A extrema estupidificação

A

O plano da extrema-direita, assumida ou dissimulada no interior de partidos democráticos, passa, em larga medida, por aqui: infantilizar, desinformar, estupidificar e difundir uma mensagem, alegadamente anti-sistema, segundo a qual o conhecimento científico é uma afronta elitista contra o comum cidadão, que os neofascistas pretendem bruto, ignorante e em permanente estado de conflitualidade, para que possam reinar sobre a turba dividida. Combater esta mentira, na minha opinião, é uma obrigação de todos os democratas que se prezam e estimam a democracia, estejam eles à esquerda ou à direita do espectro. Pactuar com ela é validá-la e regredir.

Comments

  1. JgMenos says:

    «o conhecimento científico é uma afronta elitista contra o comum cidadão»

    Deves estar a falar da:
    igualdade de género
    igualdade de tudo que mexe
    o consequente e inevitável sucesso do socilaismo
    lgbtquia+
    os sencientes em cuidados paliativos

    …e mais uma caterva de adquiridos científicos propostos pelos neofascistas!

    • Agostinho says:

      Ora cá está um bom exemplo do que o autor alertava

    • Paulo Marques says:

      Não se preocupe, nimguém o considera com o mesmo respeito do que um cão.

    • POIS! says:

      Pois, mas…

      Hoje não será bom dia para se obterem os doutos ensinamentos de JgMenos sobre a matéria. Escreveu este comentário deveras apressado certamente num intervalo do congresso cujo tema é “Aproveitamento das Alterações Climáticas Esquerdalhas Para o Desenvolvimento da Cultura do Gambozino” onde é um dos principais oradores.

      Antes aproveitou o dia de caça para participar numa batida ao coronavírus, approveitando para dar aos galgos de estimação oportunidade para se alimentarem e irem à casa de banho.

      Esta batida é especialmente importante porque, como vi nas redes sociais que é onde se sabem as verdades que depois o Ventura vai dizer na Assembleia e volta a escrever nas redes sociais para voltarem a ser verdades, o coronavirus foi fabricado pela indústria vírica chinesa com o objetivo de fazer uma substituição étnica dos pretos, dos brancos, dos mulatos dos índios, dos esquimós e dos militantes do Chega por chineses. O primeiro país em que investiram foi Itália e não é por acaso. O objetivo é o Vaticano e a substituição dos dois papas por um par de chineses.

      Segundo o que foi denunciado por cientistas, muito bem informados pelo twiter, no Instagram, o coronavirus não ataca chineses. Estão a morrer sim, mas de mortes amacacadas e depois dizem que é do vírus só para despistar.

      Segundo os entendidos, particularmente o próprio JgMenos, a melhor maneira de enfrentar o coronavirus é,manter a todo o custo o otimismo. Proveniente do Norte já corre, aliás, uma canção entoada pelo pessoal de enfermagem de todas as unidades de infeto-contagiosas do país:

      “Meninas vamos ao vírus
      Que o vírus é coisa fixe.;
      Eu já vi dançar c’o vírus
      As amigas de Peniche.


    • e esqueceu-se do marxismo cultural, vejam que afinal a propaganda funciona e estupidifica realmente quem faz parte da mesma área ideológica… o jgmenos é a prova!


  2. Neofascista! Ora aqui está um epíteto que cai que nem uma luva aos neosocialistas.
    Totalitarismos de direita ou de esquerda não deixam de ser ditaduras, independentemente da área política.

    • POIS! says:

      Pois é o que se pode chamar…

      Um comentário deveras brilhante e profundo. Tão brilhante que, se fosse bem aproveitado, já se poderia encerrar a central do Pego. E tão profundo que só é ultrapassado pela fundura do Canhão da Nazaré, e só na maré alta.

  3. Rui Naldinho says:

    « A extrema direita acredita que vai conseguir  endireitar o clima. É tudo uma questão de fé.
    E não é para menos. Com a desordem que por aí vai nas alterações climáticas, alguém que ponha a mão nisto! »

  4. Fernando Manuel Rodrigues says:

    A c… do Mendes de hoje… LOL

    Cada vez cheira pior. Na minha opinião, deveria fazer uma lavagem… Talvez num daqueles famosos “campos de reeducação” tão queridos da malta “democrática” que ele segue.

    • POIS! says:

      Pois, parece que o Xô Rodrigues…

      Está um bocado farto de limpar as casas de banho lá da sede do Chega. O cheiro entranha-se e fica um bocado desorientado. Deixem lá o homem desabafar! O trabalho é duro!

      • Fernando Manuel Rodrigues says:

        A m… junta-se. POIS! Não há quem limpe…

        Faz falta um Pol Pot, não é?… Ou simplesmente um “camarada” Estaline, para ordenar umas purgas… Isso é que era “conhecimento científico”… LOL.

        Aventa carmarada, aventa.

        • POIS! says:

          Pois não. Lá no Chega, desde que chegaram ao Parlamento já todos pensam que são patrões, ninguém limpa nada. Compreendem-se os lamentos de V. Exa. mas tem de ser forte e continuar. Um partido como o Chega também se faz de contributos de peritos em trampa como é o seu caso.

          Tenha esperança que, quando tiverem um grupo parlamentar, certamente V. Exa. estará em primeiro lugar para o nomearem chefe das instalações sanitárias lá do gabinete do Chega na AR.

  5. Pedro Vaz says:

    O Activista Anti-Chega de Serviço a vir com o velhinho “Buahhh eles são anti-ciência buahhh!!”…página 4 do manual “Como atacar o Populismo” lol…

    …é sempre as mesmas lenga-lengas e todos os países.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.