Um assunto sobretudo da área dos Negócios Estrangeiros…

Ficámos a saber, através da página do Facebook da ILC contra o Acordo Ortográfico, que o ministro da Educação terá dito o seguinte à Lusa: «O Acordo Ortográfico não está nas agendas dos dois ministros [da Educação do Brasil e de Portugal], “sendo  um assunto sobretudo da área dos Negócios Estrangeiros”».

Acredito que o assunto não esteja na agenda deste encontro. Contudo, é grave deixar-se entender que o assunto não está “nas agendas dos dois ministros”, porque é “sobretudo da área dos Negócios Estrangeiros”. Ao ler-se esta notícia, julgar-se-á que o Ministério de Crato deixou de estar mandatado para tratar deste assunto e que sobre ele só o Ministério de Paulo Portas se  pronunciará.

Recordemos duas das assinaturas que constam da Declaração de Luanda, em que se incumbe

o Secretariado Técnico  Permanente  (Portugal/  Angola/ Moçambique) para, junto e com o apoio do Conselho Científico do IILP e de instituições académicas dos Estados Membros, proceder a: 3.1.  Um  diagnóstico  relativo  aos  constrangimentos  e estrangulamentos na aplicação do Acordo Ortográfico de Língua Portuguesa de 1990; 3.2.  Acções  conducentes  à  apresentação  de  uma  proposta  de ajustamento  do  Acordo  Ortográfico  de  Língua  Portuguesa  de  1990, na sequência da apresentação do referido diagnóstico:

– Aricélia Ribeiro do Nascimento, Coordenadora Geral do Ensino Fundamental, em  representação  do  Ministro  da  Educação  da  República  Federativa  do Brasil

– Nuno Crato, Ministro da Educação e Ciência da República Portuguesa.

Exactamente.

http://patxocashome.blogspot.be/2011/07/falam-de-nuno-crato.html

© PAULO ALEXANDRINO PHOTOGRAPHER

Acordo Ortográfico: constrangimentos, insuficiências e implicações negativas

https://www.ige.ch/ueber-uns/einstein/einstein-beim-amt.html

Há uns anos, dizia Gell-Mann que quando alguém dava a conhecer a Einstein (para quem não souber, um homem que lia e que estudava) uma teoria contrária à TRR este retorquia:  “Aw, that’ll go away”.

Em Portugal, o Poder continua sem ler e sem estudar o Acordo Ortográfico, mas a achar, com uma falsa segurança einsteiniana, que a nuvem há-de passar e que quem lê e estuda se calará, para que todos continuemos na nossa vidinha, com paz e com sossego. Desengane-se o Poder e desenganem-se todos aqueles que assim pensam. Enquanto houver estudo e enquanto o estudo não for devidamente considerado, não haverá nem paz, nem sossego. [Read more…]

Acordo Ortográfico: uma pergunta de António Emiliano

No Público de ontem, António Emiliano responde a um desafio do jornal, fazendo uma pergunta a Francisco José Viegas:

O Acordo Ortográfico [AO], feito há 22 anos, recebeu pareceres técnicos muito negativos e só dois membros da CPLP o aplicam de facto. Portugal subscreveu a declaração de Luanda de 30/03/2012 que diz que o AO produz constrangimentos no processo de ensino e aprendizagem e deve ser revisto (em prazo indeterminado). Não se deveria suspender imediatamente o AO nas escolas e nas instituições do Estado? [Read more…]

%d bloggers like this: