A imbecilidade das provas para crianças de sete anos

Santana Castilho*

O Plano Nacional de Reformas e o Programa de Estabilidade, dois instrumentos que em nada destoam da ortodoxia financeira do anterior Governo, santificaram a Geringonça aos olhos dos mercados. A oportunista tolerância de ponto do próximo dia 12 vai conferir-lhe uma oportuna bênção da Igreja. E não são apenas um PSD sem imaginação e um PCP e Bloco dependentes da minoria maioritária que Costa engendrou, a partir da rejeição quase universal de Passos Coelho, que garantem a aparente paz política reinante. Essa paz é resultado, também, da placidez subalterna de vários sectores profissionais, mansos agora porque os senhores feudais mudaram. A Educação é disto paradigma destacado.
A 19 de Abril, em Coimbra, o ministro da Educação disse que a redução do número de alunos por turma ia abranger 200 mil estudantes. O ministro mentiu, porque a redução se aplica apenas aos anos iniciais de ciclo das escolas TEIP. Nesses anos, não chegam a 70 mil os alunos matriculados. Se não procurasse iludir incautos, teria dito que a medida se aplica apenas a 70 mil de um universo existente de quase um milhão e 200 mil alunos.
Começaram ontem e prolongar-se-ão até 9 de Maio as provas nacionais, obrigatórias, para os alunos do 2º ano do ensino básico, relativas às denominadas Expressões Artísticas e Físico-Motoras. É sabido, público e notório, que muitas escolas de 1º ciclo jamais ofereceram aos seus alunos ensino nas áreas agora submetidas a provas. Essas escolas nem sequer possuíam os materiais necessários para as organizar. Pediram-nos emprestados ou receberam-nos depois de acções de emergência, de aquisição, por parte das câmaras ou juntas de freguesia. [Read more…]

Cuidado com as piadas nos EUA

Depois deste exemplo, é melhor pensar duas vezes antes de fazer piadas ou escrever o que quer que seja nas redes sociais em relação aos EUA.

Se estiver nos EUA e tiver comprado um carro não diga comprei uma bomba do caraças no Facebook.

Se tiver uma banda de metal e tocar nos EUA não ponha no MySpace vamos partir aquela cena toda.

Se o FCP for jogar a Chicago, para exemplificar, livrem-se de dizer vamos pôr Chicago a arder.

Se for brasileiro e guloso não anuncie que vai comprar balas para depois do jantar.

Se pensar andar de cidade em cidade não escreva que faz um desvio de avião de tal sítio para tal parte.

Se quer umas férias tranquilas o melhor mesmo é estar caladinho, digo eu, que tenho tendência para metáforas.