Portugal, um paraíso para mafiosos e criminosos de colarinho branco

Fotografia: Paulo Sprangler/Global Imagens@Jornal de Notícias

Em 2014, Duarte Lima foi condenado a 10 anos de prisão, por crimes de burla e de branqueamento de capitais, relacionados com o BPN. Desde então, entre simpáticas prisões domiciliárias, onde pôde alegremente desfrutar dos frutos dos seus crimes, e sucessivos recursos, Duarte Lima continua, na prática, livre como um passarinho. E não é o único ladrão do bloco central nestas condições.

Portugal é um paraíso para criminosos de colarinho branco. Não admira que os vistos gold tenham feito tanto sucesso entre oligarcas chineses e russos, entre outros mafiosos.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    “A culpa é dos professores que esfolam os contribuintes!”

    • Bento Caeiro says:

      Estão a ver, como Portugal não é tão mau como dizem?
      Basta satisfazer algumas condições e ter-se-á uma rica vida – ou vidinha: tais como ser mafioso ou banqueiro, possuir colarinho branco, ter dinheiro para vistos gold, ter passado pelo governo – um dos pressupostos para aceder à trupe do colarinho branco -, conseguir que as interpretações, as jurisprudências e as divinas convicções dos magistrados, apesar da lei e contra a lei, lhes sejam favoráveis porque – como sabemos e é de ciência – a justiça por ser, mais do que cega, cegueta, dotou-se de uma sensibilidade muito selectiva: detectando pelo seu cheiro e penalizando, muito mais facilmente, o pequeno crime; e, deixando passar, pelo perfume que exala, o crime mais relevante para a sociedade.

      • Bento Caeiro says:

        O comentário anterior não era dirigido ao Rui, mas este é.
        A atitude dos professores e dos seus sindicatos é precisamente a mesma, a qual caracteriza os que vivem à custa e gostariam de esfolar ainda mais o Estado. Como sabemos, aqueles acima mencionados e por aqueles motivos e métodos conseguem-no, e outros – como os professores – também gostariam de o conseguir.
        É mal nacional – já muito antigo – que atinge pessoas, empresas e instituições de toda a natureza: sugar, de uma ou outra forma e mais ou menos, o Estado e até existem forças políticas que o defendem, casos do PCP e BE.

        • César Sousa says:

          …”os que vivem à custa e gostariam de esfolar ainda mais o Estado.”
          Será que o exmº.senhor doutor professor Vital Moreira está incluido neste lote ?

          • Bento Caeiro says:

            Certamente – A César o que é de César: Vital Moreira e aquele ex-PCP que foi ministro PS e depois foi trabalhar para uma eléctrica espanhola, Iberdrola, Joaquim Pina Moura.

  2. Luís Lavoura says:

    Não admira que os vistos gold tenham feito tanto sucesso entre oligarcas chineses e russos, entre outros mafiosos.

    Acusações sem fundamento nem comprovativo.

    Há sem dúvida milhares de pessoas com visto gold, e nada nos permite asseverar que se trate, na generalidade, de mafiosos ou oligarcas.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.