Ouviu-o na TV?

Filipe Froes recebeu €385 mil das farmacêuticas desde 2013

(…) Filipe Froes — consultor da Direcção-Geral da Saúde (DGS), coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos (OM) e membro do Conselho Nacional de Saúde Pública (…)

Quem o critica aponta o facto de o médico, investigador e coordenador da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Pulido Valente receber quantias avultadas de empresas como a Pfizer, sendo também remunerado pela AstraZeneca (duas das fabricantes de vacinas para a covid-19), além de outras duas dezenas de farmacêuticas, desde 2013. Isto apesar de ser chamado para comentar nas televisões e nos jornais temas ou produtos desenvolvidos por essas mesmas empresas. Nos media, tem defendido as vacinas contra a covid-19, a vacinação de adolescentes, uma eventual terceira dose e também a intensificação da vacina para a gripe, sem revelar antes de cada intervenção as suas relações com a indústria. Nos últimos oito anos, Filipe Froes recebeu, segundo o que é público no site do Infarmed, €385.793, destacando-se as remunerações da Pfizer, no montante de €146.748. Só em 2020 e 2021, por exemplo, Froes recebeu da Pfizer €26.407 pela participação em reuniões médicas, palestras e congressos. [Expresso, 2021/08/27]

A situação foi tornada pública em primeiro lugar pelo ex-jornalista Pedro Almeida Vieira na sua página do Facebook. Depois disso, houve vários desenvolvimentos da parte do visado e da parte de PAV. Vale a pena a visita, na qual pode aproveitar para constatar o estado do negócio.

Quanto aos dados, são públicos e podem ser consultados no site do Plataforma Transparência e Publicidade do Infarmed. Basta pesquisar e constatar.

Esta pessoa ainda é consultor da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e membro do Conselho Nacional de Saúde Pública? E quem o recrutou para estas funções públicas não se lembrou de lhe perguntar duas ou três coisas?

Não é caso isolado, infelizmente. Mas se falam na TV deve ser tudo tal e qual como dizem.

Há tempos ouvi falar de uma coisa a que chamaram de conflito de interesses. Um dia ainda hei-de viajar ao estrangeiro para a observar.

Comments

  1. João Paz says:

    A ponta do iceberg José Manuel Cordeiro. Mas não podemos esquecer que os danos maiores por exemplo em navios não vêm da ponta mas da imensa mole do iceberg.

  2. POIS! says:

    Pois é!

    Depois de ler isto, palavrinha de honra que só me apetece esfaquear-me!

    A ver se a vacina sai!

    Aquilo nas veias anda sempre tudo junto, não é?

  3. Paulo Marques says:

    Sendo a saúde cada vez mais privada, será cada vez mais normal receberem da indústria. Sendo as universidades cada vez mais como empresas, idem.
    Há algo grave para que não se leve a sério as declarações de interesse.
    Mas entre isso e escolher a realidade por nós (que não é o JMS, mas sabe-se quem vem aí), como pretende o grande plano do caos de Bannon e cia, que nem declaram nada, nem vão mudar nada quando pegarem nos cacos, vai um grande passo. Os dados são o que são, com ou sem $, das vacinas e dos medicamentos, com subsídios para todos. Ou se paga directamente ordenados e investigação aos “xulecos”, ou isto continua a repetir-se. O resto é achar que só não é diferente porque não se quer que chegue, e a logística que se dane.

    • Filipe Bastos says:

      Acredito que não é má vontade minha: convido qualquer leitor do blog a explicar o que quer dizer o post acima.

      O 1º parágrafo ainda vá: saúde cada vez mais privada e tal. A partir do 2º parágrafo começa a descambar; daí em diante começa o paulo-marquês. Como esta frase:

      “O resto é achar que só não é diferente porque não se quer que chegue, e a logística que se dane.”

      O paulo-marquês é uma salada de palavras que reconhecemos e que parecem fazer vagamente sentido, mas sem qualquer contexto, lógica ou explicação. É claro como lama.

      Sempre escreveu assim? E os seus professores que diziam?

