Demita-se!

Faça um favor a si mesmo e ao país, Eduardo Cabrita. Ganhe vergonha na cara e demita-se.

É um favor que faz também ao Primeiro-Ministro, o qual já tem culpa por manter a “total confiança” política em alguém que não a merece. E ao fala-barato presidencial que até agora se manteve reservado.

Mas, sobretudo, é um serviço que presta ao país, face ao enxovalho que recebemos internacionalmente e, sobretudo, ao assassinato de uma pessoa por parte dos que exercerem funções no Estado português.

Um assassinato!

Cabrita diz que andou preocupado nove meses. E porém, isso não o impediu de mentir ao parlamento e de demorar 17 dias a abrir um inquérito, quando o assunto foi tornado público pela comunicação social. No SEF e no ministério, primeiro tentaram esconder, depois usaram a peneira para tapar o sol e agora, apertados, estrebucham.

Sobre a ideia do botão de pânico, é uma constatação de que há motivos para pânico quando alguém vai ao SEF.

Dissolver o SEF? O problema não é a estrutura, mas sim as pessoas dessa estrutura. E estas não vão desaparecer. Mais do que mudar a estrutura, importa mudar os comportamentos que conduziram a este crime. Assim, com o que está a ser feito, mais parece um movimento para proteger o ministro do que uma tentativa de se resolver o problema.

Concluindo, é mais um episódio, este o mais grave de todos, de um ministro que não tem auto-crítica quanto ao que diz e faz.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    A razão básica para este ministro não ser demitido pelo PM, já que não sai pelo seu próprio pé, deve-se ao facto do PS não ter um “buraco”, com um estatuto social e remuneratório similar, onde o colocar.
    Uma vergonha!
    Quando o PSD é governo, por norma em casos idênticos ao deste, os Ministros ou Secretários de Estado abandonam o lugar, e o partido ou o governo laranja enfiam-nos rapidamente numa empresa privada ou num escritório de Advogados. O assunto resolve-se sem sequelas afectivas.
    Como o PS não tem grandes grupos privados para dar um emprego decente às suas elites, este fulano só podia ir exercer advocacia, caso tivesse prática no metier. Só que o rapaz Cabrita já se deve ter esquecido, com tantos anos a “políticar”, das artes de causídico.

  2. joão lopes says:

    “enxovalho internacional”,”não a estrutura mas sim as pessoas”,e acrescento: É de cima a baixo,a começar pela escola,isto é a Escola practica da PSP,em Torres Novas(apenas um exemplo,entre outros),onde a “filosofia” reinante é garantidamente a que os ciganos são os culpados de tudos,os paquistaneses,são apenas mão de obra escrava a trabalhar nos olivais a levar com veneno na cara,e os projectos de policia,já vem para a rua com conversa racista,homofobica e a saberem muito bem o que é abuso de poder(caça á multa,ex.) e impunidade.


  3. Dissolver o SEF? Não tenho aqui certezas. Mas sei algumas coisas. A mais absoluta desfaçatez e arrogância com que alguns polícias espancam um homem até à morte significa que eles estavam muito à vontade, confiados na impunidade e encobrimento dos outros elementos da corporação. Este não é um caso isolado, mas sim o mais grave de outros atentados cometidos pela “lei” de modo reiterado. Acresce que até hoje ninguém sabe nem discute qual o mobil de um crime tão asqueroso. É um tabú muito bem guardado e escamoteado por todos, media e poder. Porque será?

  4. Abraham Chevrolet says:

    Mesmo bêbado, não deves escrever nada sobre o Ministro Cabrita antes de veres a Inquirição de ontem,na A. R..
    Foi de tal modo que,prevista com duas partes,no final da 1ª os inquiridores abandonaram a sala,esgaseados, olhos em alvo,de calças na mão,tanto foram zurzidos,expostos e reduzidos à sua condição de malevolentes ignorantes !!!
    Que barrigada de riso,que cenas tristes !
    Que miseráveis!

  5. JgMenos says:

    Estamos numa cena tipo Tancos.
    Ninguém mais sabia de nada a não ser o ministro….

  6. Filipe Bastos says:

    Não sou grande apreciador do Alberto Gonçalves, um fanático direitalha que adora lamber o cu à canalha americana e à israelita, mas deste tema ele disse tudo o que havia a dizer.

    Recomendo o artigo “Por morrer um ucraniano não acaba o dr. Costa”, está no Observador e está lá tudo.

    De resto, qual o espanto? É a classe pulhítica e pseudo-gestora que temos, a impunidade que sempre conhecemos. A única novidade é a barbárie do caso. A nossa única redenção era a relativa paz e brandos costumes da Tugalândia. Já nem isso.

    E nem assim a carneirada acorda. Suspeito que se o Bosta amanhã decretasse o fim da ‘democracia’, uma nova PIDE e confinamento obrigatório até 2025, o máximo que conseguíamos era um gemido aborrecido e submisso. Triste país de cornos mansos.


