Acordo Ortográfico: uma pergunta de António Emiliano

No Público de ontem, António Emiliano responde a um desafio do jornal, fazendo uma pergunta a Francisco José Viegas:

O Acordo Ortográfico [AO], feito há 22 anos, recebeu pareceres técnicos muito negativos e só dois membros da CPLP o aplicam de facto. Portugal subscreveu a declaração de Luanda de 30/03/2012 que diz que o AO produz constrangimentos no processo de ensino e aprendizagem e deve ser revisto (em prazo indeterminado). Não se deveria suspender imediatamente o AO nas escolas e nas instituições do Estado?

Tendo em conta os pressupostos, será possível responder que não? É, desde que não se argumente.

António Emiliano é linguista e Francisco José Viegas é político. O primeiro está habituado a fazer perguntas, porque isso faz parte da sua actividade. O segundo está habituado a não responder a perguntas ou a explicar que o que disse não foi bem compreendido, uma vez que isso é inerente à sua actividade.

Seja como for, mesmo que a resposta seja o silêncio do costume, a pergunta diz tudo.

Comments

  1. J.Silva says:

    Não há link para o original?

  2. António Fernando Nabais says:

    #1
    Na edição do “Público”, só está disponível para assinantes, se não me engano, mas pode ver um recorte em http://ilcao.cedilha.net/?p=5363.

  3. J.Silva says:

    #2
    Eu queria mm era dizer na cx de comentários do público que esta opinião é um pedido dos opositores do AO de equiparação de Porugal a uma república africana em matéria de Estado de Direito. A isto desceram os xenófobos, os velhinhos marretas e do lóbby dos maus tradutores portugueses.
    Olhe, vou contar consigo para eu poder dizer isto no Público: se entretanto souber que o jornal abriu o artigo, ponha o link num post sff. Obrigado.

  4. António Fernando Nabais says:

    #3
    É sempre tão bom ler uma opinião sustentada, razoável, educada! Ler a sua opinião também não é mau.
    Quanto ao resto, não sei se também está interessado em ter o fundo das costas lavadinho com água de rosas. Se sim, faça uso das suas mãozinhas, está bem? Não tem nada que agradecer.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.