E da união da Opus Dei com o Chega, nasceu… o pai de Famalicão

Num país livre e democrático, seitas secretas e que conspiram na sombra contra o Estado de Direito não deviam ter lugar. É o caso da Opus Dei (ou da Maçonaria).
Da mesma forma, um Partido racista, xenófobo, homofóbico, aporofobico, é um Partido que afronta a Constituição da República e, como tal, também não devia ter direito a existir.
Ora, no Portugal do primeiro quartel do sec. XXI, a Opus Dei uniu-se ao Chega e pariu um espécime máis conhecido por pai de Famalicão. Um amish à moda do Minho.
Tal como a Opus Dei que lhe deu forma, afronta o Estado de Direito e as instituições democráticas e sente-se no direito de ter leis próprias para si e para os seus filhos, diferentes das dos comuns dos mortais.
Nada a que o Clero não tivesse direito nos tempos do Antigo Regime. Mas na altura, não precisavam de recorrer a tribunais.
É uma chatice.

Comments

  1. José Ferreira says:

    Comecem por acabar com a promiscuidade entre o Estado e a igreja e rever a concordata!

  2. Paulo Marques says:

    Na pós-verdade, democracia são os direitos decididos por e para gente de bem, e os nossos valores são tudo o que liberte os empecilhos a essa gente de bem.
    O grupo é um bocadinho mais restrito para os extremistas, à procura de culpado em qualquer lado, mas os outros estão bem com isso, se for preciso. Cenas de capítulos repetidos.

  3. Anonimo says:

    Calma que já estão aí. Ja deu um cheirinho do neo puritanismo woke aqui no pequeno jardim, daí a vasculharem twitters em busca daquela piada sobre gordas contada há 20 anos e exigirem despedimento é um pulinho.
    Regime de pensamento único, e quem discordar é qualquer coisa ófobo, e rege-se por ódio. Aproveitem, mas cuidado, convém não desviar um passo da Bíblia Woke, caso contrário, pelourinho.

    • Paulo Marques says:

      É, o Menos é só mais 10 anos e é silenciado no blogue. O RAP vai ser a primeira pessoa vedada no Avante. A Clarinha vai deixar de defender o feminismo e apoios à cultura só para as amigas. O Sr Portas vai ser obrigado a reconhecer que era o Ventura antes do Chega. Tá tudo cancelado.

      • Anonimo says:

        Desde que nao se aproprie da trança, pode continuar.
        É continuar a gozar, eu também acho piada a estas fantochadas, mas tenho consciência de que um dia me batem à porta. Aí tenho de baixar a garimpa. Ou emigrar para um pais sem wokes. No terceiro mundo há bastantes. Não se preocupam com generos e binarismos, estão ainda na fase de se preocuparem com fomes e doenças

        • Paulo Marques says:

          Pois, a chatice é que batem mesmo nas mulheres, nos negros, nos homossexuais, nos trans, nos grevistas, e por aí, com ou sem farda.
          Mas como não é consigo, não existe.

  4. JgMenos says:

    Que ou o que revela aporofobia, repulsa ou hostilidade contra pessoas em situação de pobreza ou miséria. = APORÓFOBO

    Tive que ir ao dicionário.
    Agora sim, percebo as acções de rua da cambada esquerdalha, sempre pelas ruas a servir refeições e dar apoio a sem-abrigo… ou será a maçonaria da Caritas que faz isso… agora começo a ter dúvidas…
    Talvez seja a CGTP que é aporófoba e por isso reclama aumentos de salários a toda a hora…
    Tenho que analisar melhor esta fobia.

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      Um pouco de introspeção meditativa fica sempre bem e dizem que é benéfica.

      Aproveite e aponte a experiência num caderninho. O Freud está um pouco assoberbado de pedidos de consulta, mas pode ser que, pelo Menos, passe lá por casa.

      Afinal, Vosselência é mesmo um caso de estudo sem par. Talvez justifique uma viagem lá do outro mundo.

  5. JgMenos says:

    Essa história de Famalicão, implica um vasto conjunto de questões:
    1 – A idade escolar para aprendizagem de matérias sexual, moral e religiosamente neutras, é a mesma que para estas últimas? Quem o define, o decreto ou os pais educadores?
    2 – Se há matérias sensíveis nessas áreas definidas por meras ‘linhas orientadoras’ o professor passa a educador; devem os pais ter acesso a gravações que lhes permitam saber o quê e o como é ensinado?
    3 – Tem o Estado o dever de ter meios de identificar quando, e de definir qual o ensino a ser a dirigido a crianças em situações de risco? Deve daí derivar-se que a todas as crianças deve ser dirigida acção similar negando por esse modo que se possa afirmar um direito à inocência?

