Pela liberdade, sempre!

a-revolucao-liberal-do-porto-pos-fim-ao-absolutismo-em-portugal-1Revolução Liberal, há 200 anos, no Porto.

Não esperemos pela degradação total da nossa Liberdade para voltar a agir em prol do valor mais importante.

Comments

  1. Rui Santos says:

    Agora com a esponja Z.Seabra, aquela que absorve tudo e não retém nada, no I.L. é que vamos conseguir, não uma mas muitas revoluções liberais, bem ao estilo de Deng Xiaoping .

    • Fernando says:

      Fiquei a saber agora que a Zita foi para o “Iniciativa Liberal” para reconstruir a direita…

      Esta gente não tem qualquer vergonha na cara…
      Portugal tem sido governado por sucessivos governos neoliberais (obviamente incluindo os do PS) e mesmo assim não lhes Chega!

      Enquanto não acabarem de vez com o SNS, Escola Pública e reduzirem à miséria quem vive do trabalho os liberais não descansam.

      É pela defesa da “liberdade”… acreditem!!

  2. Rui Santos says:

    Para as multiplas e necessárias revoluções liberais bem ao estilo de Deng Xiaoping, temos o I.L. que recrutou para o plantel a esponjosa Z.Seabra, aquela que absorve tudo e não retém nada.

  3. Carlos Almeida says:

    Que é que estes liberocas têm a ver com a revolução liberal de há 200 anos. Deviam ter vergonha


  4. Fale em Liberdade aos comunas e eles todos se arrepiam.
    Bons totalitários não negam.

    • POIS! says:

      Pois claro!

      Ai que saudades! A liberdade salazaresca era tão bonita! Que lindas fardas as da Legião Portuguesa! E que belas gravatas usavam os torturadores da PIDE!

      Já para não falar nas indescritivelmentemente belas jalecas da Mocidade Portuguesa com aquela fivela do cinto, uma coisa retorcida que era o símbolo da virilidade salazareira!

      E os hinos! Que belos…

      Minhas botas velhas, cagadas,
      De andar na lama sem parar.
      Quanto mais velhinhas e borradas,
      Mais amor eu tenho a Salazar.

    • Paulo Marques says:

      É por isso que o Menos pode dizer disparates em blogues de esquerda à anos, com perfis diferentes, sem nunca ninguém o mandar embora; é a falta de liberdade.

    • abaixoapadralhada says:

      Repugnante Sa Lazarento

      O teu conceito de liberdade passava por dar liberdade à PIDE de matar ou apenas prender os infelizes que combatiam o regime da ditadura

      Que 50 anos depois, continues a pensar assim, diz bem quem és e o que pretendes numa qualquer sociedade.

  5. Albino Manuel says:

    Isto por aqui só está um bocadinho melhor que o Insurgente. Sempre os mesmos a palrar e a comentar.Como são todos do Porto porque é que não fazem uma fusão? Sempre animava. Mesmo sem o Amorim Lopes, o mais inteligente do Insurgente, que percebeu que aquela manjedoura se tinha tornado tóxica.
    Nem só de doutrina vive o homem.

    • POIS! says:

      Pois bem, li e oferece-se-me dizer o seguinte:

      Parafraseando Magritte “isto não é um comentário”. Aliás, nem isto.

    • Paulo Marques says:

      E porque é que não vais para a tua terra ter com a tua progenitora?

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.