À atenção da Fernanda Câncio, aquela que defende que com as uniões de facto ninguém vai querer casar

Fernanda Câncio,

Aconselha o civismo, a educação, a decência e as regras implícitas da blogosfera que se cite ou que se faça um link de determinado post  a partir do qual se escreveu um outro post.

Ora, a Fernanda leu no Aventar um post do António Serzedelo de que não gostou. E vai daí, respondeu com um outro post, mas sem nunca referir o post e o blogue a que está a responder. Porque para si, claro está, o Aventar é um blogue menor.

Por essas bandas, valha a verdade, já estamos habituados a esse tipo de procedimento. Embora também seja verdade que o mestre das «citações sem link» acaba de ser corrido do Jugular por razões perfeitamente atendíveis. Da sua parte é que é novidade, pelo menos para mim.

Pelos vistos, na sequência desse post do Aventar, a Fernanda intimou o António Serzedelo a desmentir a tal conversa, na qual a Fernanda lhe terá dito que se a lei das uniões de facto fossem ávante ninguém ia querer casar. Não conheço os contornos da conversa, mas acredito piamente no António Serzedelo. E se ele disse que a Fernanda disse que com as uniões de facto ninguém ia querer casar, é porque a Fernanda disse que com as uniões de facto ninguém ia querer casar. Um aventador não mente.

Fernanda, o seu post de resposta ao António Serzedelo tem o elucidativo título de «Opus rascum». Com o devido respeito, a parte do rasca ficará consigo.

E não precisa de fazer link deste post. Porque como dizemos cá pelo Porto, eu não sou da sua laia.

António Serzedelo, um novo aventador

O Aventar, ou pelo menos a sua ala Esquerda, quer associar-se à promulgação do casamento gay pela Assembleia da República. Uma votação histórica, com Deputados a votarem contra o seu próprio Partido, outros a votarem a favor de outros Partidos e ainda outros, activistas da causa «gay», a votarem contra a adopção pelos «gays», ou seja, contra si próprios. Admirável!
É assim que temos o enorme prazer de anunciar o novo autor do Aventar: António Serzedelo, o presidente da Opus Gay e um dos principais rostos do movimento nos últimos anos em Portugal. Foi um dos principais obreiros da vitória de sexta-feira, mesmo que para tal não tenha precisado nunca de se vender nem de trocar os seus princípios por um generoso lugar de Deputado.
Porque o Aventar é um espaço de todas as tendências, aguardamos agora que a sua ala Direita dê os Parabéns ao novo aventador e que se faça à vida. Seria giro, depois de termos connosco o presidente da Opus Gay, contratar como aventador o presidente da Opus Dei, quem quer que ele seja. Que interessantes debates daria…
Bem-vindo a esta casa, António.