Hipocrisia política e especulação imobiliária

Nos tempos que correm as indignações são cada vez mais selectivas. Gostaria de ler agora, muitos dos que criticaram e bem, casos envolvendo destacados militantes de outros partidos, quando a situação lhes bate à porta. A história é simples, Ricardo Robles, vereador eleito nas listas do B.E. nas últimas autárquicas, adquiriu um prédio degradado em Alfama à Segurança Social, por 347 mil Euros, financiado com crédito no Montepio Geral e Caixa Geral de Depósitos, e valorizado após restauro em 5,7 milhões de Euros, avaliação efectuada por uma imobiliária especializada na venda de imóveis de luxo, a quem o vereador terá solicitado os serviços, quando decidiu colocar o imóvel à venda.
Dou de barato que toda a operação possa ter sido legal, se não o for, certamente que o país tem autoridades e serviços competentes para averiguar, a mim interessa-me mais a questão política, porque Ricardo Robles se tem afirmado contra a especulação imobiliária nos centros históricos, mas ele próprio possui um investimento, repito que acredito que possa ser legítimo, que consegue multiplicar por 10 o valor investido. Não é para todos, aqui tenho que reconhecer que o político conseguiu realizar um excelente negócio, mas se isto não é especulação, então o que é especulação? Faz o que te digo, mas não faças o que faço. Curioso que muitos dos que ontem andavam incomodados com a hipocrisia de outros que foram passear de comboio, estejam agora calados…

Comments

  1. Luís Lavoura says:

    Dou de barato que toda a operação possa ter sido legal

    É bem possível, a meu ver, que não tenha sido. Parece-me deveras estranho que a Segurança Social, tendo um prédio assim em Alfama, tenha tido a brilhante ideia de o vender. em vez de ser ela mesma a reabilitá-lo e a empochar a mais-valia. Mas mesmo assumindo que a SS vendeu o prédio honestamente, acho estranho que seja Ricardo Robles quem o compra, tendo que recorrer para isso a crédito bancário, quando há por aí montes de capitalistas endinheirados prontos a fazer boas operações imobiliárias como esta. Quero eu dizer, Ricardo Robles não terá tido acesso a informação privilegiada da parte da Segurança Social? Não terá feito umas pressões ou exercido umas influências no sentido de que a Segurança Social vendesse o prédio, e que o vendesse a ele e não a outra pessoa qualquer?

    • António de Almeida says:

      Em 2014 ainda não era vereador, mas todo o caso é algo estranho. No entanto vamos esperar, acredito que a imprensa agora fará o seu trabalho, apesar da simpatia pelo BE nas redacções.

      • Paulo Marques says:

        São todos histéricos, revolucionários, extremistas, perigosos, desfasados da realidade, populistas, focam-se em coisas sem importância – mas fora isso têm muita simpatia.

    • Nascimento says:

      E se fosses lamber uma sanita ó ” laboura”… só ao estalo nessas fuças.Palhaço!

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    A hipocrisia é geral, mesmo por parte dos “postantes” tão atentos às “derivas” de um dos lados desta corrupta política.

    Procurei, mas não vi nenhum post do caro António Almeida sobre isto:

    “António Preto, que foi deputado do PSD entre 2002 e 2011, fez a 2 de setembro de 2016 uma apetecível mais valia: no mesmo dia comprou um terreno na Amadora ao GES por 1,5 milhões e revendeu-o à empresa Dekra por 2 milhões”

    Provavelmente andarei distraído, mas não vi a sua acutilância anti-corrupção para se referir ao personagem Preto.
    Na minha modesta opinião faz muito bem em usar a denúncia do caso de Robles, mas o problema é geral e não partidário. Que o diga o Preto. E poupo-lhe dezenas e dezenas de casos destes passados com corruptos do CDS, PSD, PS, BE e PCP.

    O que mais me preocupa é mesmo o seu título : HIPOCRISIA, porque a especulação imobiliária é comum…

    Sou dos que defende que o problema de fundo não está na dita esquerda ou direita. Quer num, quer noutro sector, há corruptos e gente honesta. Hipocrisia é ser activo na denúncia apenas de um dos lados.

    Já agora, para compor o “ramalhete” lanço-lhe uma pergunta: Que faz o personagem que deveria ser o garante pelo bom funcionamento das instituições democráticas, onde se localiza a Justiça e que deveria ter mão de ferro na corrupção? Isto para além das selfies e do caso dos bancos, está bom de ver…
    Justiça lhe seja feita: em relação ao caro António Almeida, o referido personagem, a quem lentamente a máscara vai caindo,não se pronuncia nem à direita, nem à esquerda…
    Tudo isto me faz lembrar a história dos ladrões e dos que ficam à porta … E nós, parecemos mais preocupados com a cor da porta.