      • Paulo Marques says:

        A qualidade do produto é influenciada pelos incentivos, e longe de só monetários. Simples que chegue?

  4. Filipe Bastos says:

    Todos sabemos a origem do problema: a saúde privada. E todos sabemos a solução: a saúde não pode ser privada.

    O conflito de interesses vai muito além do consultor / mamador Froes, dos governos e ministros no bolso das farmacêuticas e dos grandes grupos, da OMS ou dos lobbies para impingir vacinas: interessa ao privado que haja pânicos e doenças.

    Interessa-lhes criar ou agravar doenças. Interessa-lhes vender a saúde cada vez mais cara. E não lhes interessa curar pessoas, mas sim fazer delas clientes para a vida. Toda a saúde privada é um imenso, obsceno, inevitável conflito de interesses.

    A saúde deve ser a primeira prioridade de qualquer sociedade. Só na estética e pouco mais se devia admitir privados. Toda a prática e investigação clínica deve ser pública. Falta dinheiro? Inventa-se dinheiro, como fazem a Banca e os ‘mercados’ há décadas.

    Se médicos mercenários têm de ganhar menos, passam a ganhar menos. Se falta pessoal, forma-se mais pessoal. Milhões de pessoas desperdiçam vidas e talentos em bullshit jobs. Nisto sim, vale tudo. Nada, absolutamente nada é mais importante.

  5. JgMenos says:

    A doença é privada, donde a saúde deve ser pública, dizem os grandes pensadores.
    O paciente faz o que bem quer da sua vida privada, come, bebe e faz o que quer, e o público trata-lhe das maleitas.

    Isto dito, a acção do Estado na área da saúde faz todo o sentido, se não descrita nos termos de uma esquerdalhada piegas e chula.

    Quanto ao caso:
    – se todo o pagamento de serviços tiver indicação de tarefa documentável, tempo e local, nada a opor; declarações falsas serão suborno e puníveis ética e no mais aplicável..
    – sem o sistema de saúde privado (investigação, produção industrial e assistência médica) nunca haveria progresso comparável – tudo o mais é treta.

    • José Peralta says:

      Ó “menos” !

      Como estás sempre de tocaia, para seres o primeiro a comentar (sempre contra “a esquerdalha”, claro !), ao fim dos primeiros cinco comentários, já temia que não te “apresentasses à luta”…

      Enfim, respirei de alívio !

      Aqui estás tu, “compreensivo”, a proteger com a tua asa protectora, um fulano, médico, que, em vez de servir o juramento de Hipócrates, (qual “juramento”, qual cara…melo ), é uma mera “caixa multibanco” !

      E logo te apressas, em sua defesa, a excretar, sentado sobre uma ventoínha…como é teu costume !

      Agora, por um momento, deixaste de te preocupar com corrupção, compadrio, amiguismo, burla, etc., etc…

      E nota ! A mim, não me interessa que o traste seja de “esquerda” ou de “direita” !

      Porque, para mim, um traste, é sempre um traste, independentemente do quadrante político…

      Como diria aquele fantoche (ai que não me lembro do nome !) tão igual a ti, que até parecem gémeos:

      ÉS UMA VERGONHA ! UMA VERGONHA ! ÉS UMA VERGONHA…

      • JgMenos says:

        Para ti como para a canalha esquerdalha se alguém é pago acima de um salário é corrupto.
        Isso decorre de quem sempre vê a vida como uma peregrinação proletária com os olhos na reforma subsidiada pelo Estado.

        Não conheço o homem nem a circunstância, limito-me a dizer o que teria que provar para não ser mero propagandista ou corrupto.

    • POIS! says:

      Pois, desta vez, acho que é uma grande proposta do JgMenos! De génio temos, pelo Menos, de reconhecer

      Os pacientes que comam ou bebam não devem ser assistidos no Serviço Nacional de Saúde!

      Aposto que nunca ninguém se tinha lembrado disso. Ponha-se em prática e o SNS fica logo muito mais sustentável. Um asceta indiano ou outro ainda pode dar despesa, mas tudo se controla.

