dá audiências porque são mais…é o mercado! Ó prá mãozinha invisível a funcoionar!

    Mas deixe lá, Sr. Figueiredo. sei de fonte segura que, na próxima vez,, vão apresentar alentejanos a passear de burro em plena A2 para toda a gente se rir. Menos os próprios mas, como são poucos e velhos e com pouco poder de compra, que se lixem. É o mercado a funcionar, carago!

    • Dragartomaspouco says:

      “É o mercado a funcionar, carago!”

      Não diga carago, porque como dizia o outro, que é muito comprido e que também contribuiu muito para aquele “peditório”:

      “carago, não, carago”

      O peditório, arranjou-lhe um tachinho na Petrogal, que os amigos são para as ocasiões

  9. Albino manuel says:

    Falta de higiene, só isso. É só desembarcar em Campanhã

    O pior mesmo é aturá-los. Completamente pacóvios de uma cidade média, berram, berram, e lá temos o estado a pagar.

    O Porto não quer saber do norte para nada. O porto quer ser a capital do norte para mamar no OGE. O porto encolhe os ombros a Braga, Viana, Vila Real ou Bragança.

    Essa cidade de segunda não se conforma em sê-lo. Mas é e será.

    É fácil reconhecer alguém do Porto. Por muitos que sejam os tiques, nunca conseguem ser civilizados..

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.