Os ajustes directos de Luís Montenegro

Há dias descobrimos que o escritório de advocacia do qual Luís Montenegro é co-proprietário era o mais recente avençado do papão socialista. Uma vergonha, parafraseando o seu futuro parceiro de coligação.

Hoje – talvez vocês o soubessem há mais tempo, eu não – vim a descobrir que as autarquias de Espinho e Vagos, ambas governadas pelo PSD, gastaram cerca de 400 mil euros no escritório do novo líder do PSD. São 10 contratos, todos por ajuste directo, no espaço de apenas 4 anos (2014-2018).

O facto de Montenegro ser de Espinho, de ser o seu partido que se senta na cadeira do poder e do próprio Montenegro ter no passado sido presidente da Assembleia Municipal não terá nada a ver com este desfecho. Se fosse do PS teria, mas a malta do PSD é impoluta, não se mete nesses esquemas. São ajustes directos do bem. Tão do bem que nem o Ventura, seu potencial futuro ministro, solta um pio.

Em todo o caso, e a julgar pelo caso do contrato com o Banco de Fomento, sobre o qual aqui falei há dias, não vale a pena levantar ondas. Como muito bem explicou o seu sócio, algo que, seguramente, se aplicará também a este caso, Montenegro não terá tido interferência directa nestes negócios entre o seu escritório e as autarquias geridas pelo partido que agora lidera. Mas que raio de ideia estapafúrdia. Como poderia ele ter qualquer tipo de relação com negócios avultados entre autarquias governadas pelo partido que lidera e o escritório de advocacia sua propriedade? Só um grandessíssimo invejoso poderia achar tal coisa.

Comments

  1. Joana QUelhas says:

    A culpa é do Chega. Já disse!
    Porquê ? Então não sabem? é xenofogo, homofóbico, fascista, eletricista, taxista…acrescentar a gosto qb.
    É preciso fazer um cerco sanitário ao Chega.
    O comuna Mendes está a fazer um bom trabalho porque na sua boa fé acha que deitar abaixo o novo líder do PSD promove o VLOCO .
    O Chega agradece.

    Joana Quelhas

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      Repito aqui o que já disse algures.

      Devem ser comentários como este que espelham, segundo a Quelhas, o “elevado” nível intelectual da Direita.

      De que a Quelhas é, como é óbvio, uma Suprema Pensadora de Referência.

      Na minha opinião, para ser perfeita, só falta à Quelhas uma coisa: é ser póstuma. É assim que os Grandes Pensadores ganham credibilidade.

      Por enquanto, é difícil. A malta desconfia sempre que vê uma Suprema Pensadora ir à casa de banho.

    • Paulo Marques says:

      Não, não, a culpa é da Mariana escrever uma coluna no JN. Que são estes ajustes perante tal afronta?

  2. Rui Naldinho says:

    O nosso tecido legislativo está construído com uma série de respaldos para esta gente. A Lei devia ser clara e inequívoca. Quem quer ser titular de cargo público não pode usufruir de outras “recompensas” que não o rendimento que lhe advém do cargo.
    Se não gosta dos honorários de político em exclusividade, então que se faça à vida. Afinal o empreendorismo nesta terra, é tudo menos iniciativa individual. Ou melhor é uma verdadeira promiscuidade. E o liberalismo sabemos o que é. O Estado a meter dinheiro nas actividades que não lhe cabem por direito.

    • Paulo Marques says:

      Não é assim tão claro. E se tiver acções, vende-as todas, ou só as com dividendos? E outros productos financeiros com penalizações por antecipação? E se passar para a família, fica resolvido? E que se faz às recompensas pós-cargo, fica inempregável por uns anitos?

  3. Rui Naldinho says:

    “O comuna Mendes está a fazer um bom trabalho porque na sua boa fé acha que deitar abaixo o novo líder do PSD promove o VLOCO”

    Ó Minorca, disfarçado de saias, mas não foi isso que vocês andaram a fazer com o Sócrates, até plantarem uma Geringonca, no parlamento?
    Ora puxa lá bem por essa mona oca, e constarás que a tríade Cavaco, Coelho e Joana Vidal, acabou por se foder na sua estratégia?
    Não que Sócrates não seja um mafioso. Mas ver o PSD a falar de mafiosos só pode ser uma ironia. Não fosse o partido da São Caetano, à Lapa, um vespeiro deles.

  4. vitor manuel andrade silva marques says:

    Vá ver os ajustes directos a amigos socialistas, CS e portistas feitos pela câmara de Gaia entre 2018 e Julho 2019 (610 mil euros) Socialistas um passo sempre á frente do PSD.

    • Rui Naldinho says:

      O problema não são as mafiosices do PS. Só não as vê quem não quer.
      O problema é a vossa prosápia moralista, sempre a bem da pátria, do interesse nacional, como se a direita fosse exemplo para alguém, em matéria de corrupção, tráfico de influências e na gestão da coisa pública.
      Queres ver que os donos dos bancos, das edps, das galps, das PT’s, das sonaes, pingos doces, são tudo perigosos esquerdistas?
      PS e PSD podem-se fecundar um ao outro, a ver se conseguem parir mais um aborto como o Chega. Não fossem eles próprios filhos/as da corrupção e o Chega o seu novo descendente.

