Eu pago, tu pagas, o banqueiro lucra

No mundo encantado da banca, o banqueiro ganha sempre.

Se os tempos são de prosperidade, o banqueiro ganha.

Se os tempos são de crise, os contribuintes abrem os cordões à bolsa e o banqueiro ganha.

Nos restantes tempos, como nos outros, vale tudo. Desde que o banqueiro ganhe.

Agora, os tempos são de aumento de comissões. E de duplicação de lucros. E de generosas distribuições de dividendos. Melhores tempos virão. Para eles, claro. Para nós é sempre entre o aumento de custos e o resgate financeiro.

Comments

  1. Júlio Santos says:

    Quando dão prejuízo ou o lucro que eles pretendem, O ZÉ PAGA.

  2. estevesayres says:

    “No contexto actual, no nosso país, os capitais que eventualmente sejam alocados a uma reindustrialização provirão do BCE, intermediados pela banca, pelas instituições europeias e pelo Estado (através dos programas de fomento do empreendedorismo, inovação, capitalização das empresas e quejandos), e tendo em conta tanto a inflação galopante como o carácter subordinado de Portugal no quadro da agremiação imperialista UE, o dinheiro disponível será relativamente escasso e para fins predeterminados, em função da já citada divisão europeia do trabalho promovida pela Alemanha, França, Holanda, Escandinávia e restantes parceiros ricos.
    Assim, reindustrializar em contexto capitalista irá ser sinónimo de empobrecer para os trabalhadores em Portugal. Inflação, desvalorização salarial promotora de condições propícias à reindustrialização, destruição do serviço nacional de saúde, da escola pública e da segurança social por forma a alocar recursos à remilitarização e rearmamento – será este o cenário que o proletariado terá que enfrentar se se mantiver desorganizado.
    Este devir não se apresenta, no entanto, estéril de oportunidades progressistas.”! (retirado de um texto que tem como titulo” Um projecto de reindustrialização burguês”, que muitos de nós temos vindo a dizer)…

  3. Paulo Marques says:

    É sinal que a liberalização e união bancária têm produzido competição, em tempos de crise não há esforço para optimizar processos para não subir preços.

  4. JgMenos says:

    A cambada esquerdalha faz questão de manter a trama de não distinguir Accionista – Bancário – Banqueiro.
    No meio dessa trama, parece-lhes normal que: a empresa lhes pague o salário pelo banco, que pague a água e a luz e a renda de casa sem mexer uma palha; levante uns dinheiros quando lhe apetecer sem pagar a ponta d’um corno!

    A imagem do gordo, sentado num saco de moedas d’ouro, a fumar um charuto, autoriza-lhe os sonhos mais húmidos.

    • Paulo Marques says:

      Ó camarada, a taxa de manutenção da conta e a taxa de conta a descoberto (que nem se pode desligar) não chegam para pagar os miliwatts que o PC precisa para o fazer? Até parece que é alguém que vai pessoalmente com o dinheiro à sede da EDP na China.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.