    • Mas não está já mais ou menos decretado isso tudo? As tvs e os jornais que ainda se publicam são totalmente controlados pelo poder (por via de estarem todos falidos e dependerem da esmola pública). Quem se mete com o PS (enfermeiros, camionistas, hospitais privados, o sérvio) leva com uma inspecção da ACT, da ASAE, da ADC, da IGAS, de um magistrado amigo do MP, e/ou do fisco e/ou fica com a vida devassada nos jornais. Quanto a “confinamento”, é só ver ter tv ou ouvir rádio o que for ordenado está sempre bem, e quem disser o contrário é inimigo do povo, ou maluquinho, como no tempo do Brejnev.

      • joão lopes says:

        O servio ganha bem,paga mal e diz mal de Portugal,a Bastonaria dos enfermeiros é um pau mandado do Passos,os camionistas são explorados pelos donos das transportadoras,e os hospitais privados dizem que a saúde privada dá mais dinheiro que vender metralhadoras.E claro,quem manda nos jornais é o marxismos cutural,sendo o Observador gerido por pessoas do psd/chega,o Expresso é do Balsemao,e o Publico é da Sonae,QUE PAGA MUITO MAL AOS SEUS “COLABORADORES”


        • Percebo, pelos seus restantes comentários, que vá ter dificuldades em perceber isto, mas, mesmo que todas essas pessoas e entidades tenham todos esses defeitos, as autoridades inspectivas, regulatórias e judiciais do Estado não são instrumentos políticos do Governo do dia. Quanto ao mais, olhe, vá ler os jornais de que fala (excepto, claro o Observador).

          • joaõ lopes says:

            você escreveu:”quem se mete com o “PS”,portanto o maniqueísta esquerda/direita é você.E li no Observador,a entrevista de um imbecil,o Cavaco,onde você votou,o pior presidente de sempre…e principal responsável pelo desastre deste país.E é mentiroso,o homem.

      • Filipe Bastos says:

        Isso é verdade, mas, sendo justos, mesmo estes media domesticados vão deixando passar factos suficientes para causar revolta. Esta é que nunca acontece.

        A domesticação do povo supera até a dos media: seja o que for que estes digam, a carneirada encolhe os ombros e vai botar o botinho na mesma. Ou não vai, fica em casa ou na praia, nem sequer lá vai escarrar um voto branco/nulo no focinho destes pulhas.

        Que esperança pode ter um povo que não se revolta com nada? Que se deixa chular, roubar e gozar décadas a fio? Que tudo come e tudo tolera em troca de tachos na função pública, esmolas europeias, uns trocos a mais na reforma e centros comerciais parolos onde gastá-los?

        Depois há os adeptos do Benfica-Sporting pulhítico: veja-se o joão lopes, ainda fala do Passos. E o polvo xuxa, joão?

        • joão lopes says:

          O polvo xuxa dá-se muito bem com o polvo laranja,tão a favor dos baixos salários é o neoliberal Passos,como o neoliberal Sócrates.E você com o seu apelo à revolta,e superioridade moral perante os tugas,parece um taxista a pedir para alguém(mas quem?),pôr uma bomba na A.R.

        • Filipe Bastos says:

          Sem dúvida, o Centrão Podre dá-se muito bem. Desde que haja tacho, poleiro e mama todos se entendem.

          Uma bomba põe em risco inocentes. Nah, basta umas boas pauladas nesta canalha. Esperá-los à porta do Paralamento, das suas ricas casinhas, dos seu popós com motorista… estes pulhas não deviam poder sair à rua.

          Enquanto puderem, a falta – e a vergonha – é nossa. Quer seja um taxista ou um astronauta a constatá-lo.

        • Paulo Marques says:

          «Isso é verdade, mas, sendo justos, mesmo estes media domesticados vão deixando passar factos suficientes para causar revolta. »

          É quase como se isso fosse para benefício dos donos e de quem “comenta”. Pode lá ser.

      • Paulo Marques says:

        Não estão falidos e a precisar de esmola, os donos estão muito bem de saúde e habituados a não cumprir as leis laborais. E o João depois pede pena deles, ainda têm que pagar impostos e não ter a cozinha com baratas na carne podre para sobrar para o iate. Taditos. As “greves” que fala é mais do mesmo peditório, mesmo em larga medida os camionistas.
        Quanto ao confinamento… epah, o mundo não é Portugal, compare-se; a economia não se salva sem ele, ainda por cima num país que aceita (só) ser colónia de turismo.

  7. Júlio Rolo Santos says:

    Não pretendo branquear o resultado trágico passado no aeroporto de Lisboa com um cidadão ucraniano mas, a minha pergunta, é a seguinte: Porque é que a vítima se se recusou sucessivamente, dois ou três dias consecutivos, a embarcar no avião de volta ao seu país, como lhe tinha sido imposto pelo SEF? Respostas a isto, precisam-se.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.