      Segue-se a discussão sobre os protocolos com as agências funerárias. Os funerais devem ser públicos ou privados? Eis, pelo Menos, uma das questões a ser urgentemente respondida.

      Mas já há quem se oponha. Os grupos Sonae e Jerónimo Martins já exigiram uma audiência urgente à Comissão de Saúde da Assembleia da República. Desconhecem-se os motivos.

    • Abel says:

      Ó menos, sabe porque há “canalhas esquerdalhas”? Porque há canalhas e FDP direreitalhas.

      O sr., que é um indivíduo (?) às direitas, devia ser um pouco mais coerente, porque se está sempre pronto a vociferar contra a “reforma subsidiada pelo Estado”, também não devia esquecer que muita da “saúde privada” é subsidiada pelo estado.

    • Paulo Marques says:

      Sim, sem o sistema que gasta mais em lobí que investigação, era impossível!

  6. esteves aires says:

    “A saúde deve ser a primeira prioridade de qualquer sociedade”! Em resposta aos fascistas e neofascistas que se passei por aqui… Eles ainda cá estão…E preparem-se para o combate, que se avizinha, vai ser duro e prolongado…

  7. Júlio Rolo Santos says:

    Es te Sr. não recebe ordenado, e que ordenado, pelas funções que desempenha nos vários cargos públicos? ENTÃO PORQUÊ AS ALCAVALAS QUE RECEBE DO PRIVADO? PELOS PELOS VISTOS NÃO HÁ INCOMPATIBILIDADES ENTRE UMA COISA É OUTRA PORQUE CERTAMENTE NAO DESEMPENHA NENHUMA EFICAZMENTE. Estes é daqueles que apanha fama e põe-se a dormir, o dinheirinho lá lhe vai cair na conta todos os meses

  8. Elvimonte says:

    O chamado 2 em 1. Médico umas vezes e delegado da propaganda médica outras. Como a indústria farmacêutica se deve sentir feliz.

    Não é isto que se designa por infiltrado? Não é esse também o caso da directora da Agência Europeia do Medicamento, Emer Cooke?
    “Starting in 1985, she held various positions in the pharmaceutical sector.[4] From 1992 to 1995 and from 1996 to 1998 she worked for the European Federation of Pharmaceutical Industries and Associations (EFPIA)[a] as Manager of Scientific and Regulatory Affairs.[5][4][6].
    (…)
    Cooke’s appointment was criticized in a session of the Austrian Parliament on 1 April 2021 when member of parliament Gerald Hauser claimed a potential conflict of interest between her allowing the vaccine in her regulatory function, while having worked for the very same industry as a lobbyist in the past.[9][10].”

    Está visto: entregar a guarda da capoeira às raposas é agora uma boa ideia.

    • POIS! says:

      Pois é!

      Agora só falta entregarem a guarda das vacinas ao Elvimonte, para ficar tudo perfeito!

    • Paulo Marques says:

      Ui, quando descobrir quantos advogados há no parlamento a votar em matérias de interesse aos clientes da empresa…
      Mas, hmm, preferia quem não percebesse nada do sector? Ou uma Graça Freitas que subisse até lá? Um Paulo Macedo que percebe de tudo?

