Ecos grunhos do fundamentalismo cristão brasileiro

Eis dois belos tweets do ministro da EDUCAÇÃO do governo fundamentalista cristão do Brasil. Um dos modelos inspiradores de André Ventura e dos fanáticos de extrema-direita que querem ver a Constituição substituída pela Bíblia. Dos terroristas que vendem fábulas sobre pés de goiaba e outras aparições que nunca aconteceram. Dos charlatães criminosos que enganam os mais frágeis com água engarrafada “directamente” no rio Jordão. Grunhos que insultam quem com eles não concorda, com a elevação de um alcoólico em pré-desmaio no tasco da sua rua. Uns e outros são uma ameaça à liberdade e à democracia, em Portugal como no Brasil. É preciso combater esta malta, sob pena de um dia nos transformarmos num Irão ou Arábia Saudita.

Comments

  1. Paulo Ricca says:

    Tudo certo. Menos publicar num tamanho difícil de ler

    • POIS! says:

      Pois!

      Também para o conteúdo que é…

      Mas tal só prova que, no Brasil Bolsoneiro, o elevador social funciona. E a prova é que há várias bestas que chegaram a ministros. E não só!

    • José Peralta says:

      Paulo Ricca

      Aceda ao Zoom do seu computador (3 tracinhos horizontais paralelos) ao cimo e à direita do ecran, clique em ZOOM e amplie os textos (120-130 %, etc)

      • Rui Pedro de Magalhães Claro Prior says:

        Ou então clique com o botão direito do rato em cima da imagem e escolha “Abrir imagem num novo separador” (ou coisa que o valha).

  2. Luís Lavoura says:

    Um dos modelos inspiradores de André Ventura e dos fanáticos de extrema-direita que querem ver a Constituição substituída pela Bíblia.

    Que eu saiba, André Ventura não pretende substituir a Constituição pela Bíblia. Nem sei, aliás, se Ventura é um cristão fervoroso.

    • POIS! says:

      Pois!

      Cristão não se sabe mas, pelo menos na tese na tese de doutoramento, é um fervoroso…esquerdista! Por isso deve antes querer que a Bíblia seja substituída pela Constituição.

  3. Antonio Pena Serpa says:

    …sob pena de um dia nos transformarmos num Irão… Estamos nós na Europa e também já em Portugal, tal é o fervor com que os comunas defendem a imigração sem controlo.

    A. Serpa

    • Paulo Marques says:

      Defendem? Muito me conta. Isso é o projecto lei nº?

    • Luís Lavoura says:

      os comunas defendem a imigração sem controlo

      De verdade? Muito me conta! Não sabia isso! Em que fake news ficou a sabê-lo?

      • António Serpa says:

        Ó Einstein, o que é que quer dizer “ser contra os muros” , que hoje em dia os Marxistas apregoam. Não digas a ninguém que tens curso superior pois ficam a saber que és mais um “Analfabeto Funcional”.

        Para não perguntares o que quer dizer digo-te já que são aqueles que apesar de saberem ler não compreendem o que lêem …Apesar de ouvirem não percebem o conteúdo da mensagem …

        Serpa

        • VICENTE VILHENA says:

          É… Bom mesmo é a seita comunista, aquela portentosa fábrica de homens livres…!

        • Paulo Marques says:

          Quer dizer ser contra o disparate total da proibição de imigração (quanto mais não seja porque é fisicamente dispendioso e impossível), bem como a favor do dever humanitário com os menos favorecidos.
          Entre isso e não haver controlo de fronteiras vai uma distância enorme.

          • jjmalmeida says:

            Ninguém propõe isso, sua cavalgadura… Propõe-se apenas recambiar os ilegais, e escolher candidatos que melhorem a vida de quem cá vive. O dever humanitário é ajudar os que nem conseguem vir, não os que têm milhares para pagar passadores criminosos.

          • Paulo Marques says:

            Essa dissonância cognitiva é do caraças, mas é bom saber que concorda com a esquerda.

  4. abaixoapadralhada says:

    Boa João

    É preciso tira-los da tábuas. Vêm todos a correr.
    Só falta o fundamentalista nazi. Mas não tardará

  5. Rui Naldinho says:

    O Brasil está recheado de “pérolas” destas, tal como os EUA, a quem procuram imitar em quase tudo. O normal é imitarem sempre o pior, dos Yankees.
    Um Brasil pródigo em enormidades deste calibre, não me admira.
    Tirando os negros que foram obrigados a ir com a escravatura, os índios já lá estavam, e com excepção do Padre António Vieira, os europeus, nós incluídos, conseguimos “exportar vários genes de qualidade duvidosa”.
    Depois dá nisto!


  6. Se este é o nível que desejam os que dizem lutam numa cruzada divina contra o Marxismo cultural, então sou Marxista cultural, prefiro de estar no lado que ainda tem nível civilizacional!

  7. Mr José Oliveira Oliveira says:

    Não certamente por acaso, o lema dos fascistas espanhóis na guerra civil era “viva la muerte, abajo la inteligencia”. Eles bem sabiam quais eram os seus inimigos.
    Agora, aquela palhaçada no Brasil nada tem a ver com cristianismo. Toda a gente sabe, bolas!!!

    • João Mendes says:

      Tem razão. Nem a palhaçada que se passa na Arábia Saudita ou no Irão tem a ver com o Islão. Mas os elementos estão lá, fazem parte da estratégia. A ministra Damares e o seu pé de goiaba, o poder da IURD nas câmaras e no governo, o poder de Edir Macedo no país, uma espécie de ayatollah (apesar de tudo o que se sabe sobre ele) e o projecto expansionista da própria IURD. A meu ver, isto tem tanto a ver com Cristianismo como um clérigo radical sunita, que recruta e incentiva homens-bomba, tem a ver com o Islão.

  8. JgMenos says:

    «Um dos modelos inspiradores de André Ventura e dos fanáticos de extrema-direita que querem ver a Constituição substituída pela Bíblia»

    Um modelo de cretinice esquerdalha dirigida aos destituídos da esquerda!

  9. abaixoapadralhada says:

    JGMenos

    Eu disse uns quantos post anteriores que :
    “Só falta o fundamentalista nazi. Mas não tardará”

    Está descansado. Já te tirei a falta, repugnante nazi


  10. João Mendes,
    Que o citado não tem qualquer gabarito para ser ministro de coisa nenhuma, já o sabíamos, mas o que não se percebe no seu post, é por que é que a Bíblia vem ao assunto, assim como o Cristianismo?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.