  3. Mário Reis says:

    Assim à primeira, apetecia-me mandar-te para o car* !! É a versão António Filipe do hospital privado.
    Nunca votei no BE, nem o tal me convence. Gostava de te ver defender como condicionar a tal especulação imobiliária, os paraísos fiscais para e de onde giram os fundos que tudo abocanham, para “rejeitar essa ditadura do mercado e os dogmas da liberalização, da desregulamentação e da privatização” para desarmar financeiramente o poder adquirido pela alta finança, crescentemente criminosa, que em conluio com as marionetas do centrão continuam a garantir crescente ganhos a rodos e benefícios sem fim.
    Transcrevo o que o Pedro Tadeu escreveu no DN a propósito, que responde a tua lábia barata e triste.
    “(…) Esta inferência, se for aceite como verdadeira, leva, dedutivamente, a outras conclusões: um comunista pode lutar toda a vida pelo que acha ser melhor para a sociedade, por melhores salários para os trabalhadores, por mais direitos para os desprotegidos, por serviços de saúde gratuitos e bons para todos. No entanto, o comunista, para respeitar os seus princípios políticos, só pode ter um salário decente, usufruir de direitos básicos ou, simplesmente, escolher o que é melhor para si quando toda a sociedade puder beneficiar dos resultados da sua luta – até lá, em solidariedade para com os mais desfavorecidos, o comunista não pode usufruir do que a sociedade tem disponível…

    Com tanta fome no mundo, imagino que um comunista a comer bife da vazia já seja, para esta moral distorcida, um pecado mortal.

    Um comunista, pelos princípios desta teoria, é, portanto, um mártir e se não se portar na sua vida privada como um mártir, é um hipócrita. Ora acontece que o PCP não é a Ordem de São Francisco (e mesmo esta, já não é o que era).

    Claro que ninguém pergunta se um defensor da privatização da saúde deve ir a um hospital público, se um defensor dos PPR privados pode receber pensões do Estado ou se quem quer destruir o ensino público pode meter os filhos nas melhores universidades do país (que, não por acaso e muito graças aos comunistas, são as públicas).

    Se um comunista tem de ser pobre, um católico pode ser neoliberal? Um monárquico pode ser deputado da República? Um rico pode ser solidário? Um ateu pode ir a um velório na igreja?

    Se, por exemplo, um cientista comunista inventar o motor contínuo ou souber transformar chumbo em ouro, não pode ficar rico? Por esta pretensa filosofia, não: deve doar o seu talento e saber à sociedade e, no estágio em que ela está, transformar inevitavelmente um capitalista rico que decida investir na sua invenção num capitalista obscenamente rico, contribuindo assim para o aumento do fosso entre ricos e pobres, ajudando ao domínio das classes favorecidas e prolongando a exploração dos trabalhadores. Ou seja, um comunista, para esta gente, só é um bom comunista se for estúpido!

    Sim, um comunista, se levar a ideologia a sério, cumpre uma ética na sua vida privada que tem correspondência com os princípios sociais que defende. Mas não, um comunista não tem de ser parvo.”

    E já agora, o prof martelo, que era deputado pelo PSD quanto em conjunto com este partido chumbou a Lei do SNS, e todos os deputados e militantes do PSD, não podiam receber tratamento dos hospitais públicos.

    Conversa da treta, pá!

    • Nascimento says:

      Não o manda para o CARA… O… porque, para isso estou cá eu!Tá bem?
      Quanto ao resto .. Toma que é para aprenderes, ó tóni!

  4. Paulo Marques says:

    Os comunistas têm que ser todos pobres, por outras palavras. A menos que haja uma “smoking gun”, como em todos os outros casos, não estou a ver a equivalência. Aliás, investir nas consequências inevitáveis do neo-liberalismo e da destruição do estado é somente pôr “the wallet where the mouth is”. Não me consta, mas posso estar enganado, que tenha tido grande influência política na questão.
    É provável ser ilegal, mas se o próprio António diz que não muito, para quê o fait-divers?

    • Paulo Marques says:

      E continua com rendas bem abaixo do mercado, aparentemente.

    • António de Almeida says:

      Qual o problema de Pablo Iglésias em comprar casa por 600 mil Euros? Nenhum, excepto o pequeno pormenor de ter apontado o dedo a um rival político por ter comprado uma casa por… 600 mil Euros. O problema dos hipócritas é esse. Há quem acredite que a esquerda tem superioridade moral, bem, mas também há quem acredite em vacas sagradas…

      • Nascimento says:

        Tu é que não acreditas em rien .. né amor? Tu Inté não Botas… dá-te urticária..ui, e se o fizesses tinhas de tomar banhinho e ir á missa todos os dias. Credo ôme, inda te constipavas.

        ps. Mas, vá lá inda gostas -só um bocadinho -, da Assunçãozinha … é que ela fez Tanto , mas Tanto , por este país, não foi?Pena que nenhum familiar teu tenha sido posto na alheta, aposto quinté não te ralavas, meu lindo.

      • Paulo Marques says:

        Se o fez sem qualificações (e eu também não as vi no pouco que li do assunto, mas é possível que haja contexto), fez mal e foi populista, mas fez diferente do RR.
        Investir é simplesmente o que se faz para garantir estabilidade futura (excepto quem não tem e os lorpas medrosos como eu). Se fosse para abrir um hotel AirBnB ou para vender a seguir era uma coisa, assim é apenas restauração da cidade – pode sempre haver aqui coisas que a gente não sabe, claro.