  9. Luís Lopes says:

    Eu tb adoro o Pai Natal e o Rodolfo, a rena comuna que obriga o gordo a se enfiar pelas chaminés abaixo e a ficar triturado nos exaustores.
    Também quem o manda nascer no seio da Coca Cola ?
    As farmacêuticas ao longo do século XX e mesmo no XXI, possibilitaram aos povos dos países designados “EVOLUÍDOS” poderem viver até mais tarde do que viveriam se tudo ficasse nas mãos da “Mãe Natureza”, apenas viram o lucro de ter gente a pagar por mais tempo e com maiores maleitas dada a idade ser atraente às ditas.
    Objectivo n.º 1 = LUCRO
    Por outro lado, nos países designados como “NÃO EVOLUÍDOS ou 3.º MUNDO” efectuam as suas experiências, pq as cobaias estão pelo preço da morte e aquela gente é 100% grátis e ainda agradecem as vacinas e outras tomas muito HUMANITÁRIAS que os laboratórios têm de entregar medicamentos experimentais, como um saco com bolas brancas e bolas pretas, ao tomares pode sair uma bola branca (porreiro, vive), mas tb pode sair uma bola preta (azar morre). Se viverem mais dos que morrem, pimba !… O mundo “EVOLUÍDO” vai garantir LUCRO.
    Mas se for o contrário, bem!… Falhou!… Volta-se a reiniciar todo o processo.
    Mortos ???? Quais mortos ?
    Foram só mais uns milhares de mortos, durante os testes para uma vacina SARS COV 2, eventualmente poderão existir mais, mas o empenho com que 50% sobreviveu, em tão curto espaço de tempo, valeu cada cêntimo ganho pelas farmacêuticas. Umas com um método, outras com outro e assim se foi garantindo que os mais nutridos e com melhores condições de vida, chegavam aos 75% a 80% de sucesso total, mais uns tipos que vivem do mercenarismo que é hoje a saúde, a discursarem por uns cobres que lhes permite terem todos os topo de gama da Jaguar, Bentley, Rolls, Tesla, Lamborgini, Ferrari, etc., e a coisa compôs-se com excelência.
    O VÍRUS QUE SEGUE SFF !

    • Tuga says:

      “Eu tb adoro o Pai Natal ”

      E tens toda a pinta de achar que a terra é plana

      • Luís Lopes says:

        Eu para mim é mais bolos!
        A terra plana, é mais tolos, em especial qdo Tugas.

        • POIS! says:

          Pois é!

          E os bolos devem ser de creme. A avaliar pela diarreia…

          • Luís Lopes says:

            Se o é, então podes esperar de boca aberta pelo pitéu e já agora podes levar tb no tupperware uns restos para os teus amigos do CHEGA.

          • POIS! says:

            Pois…CHEGA????

            Ahhhhhh! Ahhhhh! Aaaaahhhhh! Ai que o Lopes é tão cómico! É mesmo cócó…mico!

            Ai que já não me ria tanto desde que o outro caiu da cadeira!

            Quanto ao resto: temos que nos render!

            O Sr. Lopes é mais um refinado produto das nossas refinadas elites, educado desde tenra idade por distintos perceptores que lhe ensinaram artes só ao alcance das nossas melhores sociedades, tais como a comer com faca e garfo e a nunca se sentar numa sanita sem pedir licença e desculpar-se por estar de costas.

            A subtileza, o fino trato, o respeito pelos opósitos, o refinadíssimo sentido de humor, tudo avulta neste vulto da nossa cultura, sem o qual a nossa Pátria estaria, senão mais pobre, talvez menos remediada.

            O nosso obrigado por esta demonstração da mais refinada Educação.

        • Tuga says:
          • Tuga says:

            Logicamente está era para o “inteligente” caríssimo e estimado Sr Luís Lopes

    • POIS! says:

      Pois é, ó Lopes!

      Pelos vistos com V. Exa. a “Mãe Natureza” ainda não cumpriu o seu dever.

      Deve estar assoberbada, o trabalho tem sido muito.

      Mas está para breve, certammente!

      Quando se der o acontecimento, por favor, mande uma “selfie” da lápide.

      Dá-se uma sugestão para o epitáfio:

      “Aqui descansa o Lopes de uma vidaça de gaijas e copes. Foi a “Mãe Natureza” que lhe apagou a vela acesa”.

      • Luís Lopes says:

        A terra treme e shit happens !
        Mas para quem se julga Deus… Pois!
        E morre tanta gente boa, porque raio o lixo teima em persistir existir ?
        Até se julga no direito de julgar conhecer quem claramente está a anos luz da capacidade do seu neurónio coxo.
        POIS !

        • POIS! says:

          Pois, pois!

          Quem se “julga Deus”????

          Ah! Ahhhhh! Ahhhhh! Ai que o Lopes é tão cómico! Ahhh! Ahhhh! Ahhhh! Ai que nem posso!

          Olha quem fala! Leiam o que escreveu o Lopes!

