Mineradora destruindo vidas no Brasil.

Estou nas 72 horas mais tristes do início do ano. Uma barragem de rejeitos da mineradora VALE, rompeu e estima-se que há pelo menos 40 morto e mais de 300 desaparecidos na cidade de Brumadinho, há alguns quilômetros perto de onde vivo, Belo Horizonte. Já é o maior crime de todos os tempos em número de vitimas. Fui ao local e registrei muitas imagens de destruição, dor e desespero.

Para entender como chegamos a tantas mortes é preciso voltar no tempo. É importante ressaltar que a mineração não é de agora mas após a privatização no governo da direita brasileira (anos 90) a empresa acumula lucro e crimes ambientais mortais.

No capitalismo o que importa é o lucro e o fluxo dele. É por isso que a VALE financia politicos, artistas e etc para desfocar suas reais ações na exploração de minério.
É claro que os corrompidos também são co-autores desse “genocídio” mas precisamos seguir as pistas do dinheiro despejado para flexibilizar leis e fazer a empresa lucrar mais enquanto mata centenas de trabalhadores. Essa reportagem das queridas Maria Clara Prates e Alessandra Lula Mello dá uma ideia de como a empresa atua no loby por seus interesses . Toda minha solidariedade aos moradores, trabalhadores, e demais pessoas soterradas vivas pela ganância.

Comments

  1. JgMenos says:

    «no governo da direita brasileira (anos 90) »!

    Mas então o PT não andou por lá 15 anos depois disso?
    Tá gozando?

    • Paulo Marques says:

      Só o teu querido Salazar é que fazia o que queria, as democracias têm aquela coisa chata chamada parlamento.

      • Paulo Marques says:

        Que normalmente é bem pago por aquela gentalha que desvia dinheiro da economia para conseguir a sua agenda, como bem sabes na tua especialidade.

    • abaixoapadralhada says:

      Cala a boca nazi

      Grande filho da pura que tu és, bandido

      • abaixoapadralhada says:

        Claro que me refiro ao Salazarista Cruz

        • Jorge Evaristo says:

          Calma quando fale do Salazar.
          Diga lá;
          – O Salazar era racista?
          – Defendia os pedófilos?
          – O Salazar foi um cidadão exemplar.
          Só o podem acusar de fazer frente os comunistas. Mas isso é um elogio.
          Já reparou bem no caminho que Portugal está a seguir desde que os comunistas se chegaram ao poder com o 25 de Abril?
          Está a tomar um caminho que um dia destes o povo revolta-se contra os burgueses todos aninhados nos partidos de Esquerda.
          Sabe? É que a revolução já está em marcha. Você é que pensa que só a Esquerda é que sabe fazer revoluções.
          O melhor é aprender a nadar porque a maré vai levantar-se.
          OK?

          • Daniel says:

            “Salazar foi um cidadão exemplar”
            Hahahaaaa…. lindo!!

          • ZE LOPES says:

            Realmente, numa coisa V. Exa. terá razão. Um estudo comparativo revelou que Salazar foi um ditador, tal como outros na Europa, mas entre ele e outros conhecidos houve importantes diferenças. E tal é notório quando analisamos aquele preciso momento, o momento-chave, em que a carreira desses ditadores chegava a um ponto de viragem. Quem os acompanhava, nesses dramáticos momentos?

            Pois, Hitler estava com a mulher. Mussolini, com a amante. E Salazar? Salazar estava com o calista!


          • «O Salazar era racista?
            Defendia os pedófilos?
            O Salazar foi um cidadão exemplar.»

            Não sei era racista. Mas a politica de exploração dos indígenas das colónias era simplesmente horrorosa.
            Quanto á pedofilia, abafou como pôde o escândalo “Rallet Rose”.

          • Paulo Marques says:

            Claro que não, era um progressista que queria explorar os pretos, que não são gente, e abafar o Ballet Rose, que há que proteger os empreendedores.

          • ZE LOPES says:

            Diz Evaristo:

            “Calma quando fale do Salazar.
            Diga lá;
            – O Salazar era racista?
            – Defendia os pedófilos?
            – O Salazar foi um cidadão exemplar”.