    De tudo isto, uma certeza: aulas gravadas e os pais com acesso a esses conteúdos – para algo deve servir a era digital.

    • POIS! says:

      Pois a solução…

      É o “Big Brother JgLesser” (*). Direito á imagem? À palavra? Para quê?

      Direitos dos adolescentes? Criação de relação de confiança? Ora essa!

      Estou a imaginar uma aula onde a certa altura se ouve a voz etérea do Grande Irmão Menos:

      “Professor à Sala Reservada! Imediatamente”, seguido de “Pénis”? Erecto? Vá lá dizer que só é permitido a maiores de 18 anos!”

      (*) Assim tipo saudosa PIDE, mas mais moderno.

      • JgMenos says:

        Imagina um teu equivalente em cretinice no papel de professor de cidadania!
        Só um BIG chuto no cú para livrar filho meu de semelhante besta.

        • António Fernando Nabais says:

          O teu filho está condenado a lidar com bestas: basta estar em casa contigo.

        • POIS! says:

          Pois imagino perfeitamente! Não sou cretino!

          Cretino ´e quem acha que resolve contrariedades a chutos no cú.

          Mas esteja descansado que, pelo Menos eu, não responderia na mesma moeda.

          o cú de Vosselência já está suficientemente maltratado, fruto da vida nas salazarescas esquinas. Não sou sádico.

        • Paulo Marques says:

          É assim que se vê a força das ideias, só existem graças à força e não resistem ao contraditório.
          É esse o medo.

    • Paulo Marques says:

      A vida. Se já sabíamos bem mais no nosso tempo, eles agora têm internet. A escolha é entre saberem destingir a verdade ou não, quase como se fosse… ensino.
      Vá para uma teocracia que sentia-se melhor
      Como qualquer outra aula

  6. jose valeriano says:

    Fala-se de tanta bacorada dos pais de Famalicão mas não têm coragem de falar das miúdas Muçulmanas que também elas nas escolas fazem o que a sua religião manda e não vejo criticas aos seus pais.
    A isto chama-se hipocrisia por parte dos comentadores.
    O que têm a comentar a este respeito ou não têm coragem por serem quem são?

  7. POIS! says:

    A avaliar pelos dinheiros que por lá correm…

    A “Opus Dei” deveria chamar-se, em boa verdade, “Opus Vendi”.

    Dar não rima com esta seita!

  8. Abstencionista says:

    O facto dos filhos serem excelentes alunos, altamente considerados pelos seus professores e colegas, é revelador dos excelentes educadores que são os seus pais.

    Estes pais mostram a um país de “morcões” que estão dispostos a irem até onde lhes for possível para combater governantes lorpas e a ideologia woke que professam, disfarçada no meio da cidadania.

    Independentemente do resultado da luta desses pais, (que viram ser-lhes negada a objecção de consciência), fica a sua coragem na defesa dos príncipios que estão a inculcar aos seus filhos resistindo como podem a leis iníquas.

    Deviam merecer a gratidão de todos e não insultos rasteiros dos defensores do sistema.

    • Paulo Marques says:

      Filho, todos aprendemos ideologia idiota de professores idiotas, não é por termos opiniões diferentes que passa a ser diferente. Sejam adultos e lidem.

      • Abstencionista says:

        Filho (?) deixa-te disso.

        Sabes perfeitamente a definição sociológica de ideologia para confundir esta com opinião.

        A ideologia woke foi propagada por ratos que abandonaram o barco do comunismo quando este estava a afundar-se … “tout court”.

        P.S. Informa-te; não faças como um sujeito que por aqui deambula que tirou o mestrado sem estudar.

        • Paulo Marques says:

          E o menino, pelo menos mental, sabe perfeitamente que não é opinião, é ciência publicada. E o dia a dia de muito boa gente que passou a poder ser feliz a ser quem é.
          Rato é quem lambe as botas e acredita que há sempre um Outro fraco e forte, e nunca o patrão.

          • Abstencionista says:

            Menino (?) deixa-te disso moço.

            Então se é ciência publicada mostra cá á gente dois ou três exemplos práticos do que essa ciência woke produziu para tornar tanta gente feliz.

          • Paulo Marques says:

            Tendo em conta o abstracto da pergunta, é só pesquisar.

            https://www.eurekalert.org/news-releases/930195

          • Abstencionista says:

            Estás a confundir um grupo de influenciadores com cientistas.
            Para te ajudar a teres a tola limpa de teias de aranha vê com atenção o vídeo abaixo linkado, (até ao fim), procura o nome dos cientistas citados e depois …raciocina!