          Já não me ria tanto desde que a “Mãe Natureza” fez cair o outro da cadeira!

          Quanto ao resto: já dizia o outro que mais vale ter mau hálito que não ter hálito nenhum.

          Ou seja: mais vale um coxo do que dois defuntos, que foi como a “Mãe Natureza” contemplou neuronalmente V. Exa.

          Por fim, cito um comentário de mau gosto, feito certamente por algum energúmeno das relações de V. Exa.:

          “E morre tanta gente boa, porque raio o lixo teima em persistir existir ?”

          Vale também para V. Exa. Ou “julga-se Deus”???

          • Luís Lopes says:

            Sou alguém que tem o que V. Exa. não.
            Dou a cara e o nome, o caro dá um nickname e eventualmente l’arrièrre.
            Não discuto com mentecaptos, dixit

          • Luís Lopes says:

            Foi a velhice conjuntamente com o facto de ser bastante sovina, que a velha cadeira cedeu com o peso do botas. A madeira devia ser boa, pois aguentou mais de 48 anos. Mas o botas estava podre e ao cair de tão baixa altitude, estilhaçou.
            Contudo e pelo que tenho visto e lido, deixou muito seguidor apaixonado. Ele, o do bigode aparadinho nos lados e o maluco careca que fazia beicinhos.
            Mas acreditar que foi a natureza quem o fez cair da cadeira, é mesmo de quem acredita nos pastorinhos de Fátima e nos cogumelos miraculosos que estes devem ter comido.

            Mas já chega, que ninguém me paga para aturar gente com problemas do foro neurológico.

            Dixit

          • POIS! says:

            Pois é! Ou seja:

            V. Exa. não me conhece de lado nenhum, mas julga logo que eu sou da sua laia.

            Pois não sou, Herr Lopes!

            Eu posso não usar o meu nome (sabe, porque já tive uma má experiência anterior), mas não sou analfabeto, caraterística que V. Exa. revela nos comentários que me dirige.

            Revela uma notória falta de educação, boçalidade a rodos e tudo o mais. Era melhor que não usasse o nome. Há mais Luís Lopes neste mundo. Eu conheço um, pelo menos.

          • POIS! says:

            Pois vivaaaa! Vivaaaaaa!

            O Lopes adivinhou! O Lopes adivinhou!

            Que quem caiu da cadeira foi o Oliveira de Santa Comba!

            Eu não disse quem era, mas ele, simplesmente, não deu hipóteses!

            Só uma inteligência superior é que pode ter capacidade para adivinhar tal coisa! É impressionante, este Lopes!

            E teve também a humildade de a todos nos corrigir: não foi a “Mãe Natureza” que fez cair a cadeira!

            Estou sem palavras! Terá sido uma conspiração?

            Será que o calista estaria envolvido nisto? Ou a Maria de Jesus, por ciúmes? Ou a cadeira, afinal, seria um agente do KGB disfarçado?

    • Paulo Marques says:

      Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Os esforços para combater a malária e o ébola, por ex, não são questões de lucro colonial. E nas vacinas da pandemia, o foco é claramente o lucro garantido no 1º mundo, onde tentam assustar com a natural queda de anticorpos à procura de mais.

  10. Carlos Almeida says:

    Sr Lopes

    Um Nick name como lhe chama ou um nome como por exemplo Oliveira Salazar ou Luís Lopes, valem o mesmo.
    O que conta e o email com que regista. O seu nome Luís Lopes pode ser muito bem falso e em termos de identidade vale tanta como zero.
    Há blogs que é diferente mas aqui é assim.