      • Joana Quelhas says:

        Nunca falha, o bestunto comuna não tem remédio.
        Ainda pergunta se as EDPs, Pingos Doces, etc são perigosos esquerdistas.
        Sim são perigosos , pois constituem uma associação de malfeitores juntamente com os Socialistas/Comunistas.
        Um empesa quando cresce o suficiente torna-se anti-capitalista pois sabe que o seu lugar estará sempre ameaçado pela concorrência que é promovida pelo capitalismo.
        Então surge o casamento perfeito. Com quem ? Com os políticos que também são anti-capitalistas .
        BINGO …os Comuno/Socialistas estão mesmo ali à mão se semear, e ainda por cima sedentos de dinheiro para alimentar os vícios que querem copiar aos capitalistas.
        Desta união perfeita nasce o dito “capitalismo de compadrio”, que tanto mal faz ás pessoas honestas e trabalhadoras, que não contam mais com o elevador social para melhorar as suas vidas . Para quem quiser melhorar a sua vida apenas tem o caminho : adaptar-se a BOY , e fazer o trabalho sujo .
        O bestunto dum Comuna/Socialista que depois de uma escolaridade pública estupidificante vive a olhar para as TV’s e a ler jornais “subsidiados” pelos políticos e grandes empresas , nunca vai perceber e continuará a pensar que temos que acabar com o … Capitalismo.

        Joana Quelhas

        • POIS! says:

          Pois tá bem!

          “Um empesa quando cresce o suficiente torna-se anti-capitalista pois sabe que o seu lugar estará sempre ameaçado pela concorrência que é promovida pelo capitalismo”.

          Em primeiro lugar: já que Vosselência é tu cá tu lá com esse tal de “capitalismo”, podia facultar-nos a morada e restantes contactos? A malta tem uns assuntos a tratar com ele. Agradecidos.

          Em segundo: pronto, ficamos a saber como funciona esta coisa da economia capitalista.

          Não podem existir grandes unidades, temos de voltar a impor o atomismo, a bem do sagrado mercado de concorrência primorosamente perfeita incansavelmente regulado pela mãozinha invisível (que, bem treinadinha, ainda pode ser útil para aliviar Vosselência).

          Temos de voltar às mercearias de bairro, padarias de bairro, talhos de bairro, peixarias de bairro, cafés de bairro, siderurgias de bairro, fábricas de automóveis de bairro, indústria aeronáutica de bairro(*), coca-cola de bairro ou até usinas militares de bairro que produzam mísseis de bairro para as festas dos Santos Populares.

          E promover campos de concentração de comuno/socialistas de bairro, ou ainda se entendem com o dono do talho e inundem o mercado de farinheiras enlatadas, com a conivência do execrável Estado.

          Seria o início do princípio do fim do nosso adorado capitalismo. Nem quero pensar numa coisas dessas. Que pavoroso horror!

          (*) No meu bairro já foi inaugurada uma. Uma vizinha mandou o marido alcoólico de uma janela do segundo andar.

        • Paulo Marques says:

          Ummm… então se o capitalismo promove a concorrência, como é que ela desaparece, exactamente? E, ummm, qual é o comité central que decide quando cresceu demais e o que fazer com ela? E, ummm, que não pode ser dona dos meios de comunicação (que já são bons quando são do australiano, mas enfim).
          Isso tá no programa do coisinho?

  5. vitor manuel andrade silva marques says:

    Correcção: entre 2018 e 2021

  6. POIS! says:

    Ora está provado!

    Que no PSD se anda a fazer um ajuste de contas.

    Perdão! Um ajuste não! Vários! E todos diretos!

    Continuo a dizer: para o PSD prevê-se um futuro montenegro, onde haverá choro e rangel de dentes!

  7. JgMenos says:

    Algum camelo, dentre os muitos que frequentam o Aventar, encara a possibilidade de contratar um advogado por concurso?

    • Paulo Marques says:

      Não sou eu que me vendo como virgem, pelo menos.

    • POIS! says:

      Pois parece que sim!

      Um tal de “Menos”. O concurso vai ser através de rifas. numeradas.

      Consta que o Montenegro já comprou umas 400 mil, mais ou Menos. O gajo não gosta de perder.

  8. luis barreiro says:

    400.000€ em 5 anos, o broco de extrume mama,do isso em 3-4 meses com observatórios e afins

    • Paulo Marques says:

      Não percebo desses números. Isso em ordenados de Catrogas e Frasquilhos, ou submarinos, ou em rendas a colégios e clínicas dá quanto?


  9. Eu é que não parvo, grita o presidente do Conselho de Administração.

  10. Albino Matos says:

    Co-proprietário diz-se, em port., comproprietário.
    É diferente de … sócio.
    Ele é sócio, n comproprietário…

    • POIS! says:

      Os dicionários dizem que coproprietário (no Acordo) e comproprietário são sinónimos. Usa-se mais comproprietário por ser essa a terminologia usada no Código Civil para definir uma situação em que uma coisa ou direito é objeto de um direito de propriedade comum a vários sujeitos – o seu regime consta dos artigos 1403º e seguintes.

      Quanto ao resto, tudo correto: é sócio, não comproprietário.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.