  9. Alvin says:

    As piores seitas que há em Portugal são as seitas Marxistas/Socialistas/Comunistas/Comunista Bloquistas, e as seitas da Maçonaria. São estas as seitas que infiltraram todo o aparelho de Estado, Funcionalismo Público, jornais e tv’s, e as Magistraturas. Por tudo isto Portugal 50 anos depois do 25 de Abril continua na Cauda da Europa, sendo certo que antes do 25 de Abril Portugal já estava na Cauda da Europa. A corrupção vem sempre à tona com o Marxismo e a Maçonaria. Portugal está de novo à beira da bancarrota. Desde o 25 de Abril já houve 3 bancarrotas, a próxima será a quarta.

  10. atom says:

    Espero que quando for autorizada e excepção aos encarregados de educação de Famalicão, ela seja estendida aos encarregados de educação que sejam terraplanistas que legitimamente consideram tendenciosa a física que ensina que a terra é redonda. Também o ensino da física de partículas devia ser ensinada mediante a autorização para tal dada pelos encarregados de educação. A mecânica quântica diz que uma partícula pode estar simultaneamente em dois locais ao mesmo tempo, o que naturalmente é controverso e a sua inclusão no currículo do aluno devia depender da aprovação dos encarregados de educação. Parece-me que toda a física só dispensaria a aprovação paterna a para objetos com tamanho igual ou maior que o tijolo. Todos os objetos menores deviam depender da aprovação paternal, para ser incluídos no currículo dos filhos. Também me parece que a matemática devia ser condicionada de igual modo na parte que concerne aos “números
    imaginários” e às operações com “números infinitos” que também são assuntos controversos. Vamos tornar o nosso ensino público mais consensual. e com currículos individualizados.

  11. JgMenos says:

    Esta canalha esquerdalha, de tão grunha, tão falsa, tão desonesta, que é seguramente a base da confiança do Putin em que vai colonizar um Ocidente posto na merda!

  12. JgMenos says:

    A par de assuntos que merecem ponderação, sempre anda por aí de forma expressa e larvar uma permanente acção de marketing visando expandir o mercado sexual da comunidade LGBTi+omaisquesequeira!
    Até ao coirão do Putin há que dar razão neste assunto!

    • POIS! says:

      Pois, não admira, até porque…

      Entre os próximos de Putin, Salazar é um exemplo.

      Ver aqui:

      https://www.dn.pt/portugal/russos-acham-que-salazar-e-um-exemplo-1213271.html

      Confere!

      • JgMenos says:

        A proximidade entre Putin e Salazar é óbvia num ponto essencial: ambos têm um império para proteger dos ‘libertadores de povos’.
        Tudo o mais são diferenças:
        – Para Salazar os grandes libertadores’ eram os agentes do Império Russo e mais uma cambada de idiotas e traidores que os acreditavam libertadores de porra alguma, quando amordaçavam nações com séculos de história e tradição..
        – Para Putin, os grandes ‘libertadores’ são os democratas que se chateiam que ele assassine e suicide uns tantos e não o querem deixar reconstituir o Império. perdido e ir mais além.

        • Paulo Marques says:

          Ou seja, semelhanças, desde que não se tenha palas.

        • POIS! says:

          Pois pois!

          Ora disfarça! Esqueceu-se de comparar o Cerejeira e o Patriarca de Moscovo. falta grave!

          É uma bela historinha. Como acaba? O capuchinho vai para a cama com o príncipe?

          • JgMenos says:

            Só um cretino se sente na necessidade de sempre dizer uma qualquer inanidade….

          • POIS! says:

            Ora pois!

            E tal justifica plenamente mais este comentário de Vosselência.

            A necessidade é mesmo muita. E lá disse uma qualquer inanidade. Confere mais uma vez!

    • Paulo Marques says:

      Mas então é contra a liberdade do mercado ou não?

      • Paulo Marques says:

        São tão cornos quando vêm o grande capital que nem são capazes de mandar a Fox à puta que os pariu. Nem o nome dizem, não vá depois não chover qualquer contracto.

  13. João Mendes says:

    Palavra da Salvação!

  14. Helena says:

    A coisa foi longe demais. E agora, nem uns nem outros sabem como descalçar a bota! E a Opus Dei não está nada contente.

  15. Amora de Bruegas says:

    Artigo de um ricardo, coração de fel. Acorda, ganha lucidez e coragem para saber o que está por detrás de uma disciplina aparentemente inofensiva e útil…, ou és como os idiotas úteis de que falava o teu camrada Lenine?

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.