Candura

cavaco silva

Ouvi uma e outra vez a declaração de Cavaco Silva sobre a candura e inocência da sua intervenção que, em tempo, garantia a saúde do BES e convidava os investidores a atirarem-se de cabeça. O presidente põe-se – como acontece com outros intervenientes neste processo – em posição de equilibrista sobre a linha traçada entre as duas alternativas desta dicotomia: ou é destituído das qualidades políticas, intelectuais e morais que o cargo exige (notem como, gentil e cortêsmente, evito dizer o que alguém mais… abrupto não hesitaria em dizer: “ou ele é um rematado idiota…”), ou produz aqui uma ou várias inverdades, já que o que diz não é compaginável com a realidade ( o nosso amigo mais desinibido diria: “…ou é um impenitente e incurável mentiroso”). Por mais voltas que se dêem, não há uma terceira possibilidade. A não ser que acumule.

Comments

  1. Anasir says:

    Já tem falhas de memória graves… 🙁

  2. Mário says:

    As palavras acabadas em mente não levam acento desde o anterior acordo ortográfico que, curiosamente, também não foi respeitado pelo Bràsiu.

    • José Peralta says:

      Pois ! E sobre o conteúdo do texto de José Gabriel ? Ou só se “preocupou” com o “chapelinho” em “cortêsmente” ? Já agora, por elementar coerência, não quererá corrigir os pontapés na gramática, na semântica, na sintaxe, etc., com que o idiota cuja alcunha é “presidente da República” e que não me merece nenhum respeito nem
      cortesia, nos brinda a todo o momento ?

  3. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    O verdadeiro coveiro de Portugal, de mãos dadas com Paulo Portas. O mesmo estilo de assobiar para o lado ou, se comentários houver, mentir compulsivamente.
    O destruidor da agricultura, das pescas, do Ensino e do SNS. O criador do Estado gordo e um dos que mais dinheiro vindo da Europa derreteu. Um verdadeiro serial killer, com ligações ao que de mais negro teve a nossa política.
    Mas não nos esqueçamos na hora de pedir responsabilidades, a quem as pedir. Este homem está no poder porque por quatro vezes (quatro!!!!!!!), como primeiro ministro e como presidente da República, teve o apoio declarado nas urnas de mais de um em cada dois votantes.
    Os verdadeiros responsáveis pelos sucessivos desmandos a que vimos assistindo, são essa chusma de votantes “indecisos” que ora são laranjas ora são rosas (mas que na realidade, não são coisíssima nenhuma), incapazes de se assumirem politicamente.
    Em suma, goste-se ou não, os verdadeiros responsáveis por esta hecatombe, são mesmo os portugueses que são chamados a cumprir um serviço cívico.

    • luis says:

      Concordo que os eleitores sejam os verdadeiros culpados por termos gente deste baixo estofo moral no poder … mas convenhamos que estes tipos são bem ajudados por uma comunicação social recheada de analistas, comentaristas e “jornalistas” que vão divulgando uma imagem de medo “ou escolhem este tipo ou então será o caos”.
      E como a maioria dos portugueses é cobarde (anos e anos e fracos governos que nos tornaram fraca gente), aceita a mentira do mal menor votando em políticos deste quilate.

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Tem razão meu caro Luís.
        Mas a verdade é que quer eu, quer o Luís (e felizmente muitos outros), não nos deixamos enganar por esse jornalismo rasteiro que nos invade e que muito bem refere.
        Aos referidos “analistas”, “comentaristas” e “jornalistas”, eu junto as aspas em cada caso e juntaria o adjectivo de vigaristas, agora sem aspas. Os que vão para a televisão fazer comentários tais como Rebelo de Sousa, Marques Mendes e muitos outros, são meras caixas de ressonância do governo que pretendem passar a imagem de independentes às terças , quintas e sábados e vão ao partido beber o licor, às segundas quartas e sextas.
        Estou completamente de acordo com o Luís quanto à característica escolha do mal menor, que é bem portuguesa. Contudo, não chamo cobarde ao povo. Chamo-lhe antes inculto e avesso ao pensar. O seu alimento preferido, na vertente física e intelectual é claramente o fast food de rápida assimilação. Por isso é que as revistas cor de rosa têm grande saída e os jornais de desporto, são os mais lidos.
        Uma boa maioria deste povo necessitava urgentemente de ser reciclado. Estes que hoje nos mentem despudoradamente, são escolhas suas. E esta é uma responsabilidade que não podemos alijar.


  4. Reblogged this on O Retiro do Sossego.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.