        • António de Almeida says:

          Para já ninguém apontou ilegalidades, por isso não existindo aqui um problema de Justiça, existe um problema político de Ricardo Robles e do B.E. porque saiu em defesa do vereador. Combater a especulação e simultaneamente especular, criticar o alojamento local e ter mantido durante um período de tempo o prédio à venda com esse propósito. Ok não vendeu, mas apenas porque ninguém comprou, muito provavelmente por ganância, segundo li de especialistas imobilários, não vale o que pediram… Mas se tivesse aparecido comprador, teria ganho 5 milhões aproximadamente.

          • Paulo Marques says:

            Pois, e também não devia pagar à EDP, ter dinheiro na banca, ter acções, ir a clínicas privadas…
            O que vale é que ver a direita a espernear é sempre boa notícia, se calhar convinha desviar atenções de coisas como o relatório da ONS no Reino Unido.

  5. José Peralta says:

    António de Almeida

    Puz um “like” no seu comentário !

    Agora, para EU ser completamente honesto e dar-lhe razão, (o que, certamente, é para o lado que dorme melhor…) falta-me lêr alguma crítica sua à “gentinha”, menor, medíocre,ignóbil, que vai do aldrabão-mór coelho, à mentira loura albuquerque, do doutourado arbusto”, ao portas submarinista, à galinhola cristas, ou à múmia cavacal, às suas inúmeras fraudes, compadrios, vigarices e mentiras demenciais que, paulatinamente, em quatro anos e meio, iam destruindo o País !

    É que me parece nada têr lido sobre, nos seus judiciosos comentários que a espaços aqui produz !

    A sua posição “crítica”, parece estar SEMPRE, do lado que, por “conveniência” legítima , considera o lado “certo” das suas convicções !

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Caro José Peralta.
      Toca na ferida, mas a diferença é que eu não posso pôr um like onde vejo inclinação clara, independentemente da denúncia que registo. Não é correcto separar-se o post do autor do mesmo, sobretudo se o título é “HIPOCRISIA” …
      Acho que há que ter cuidado.

      • José Peralta says:

        Caro Ernesto Ribeiro

        O “like”não é de aprovação, mas de ironia, como pode costatatar pela leitura do meu comentário !

        • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

          Caro José Peralta.

          Não me ficou claro, acredite… Mas ainda bem, porque este tipo de “justiceiros” têm que ser desmascarados.
          O que mais me preocupa é que um comentário hipócrita, tenha por título a hipocrisia.
          É preciso, de facto, ter muita desfaçatez.

          Cumprimentos.

          • José Peralta says:

            Caro Ernesto Ribeiro

            Completamente de acordo !

            E um dos “likes” no seu comentário inicial, e cito : “A hipocrisia é geral, mesmo por parte dos “postantes” tão atentos às “derivas” de um dos lados desta corrupta política.
            Procurei, mas não vi nenhum post do caro António Almeida sobre isto:(…), é meu !

            Mas esse, ao contrário do “outro”, é de aprovação !

    • António de Almeida says:

      falta-me lêr alguma crítica sua à “gentinha”,

      Caro José Peralta, a quem se refere não considero minha gente aqueles a quem se refere…

      • José Peralta says:

        António de Almeida

        (…) ” não considero minha gente aqueles a quem se refere…”

        Eu TAMBÉM me guio por indícios, o mesmo que o António de Almeida faz !

        E se os meus, podem ser reveladores das minhas opções, os seus TAMBÉM não são menos !


  6. E é isto!

  7. ZE LOPES says:

    A hipocrisia tresanda V. Exa. O que defende neste post é completamente o oposto do paleio liberaleiro que aqui tem defendido, justificando como uma qualidade o enriquecimento á custa de negócios manhosos e da fuga aos impostos.

    Aquilo de que vem acusar o vereador Robles é de especulação imobiliária. Ora bem: a especulação tem por detrás atos de valorização artificial provocados pelo especulador.. Neste caso a valorização decorreu apenas de um elfeito automático que V. Exa. já aqui apelidou várias vezes como um negócio normal (tal como o alojamento local), censurando amiúde o Estado por se intrometer!!

    Ou seja: qualquer casebre em Lisboa valoriza, mesmo a cair!

    É o capitalismo que V. Exa. todos os dias idolatra, estúpido!

    • António de Almeida says:

      Sim, gastou menos de 700 mil Euros e esteve à venda por 5,7 milhões de Euros.
      Em primeiro lugar o prédio não tem esse valor, segundo especialistas. Mas se tivesse aparecido comprador…
      Em segundo lugar, se isto não é especulação…

      • Paulo Marques says:

        E se tivesse vendido por metade estava a ajudar outros a especular. Metia era o prédio debaixo do colchão…

  8. ZE LOPES says:

    Depois de ler melhor, acho que devia, para ser mais coerentezinho, de alterar ligeiramente o título. Devia ser assim:

    “Hipocrisia imobiliária e especulação política”.

    Estaria mais de acordo com a verborreia debitada por V. exa..

    A bem na Nação Liberteira.

    Ámen