Fundamentalismo religioso e extrema-direita: a mesma luta

P1

O fundamentalismo religioso não é, nunca foi e dificilmente virá a ser um exclusivo dos muçulmanos. Basta, aliás, um olhar atento sobre o que se passa em países como o Brasil, onde seitas evangélicas cristãs manipulam milhões de fiéis com curandeirismos e fraudes como a teologia da prosperidade, e que do dízimo de milhões de pobres e remediados produzem uns quantos pastores milionários, que ascendem aos céus de helicóptero.

A publicação em cima, da autoria de Manuel Matias, assessor do Chega, é, toda ela, uma ode ao fundamentalismo religioso. Tão óbvia, tão desprovida de racionalidade, ética ou moral, que qualquer explicação sobre a mesma se torna redundante. E não causa surpresa, ou não fosse o evangelismo radical um dos pilares que sustenta a ascensão do partido de extrema-direita, quer pela via do financiamento, quer pelo arrebanhamento das mentes frágeis que se submetem ao jihadismo evangélico.

O autor da citação, o padre Paulo Ricardo, é conhecido pela sua intensa actividade política no Brasil. Apoiante de primeira linha de Bolsonaro e discípulo do teórico da conspiração do regime brasileiro, Olavo de Carvalho, o padre Paulo Ricardo é conhecido pelas suas posições extremistas, nomeadamente em questões relacionadas com a igualdade de género, com a propagação de fake news, com o aborto ou com a defesa do acesso, uso e porte de arma, bandeira que diz muito sobre o seu respeito sobre os ensinamentos de Jesus Cristo, a que se junta a homofobia e elogio do autoritarismo.

P2

Se dúvidas restassem quanto a activistas “pró-vida” como Manuel Matias, a dissipação das mesmas ocorre a velocidade semelhante à da propagação da covid-19 no país irmão. O fundamentalismo religioso, a intolerância, os dogmas absurdos, a homofobia, o patriarcalismo ou a defesa de um ultraconservadorismo radical e tendencialmente violento falam por si. É isto que nos espera, caso um dia venhamos a ser governados pela sociedade partidária unipessoal daquele cujo nome não pode ser mencionado. Isto, a censura, já assumida como ferramenta de eleição por parte do neofacho de serviço, a castração de liberdades individuais e, de uma maneira geral, tudo o que restar desta frágil democracia liberal em que vivemos. E que devemos, agora mais do que nunca, defender.

Comments


  1. Béu, rebéu, béu…o pacote completo dos anátemas do corretês.

    Da religião, de que me dispensei há muitos anos, recordo que corresponde em tudo a uma ideologia que sempre incorpora uma vida além da morte condicionada pelas acçoes individuais na vida terrena. Sendo este o fundamento, nada consigo imaginar mais fundamentalista.

    Esse condicionalismo de haver Juiz e julgamento, levou à criação de igrejas intermediadores que no essencial diferem no relevo que dão à invocação e acção do poder divino no percurso da vida terrena do homem e na sua organização da sociedade, mas sempre é formulada uma doutrina que enquadra essa inovcação e acção.

    É aqui, entre os pastores das doutrinas religiosas e laicas, uns invocando Deus e ouros invocando o Homem, que os fundamentalismos doutrinários se encontram.

    Uma característica une os pastores: sempre que necessário à consolidação do seu poder doutrinário negam a Ciência e desmentem a História.

    Em desfavor dos pastores laicos há esta estranha e ancestral tendência de crer no divino!

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      O extraordinário filósofo encartado JgMenos acaba de nos brindar com um brilhante excerto da sua famigerada obra “Teoria Geral da Pastorice” forjada na sua atividade contemplativa durante a “Ovibeja” do ano passado, onde se deslocou para participar na homenagem à sua ovícola de estimação, a conhecida “Salazarisca”, que o alimentou desde pequenino.

      Dela recebeu, além dos lacteos eflúvios, importantes influências que se traduzem, por exemplo, na expressão ” Béu, rebéu, béu…o pacote(…)” que tão brilhantemente inicia este lúcido excerto.