    Portanto sr Lopes, como dizia o outro, chapéus há muitos e Lopes tambem

    A Bem da Nação

    Carlos Almeida


  11. Eh eh eh eh!… Vejo aqui que existem !… Existem POIS !
    Numa de boa educação, com um toque de género trocado, mas cujo verniz foi adquirido na loja do chinês e por conseguinte estala quando não o aplaudem.
    Fala de laia, pois parece ser um expert desta!
    Boçalidade !… Ena!… Consegue elaborar a palavra, muito bem.
    Mais um burguês com necessidade de arrotar (boçar), mas para isso, só sendo pegado ao colo e, dando-lhe palmadinhas no fofo, ou expele por cima ou por baixo, o ar de pompa que procura ostentar.
    Uma experiência anterior !… Pelos vistos não gostou e agora dedica-se a pregar aqui, porque ninguém de facto lhe liga.
    Quanto ao ser ou não analfabeto, bem, aqui até ao momento, apenas demonstrou ser uma pessoa muito triste, e como tal pode encher o ego apenas com um teclado e um ratito, ou então no iPad, porque sem a última high-tech da moda nem pessoa se sente.
    Lamento por si POIS!… Mas olhe, se quiser, conheço um excelente psiquiatra e garanto que não vou cobrar comissão, pois diante de um ser que claramente sofre de TOC, eu só quero ajudar.
    Sinceramente tenho pena de si.
    Mas olhe, deixo aqui alguma prescrição de SSRIs, fluoxetina, paroxetina, sertralina, citalopram, escitalopram e fluvoxamina mas olhe que só com receita ok ?
    Que pena!… E parecia tão boa pessoa !

    • POIS! says:

      Pois conhece um psiquiatra?

      Eu também. Até conheço vários.

      Tanto trabalho teve V. Exa, para isto, mas tratando-se de um ausente a quem a “Mãe Natureza” já tratou da saúde, sempre arranjou maneira de se entreter.

      Boa noite.

      • Sensei says:

        Since when is someone’s pleasure cemetery? But I see you were born in good company, at least very quiet. Already without any wisdom, but for you, comes that of the earthworm, which overloads and well, its declared diminutive intellect

      • Sensei says:

        A psychiatrist, it’s something that scares you, isn’t it?
        After all, what other stage other than this in the anonymity of the internet, could be read even demonstrate that exists?
        It is worth it, but look that the help of a professional, would do miracles and your’s clear frustrations, would be brought to see the sunlight.
        Who knows if even your shame in taking on a gender could be released once and for all!

        • POIS! says:

          Well, after this terrific prose:

          You must feed your zebriu!

          What is a zebriu:

          It´s de mix of a zebra with the bitch that gave you birth.

          Does’t rime? Try in another language!

          • Sensei says:

            Bless you !… Poor mental retard.

          • Maître says:

            Mais ce type est vraiment stupide et mentalement retardé. Cela en vaut la peine et devrait être admis dans une maison de fous afin de ne plus embarrasser l’espèce humaine.

          • Meister says:

            Aber dieser Typ ist wirklich dumm und geistig aufgehalten. Das lohne sich und sollte in ein Narrenhaus eingelassen werden, um die menschliche Spezies nicht mehr in Verlegenheit zu bringen.

          • Maestro says:

            Pero este tipo es realmente estúpido y mentalmente retrasado. Vale la pena y debe ser admitido en un manicomio para no avergonzar más a la especie humana.

          • Padrone says:

            Ma questo ragazzo è davvero stupido e mentalmente ritardato. Ne vale la pena e deve essere ammesso in un manicomio per non mettere ulteriormente in imbarazzo la specie umana.

          • Sensei says:

            “It´s de mix of a zebra with the bitch that gave you birth.” E depois o boçal sou eu, meu grande filho da P U T A tens sorte de não me o dizeres na cara cobarde de merda pois partia-te essa boca toda, porqu efoste cagádo e não parido filho da maior P U T A do mundo.
            Chega-te assim ou queres com mais molho cabrão ?

          • POIS! says:

            Pois não me diga, ó Sensei!

            V. Exa. afinal é o Lopes???

            Eh! Pá! Não estava a reconhecer!

            Mas a linguagem boçal de V. Exa, afinal é como o algodão! Não engana!

          • POIS! says:

            Pois, e também lhe digo,ó Sensei-Lopes:

            Lá se foi a esmerada educação que lhe deram os seus paizinhos. Será por isso que V. Exa. resolve meter-se com os paizinhos dos outros. É inveja, menino Sensei-Lopes.

