Igreja católica junta-se aos amarelos


2016-05-29 - igreja junta-se aos amarelos

A Igreja Católica vai juntar-se à manifestação de hoje em defesa dos contratos de associação. A Conferência Episcopal Portuguesa referiu ontem ter tomado conhecimento da “grande manifestação” marcada para este domingo “na defesa do direito constitucional da liberdade de ensino”. Nesse sentido, os bispos quiseram “manifestar o apoio a esta e a outras iniciativas” contra os cortes nos contratos de associação. [Ana Bela Ferreira e Carlos Rodrigues Lima, in DN, 29/05/2016]

Só uma pequena questão para suas Eminências Amarelas: onde estavam quando PSD & CDS tomaram medidas que colocaram milhares de professores no desemprego? Já se sabia que a estupidez, contrariamente à inteligência, é ilimitada. Agora podemos juntar a hipocrisia a esta lista.

Comments

  1. Eva Garcia says:
  2. A Igreja Católica ultimamente só faz merda. Enquanto o País continua a ser destruído de dia para dia e prossegue a invasão islamo-africana com o apoio papal. Os católicos andam preocupados é com colégios privados, abortos e mais umas tretas que não interessam a ninguém.

    Assim vai a Igreja Católica, totalmente controlada pela Superclasse Mundialista e dirigida por um anti-Papa ao serviço da Nova Ordem Mundial.

    É por estas e muitas outras que eu não quero ver a Igreja metida em nada que tenha a ver com os assuntos do Estado, porque onde está a Igreja, está a Superclasse Mundialista ou os espiões e lacaios ao serviço da mesma…

  3. anónimo says:

    A igreja católica é o patrono dos amarelos.
    É quem fornece as camisolas, os cartazes, os dísticos, os autocarros, os planos e a ideologia.
    É quem convoca e mentaliza os meios de comunicação.
    É quem lucra com a mentira e o roubo aos portugueses.

  4. Carvalho says:

    Claro que os padres vão à manifestação. Eles sabem que há lá muitas criancinhas. E que os pais, na confusão das camisolas amarelas todas iguais, têm tendência a distrair-se e deixar os filhos à vontade. É uma grande oportunidade para os pedófilos dos padres atacarem as suas presas favoritas.

  5. Maria says:

    Os meninos deviam era estar em casa a estudar em vez de irem para a festa a Lisboa.
    Querem colégios paguem.

  6. Anti-pafioso says:

    Para quando estes senhores e senhoras pagarem impostos como todos ?

  7. j. manuel cordeiro says:

    Acabo de ser informado que a fala da senhora está errada. Ao que consta, ela estaria a dizer:

    – Meninos, como faltaram à manifestação dos amarelos, saem do colégio já.

Trackbacks

  1. […] Percebes Jorge? Em 2012, quando o governo amarelo laranja e azul do PSD e do CDS-PP aplicavam cortes violentos não só na Educação como na Saúde ou em salários e pensões, o então cardeal Patriarca D. José Policarpo afirmava que manifestações de rua não resolviam os problemas do país e que eram “uma corrosão da harmonia democrática“. Em suma, o líder da Igreja Católica em Portugal concluía que “não se resolve nada contestando“. Era portanto aqui que estava a Igreja Católica, e não há registo que qualquer um dos actuais líderes, que decidiu por estes dias apoiar a causa dos colégios privados, tivesse contestado as declarações do cardeal. Como não há, com uma ou outra rara excepção de uma ovelha tresmalhada do rebanho do Senhor, qualquer registo de apoio da Conferência Episcopal às diferentes manifestações contra cortes ou contras a delapidação de direitos sociais que aconteceram durante o consulado de Passos Coelho e Paulo Portas. Hipocrisia? Talvez. Mas acima de tudo a agenda política de uma instituição que supostamente não a tem. […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s