Debate Trump-Biden: antevisão

Os dois candidatos à presidência norte-americana vão hoje defrontar-se num primeiro debate tele-visionado. Quem estiver com falta de ficção pode acompanhar em diversos locais, entre os quais a CNN.

O debate vai-se resumir a isto:

  • Biden: Obama, Obama e Obama.
  • Trump: Mentir sobre o vírus corona. Mentir sobre o voto por correspondência. Mentir sobre as suas declarações fiscais. Mentir sem pudor.

Adenda: o debate inicia-se às 2:00 da manhã de 30/09/2020, hora de Portugal Continental

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Não, não: Obama, Obama, e nada vai fundamentalmente mudar; antes perder do que parar de empoderar os doadores do partido!

  2. Fernando says:

    Dois fétidos corruptos, um tenta disfarçar que não é corrupto, o outro quer lá saber…

    Mas a “esquerda”-liberal prefere o corrupto senil Biden, o mesmo que já prometeu que vai aumentar o orçamento do Pentágono e continuar a transferir triliões para os amigos de Wall Street.

    A comunicação social, incluindo a pró-todas-as-guerras CNN, continua a fingir que esta farsa é uma celebração da democracia…

    Para a “esquerda”-liberal é tudo culpa do Laranja com uma doninha amarela no cabeça, dele e do Kremlin.

    O prémio Nobel da Paz Obama, o tal que despejou mais bombas que o criminoso de guerra Bush e que salvou a Goldman Sachs & quejandos da falência, não tem qualquer culpa pelo estado das coisas…

    Isto está cada vez melhor!

    • Filipe Bastos says:

      Bingo, Fernando. Sem tirar nem pôr.

      Mas os carneirinhos esquerdolas cá do sítio preferem falar de racismo, no continente menos racista do mundo, na interminável saga LGBTQXNVBRPG, ou em aulas de ‘cidadania’ que se limitam a doutrinar tais larachas, enquanto deixam o status quo e a ortodoxia financeira e económica exactamente na mesma.

      Até dão gritinhos de alegria sempre que vêem o Obama e a Hilária, chulões quase bilionários que passam por ‘esquerda’, ou sempre que distribuem ‘likes’ dentro da sua bolha politicamente correcta. E depois admiram-se dos Trampas, Bozonaros e Venturas.

      • POIS! says:

        Pois tá bem!

        É o que se chama ser pobre e mal agradecido.

        Se os esquerdolas fazem tudo 100% como o seu reportório, do que é que se queixa? Se não fosse assim, escrevia o quê? Lá está!

        E não haveria sequer justificação para os Trumpas, Bolsoneiros e Venturescos. Nem quero pensar numa coisa dessas! Seria um horror!

        • Filipe Bastos says:

          Tem certa razão, POIS. Como sabe, a permanente atitude crítica torna-se parte de nós, como uma 2ª pele, e torna-se difícil imaginarmo-nos sem ela.

          Tenho um teste mental que gosto de aplicar a mim e aos outros: se de repente o mundo mudasse para acomodar tudo o que dizemos, se aceitasse todas as nossas críticas e nos desse razão em tudo, qual seria o resultado? Será que ficava melhor ou pior? E nós como ficaríamos?

          Que seria de si sem o JgMenos, já pensou?

          • POIS! says:

            Pois pensei!

            Teria de encarar o suicídio. O que até já aconteceu quando, subitamente e sem explicação, o Menos, passou mais de 24 horas sem comentar.

            Estive quase a passar ao ato mas depois puz-me a pensar que iria dar dinheiro ao chuleco do entalhador e aos mamões da Servilusa e recuei. É certo que tenho de continuar a suportar o chuleco do padeiro e o mamão do meceeiro, já para não falar nos supermamões da EDP (infelizmente extremamente necessários para um gajo, ao menos, conseguir ver o que os mamões chulecos lhe puseram no prato do jantar) e principalmente dos mamões das águas, que um gajo tem de chamar cada vez que sente o corpo excessivamente acarranhado. Um horror!

            Há que reconhecer que temos levado uma vida horrível..

          • Filipe Bastos says:

            É uma chatice, uma chatice.

            Note que acertou na Servilusa e na EDP – mamões e supermamões – mas o padeiro e o merceeiro são chulecos porquê? Têm algum tacho? Mamam no erário? Chulam os clientes?

            À partida não: fornecem produtos ou serviços pelos quais são pagos razoavelmente, sem excessos ou favores. Fazem o seu trabalho e são úteis à sociedade sem a explorar. Vê a diferença?

      • Paulo Marques says:

        Carneiros, só se estiver a falar do largo do rato; ou isso ou transparência bancária, controlo de capitais, saída do euro (ou, vá, sonhos de reformas) não contam, porque estragavam a narrativa.
        Nem percebi qual é o continente menos racista do mundo, se o que mete crianças em jaulas e tem uma indústria prisional de trabalho escravo essencialmente negro à custa de falcatruas, se do que tem muros por todo o lado, importa sazonalmente trabalho escravo ou exporta-os para as colónias (França) ou para a periferia (Alemanha), mas achar que países que se construíram na base da exploração deixaram de o fazer na era do neoliberalismo é anedótico; até MLK dizia alto e bom som que o problema era o capitalismo.
        Mas de alguém que acha que dizer que todos temos os mesmos direitos e ninguém tem nada a ver com as diferenças não espanta que ache que é indocrinação. Continue lá a lutar contra a sua classe, pode ser que ganhe alguma coisa, ao menos.

        • Filipe Bastos says:

          Se fala do PCP, é verdade que nisto é o menos mau: sempre vai denunciando alguns mamões. O Berloque tem a giraça Mortágua, aponta uns podres, mas é mais tralha identity politics do que esquerda.

          Que continente é menos racista que a Europa?

          • Paulo Marques says:

            Fazer questão de ir sempre falar com os trabalhadores nos piquetes é política identitária, fico a saber.

            A Antárctica 🙂 tem razão, são todos horríveis.

    • Paulo Marques says:

      Corrupto, em quê, só para saber?
      A esquerda liberal prefere o Biden porque ao menos mantem-se um estado de direito onde pode haver protestos, eleitoes e, quem sabe, mudanças. Não é pouco.
      Mas se acha que a tal de extrema-esquerda, antifa, ou lá o que lhe quiser chamar, gosta de algum dos partidos, Obama e Biden incluídos, não tem prestado muita atenção – isso é mais para os cosmopolitas beneficiários do fim da história.


  3. Tantas coisas mais divertidas para ver/ler, como por exemplo o embaixador dos terroristas amerdicanos a ameaçarem os tugas por causa dos negócios da China… E vocês a perderem tempo com tangas de debates entres bobos da república!

    • Paulo Marques says:

      Nenhum dos dois é capaz de saber o que fazer com a China; mas um não sabe de maneira que pode prejudicar directamente o país.

    • POIS! says:

      Pois V. Exa. desdenha, mas está errado.

      Houve lá coisas muito interessantes. Falaram lá em palhaços e tudo. O que revela muito respeito pelos irmãos amerdicanosl de V. Exa.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.