            Deviam ter-lhe dito é que é perigoso o menino andar na rua, principalmente em dias de trovoada. Tal como já disse aqui a outro da sua laia arrisca-se a que lhe entre um raio pelo fundo das costas acima!

            E também lhe deviam ter dito que nem todos tinham nascido da mesma maneira que o menino Lopes. Foi enganadinho.

            Mas, em contrapartida ensinaram-no a insultar em estrangeiro! Insultar, é como quem diz, que não insulta quem quer. Só quem tem os mínimos.

            Desafortunadamente, tal não será o caso de V. Exa, ó Meister Maestro Padrone Sensei-Lopes.

      • Paulo Marques says:

        Para quê ligar a este idiota útil? É isso que sempre quis.


        • Bom dia, peço desculpa por me intrometer neste chorrilho de tontearias, porque na realidade é disso que se trata, um designado POIS e um designado LOPES, com uns heterónimos à mistura.
          Os caros não têm mesmo mais nada para fazer, que possa ser de alguma forma útil e construtivo ?
          Dá ideia de muitas frustrações recalcadas e um inexplicável ódio pseudo intelectual.
          A dada altura, um dos intervenientes, trouxe a palavra psiquiatra à discussão, pois na minha humilde opinião, é caso para tal sim senhor, ainda que aparentemente nada do que atiram um ao ouro, vale o que quer que seja.
          A liberdade de expressão, não é isto que V. Exas. factualmente apresentam.
          Uma vez mais, as minhas desculpas por ter abordado este longo roll de disparates.

          Atentamente
          João Perestrelo, dr.

          • POIS! says:

            Pois obrigado.

            Sr. Perestrelo, dr.

            O que eu duvido é que, se eu chamasse a V. Exa. uma besta atrasada mental V, Exa. se ficasse, sem mais.

            Veja a sucessão de comentários.

            Eu não respondo a toda a gente no tom em que respondi ao Sensei-Lopes, pois não?

            E também devolvo a V. Exa. uma questão : porque é que é caso para “trazer um psiquiatra á discussão”?

            Será que é por V. Exa. nela ter querido entrar?

            E qual é o problema de alguém recorrer a um psiquiatra? Qual é?

            Ou V. Exa. é mais um preconceituoso daqueles que pensam que o recurso a psiquiatras (não sei se V. Exa. sabe, mas são médicos) é para “alienados”?

            Antes de pregar moral ao vizinho, arrume V. Exa. primeiro o seu sótãozinho!

    • POIS! says:

      Pois já lá diz o povinho…

      Na minha terrinha:

      “Quando um Lopes dá em Segismundo é porque bateu no fundo”.

      Que sábio é o povinho! Lá na minha terrinha!

      • Tuga says:

        Eu o Lopes conheço o do lápis, mas isso foi há 60 anos. Já cá não está quem cantava essa do lápis do Lopes

        • POIS! says:

          Sim senhor!

          Era o conjunto do Mário Simões, aqui com Angel Barredo. Um EP hoje bastante raro.

          No lado A estava primeiro a canção “Não Me Pises”, e só depois “O Lápis do Lopes”, mas foi esta a canção mais passada na rádio – o que era difícil, pois os técnicos tinham de acertar a faixa (por isso é que nos LP 33 rpm passavam muito mais primeiras músicas dos lados A e B…).

          O mesmo Mário Simões lançou também uma canção chamada “A Borracha do Rocha”.

          E ainda dizem que o material de escritório não pode ser tema de canções! Quem se atreve?

          • Carlos Almeida says:

            “Um EP hoje bastante raro.”

            Eu tive esse EP quando era garoto, mas perdi-lhe o rasto.

          • Carlos Almeida says:

            Aqui tem a versão no Youtube

          • POIS! says:

            Já tinha visto.

            Esta parece ser, segundo os entendidos, uma edição espanhola. Lembro-me vagamente de a capa ser diferente, quando a vi, lá pelos anos 80.

            Com o conjunto do Mário Simões cantou, entre outros, o Carlos do Carmo. Também me passou pelas mãos um desses EPs.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.