    • Paulo Marques says:

      Ora bem, há muitos que continuam a aceitar as contradições anti-realidade do monetarismo e a ignorar a história de falhanços, mas é desta que a austeridade resulta! Ai, não, esqueci-me que a culpa é do pastor ter a camisola errada, apaga tudo.

    • Albino manuel says:

      Mais um padre ateu?

  2. Virgílio says:

    Defesa do aborto e ensinamentos de Jesus Cristo num mesmo texto já diz tudo sobre a ideologia de quem escreveu!

    • POIS! says:

      Pois tá bem, e queixa-se de quê?

      Então o autor até o defende e V. Exa. ainda protesta? Francamente!

    • Paulo Marques says:

      Em que mandamento é que vem o aborto mesmo? É antes, ou depois daquele sobre a homossexualidade?

  3. Fernando Manuel Rodrigues says:

    “…seitas evangélicas cristãs manipulam milhões de fiéis com curandeirismos e fraudes como a teologia da prosperidade, e que do dízimo de milhões de pobres e remediados produzem uns quantos pastores milionários, que ascendem aos céus de helicóptero.”

    Malandros – andam a enganar os incautos. Nada como virem para os lados do Bloco, que não os engana com nada. O Bloco fala a verdade, toda a verdade e nada mais do quye a verdade, assim Trotski os ajude.

    E é claro que enganar os incautos é mais ou menos a mesma coisa que andar a matar inocentes um pouco por todo o mundo, em nome de Alá. Bem…. é quase…

    Fundamentalista Mendes dixit.

    • abaixoapadralhada says:

      “Malandros – andam a enganar os incautos”

      Em contrapartida, há quem não engane ninguém !

    • Paulo Marques says:

      Claro que não, é o mercado livre a funcionar.

    • POIS! says:

      Pois tem V. Exa. toneladas de carradas de resmas de razão”!

      Ainda noutro dia vi vários tipos do Bloco que se apresentavam como é habitual com penteados esquisitos, roupa escura e jeans rasgados.

      Investiguei e vim a descobrir que os rasgões eram produto de os referidos militantes terem andado a percorrer de joelhos as instalações da antiga “Lisnave”, para pagamento de uma promessa feita durante uma (suposta) aparição de Trotsky em cima de um andaime da doca seca.

      Parece que é por causa do que Trotsky tem vindo a revelar nessas aparições que o Bloco passou a apresentar propostas como a de que a língua oficial do país passe a ser o sueco, seja obrigatório passar a usar-se as cuecas por fora das calças, a restrição do consumo de bifes de andorinha e o ensino obrigatório das danças aborígenes nas escolas.

      Até onde irão estes fanáticos, meu deus? Francamente!

  4. Rui Naldinho says:

    Em termos conceptuais Religião e Ideologia são coisas distintas. No entanto a sua praxis tem demonstrado coincidências importantes. O fundamentalismo religioso e algumas ideologias mais radicais, como o fascismo e o comunismo, este último levado ao extremo por Estaline, Mao, Kim Il-sung, Pol Pot, o Fascismo com outros intervenientes, como Hitler, Mussolini, Franco, Pinochet, entre outros, em nada diferem do fundamentalismo religioso actual e passado.
    Há de facto uma fé religiosa e uma fé ideológica, assentes na predisposição de um determinado ser, dito racional, para a alienação. É neste quadro que se constroem muitos dos piores cenários de segregação, extermínio e guerras, em vários locais do planeta. Os interesses económicos e geo estratégicos apoiam-se nestes movimentos para mais facilmente alcançarem os seus objectivos. Têm-no conseguido por diversa vezes.

    • fmart@sapo.pt says:

      Já agora, Rui Naldinho, por que razão considera Religião e Ideologia coisas distintas? O conceito de ideologia é certamente mais extenso, mas o de religião cabe lá dentro. Ou não? Obrigado.

  5. Julio Rolo Santos says:

    Fundamentalismos na religião, na política e no futebol são o início de uma caminhada para o abismo de uma sociedade. Contraria-los é um esforço colectivo e persistente que todos temos de assumir, senão, estamos todos f….. e mal pagos

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.