            Estando tão calmo, mas tão calmo, mas mesmo tão calmo que se agora tomasse um Valium ficaria deveras excitado,vou tentar responder às suas pertinentes questões.

            1ª questão: era! Já leu o Acto Colonial? O regime dos “indígenas”? Então isto era uma “Pátria multirracial e pluricontinental” e havia cidadãos nacionais, e “indígenas”? Quem eram os “indígenas”? Os brancos que nasciam em África?

            2ª questão: não sei. Nem sei se era “ófilo” de qualquer coisa: homófilo, heterófilo, bisexófilo…ninguém sabe! Parece que, a certa altura o deram como tendo casado com a Nação. Como esta já tinha barbas, deveria já ser maior…

            Realmente sobre a vida sexual de Salazar sabe-se muito pouco. Inclusivamente são-lhe assacadas várias inclinações por vegetais. Dizia-se inclusivamente que era íntimo de uma cerejeira, que é uma filia muito estranha, mas temos de respeitar.

            Também se sabe que a prostituição era legal. E quando deixou de o ser, em 1949, continuou a ser legal nas colónias. Mas atenção, havia respeito! Uma mulher só se podia prostituir acima dos 60 anos, e com autorização dos pais! Isso que dizem por aí de “indígenas” que eram compradas aos 12 anos só pode ser falso! E mesmo cá nunca se viu ninguém a prostituir-se com menos de 50 anos!

            Também houve aquela coisa dos “Ballets Rose” mas a coisa resolveu-se: um dos culpados foi multado e Mário Soares foi deportado. Salazar não perdoava!

            3ª questão:Salazar foi,um cidadão exemplar? Sim, foi um exemplo de pacóvio a evitar. .

    • ZE LOPES says:

      O que é que o PT podia ter feito? Nacionalizava? Fechava as minas? Alguém o deixava, com aquela corja toda de envangelistas, boieiros e outros defensores de interesses privados nas câmaras legislativas?

      Nacionalizava à força? Ora, isso é comunismo! Uma ditadura! Um horror!

      Aqui está mais uma consequência do discurso liberaleiro e da entrega de sectores estratégicos a interesses privados. Depois de chorudos lucros, ficam à vista as consequências. A pagar pelos contribuintes através do Estado.

  2. Julio Rolo Santos says:

    Os capitalistas, na sua maioria, São desprovidas de sentimentos e atiram-se para a frente sem olhar a meios para conseguirem os
    seus fins. É assim no Brasil com a destruição da barragem que matou seres humanos e destruí tudo o que apareceu pela frente. Foi assim nas pedreiras em Borba com a galerias da exploração da pedra quase a passar por baixo da estrada provocando-lhe o seu colapso arrastando pessoas para a morte. E tudo com a conivência dos poderes públicos que resolveram fechar os olhos ao avanço do perigo que se tornava eminente. Culpados? Não há.

    • Paulo Marques says:

      A ideia com que fiquei de Borba é que a batata quente tinha ficado claramente nas mãos do estado durante anos. Que este não tenha dado relevância ou sequer percebido qual das 3 ou 4 entidades é que devia fazer alguma coisa deveria ser caso de estudo, mas já percebi que fica para a próxima… ou a seguir a essa…


      • Basicamente o estado fez a figura do policia que estava a dormir durante um assalto.
        Vejo mais responsabilidade nos donos das pedreiras que transformaram a estrada numa ponte com 80 metros de altura.
        Já agora, só para visualizarem o disparate que foi criado, a ponte 25 de Abril tem o tabuleiro a 70 metros de altura.

    • Jorge Evaristo says:

      É claro que há culpados.
      É o Bolsonaro.


      • : )

      • abaixoapadralhada says:

        O Evaristo. tens cá disto ?

        O Salazar para alem de ditador, era um padreca falso, que até as amantes escondia, mas há fotografias por exemplo no Hotel da Urgeiriça, em Canas de Senhorim

        Mas há mais.

        Para alem das provas evidentes que se injectava com opiáceos, para compensar dos seus maus humores e neura.
        Curiosamente a mesma substancia que o seu ídolo Hitler usava. Coincidências ou talvez não

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.