Partido Republicano nas mãos da jihad cristã

Um slogan que fala por si.

Na Pensilvânia, a nomeação dos republicanos para governador do Estado recaiu sobre Doug Mastriano, militar na reserva e actual senador estadual.

Apoiado por Donald Trump, Mastriano integra a ala mais radical do partido, sendo conhecida a sua proximidade ao movimento QAnon e outros grupos de extrema-direita.

Recentemente, desempenhou com mestria o papel de caixa de ressonância de Trump para a narrativa da fraude eleitoral, tendo financiado o transporte de centenas de delinquentes envolvidos na tentativa de golpe de Estado a 6 de Janeiro de 2021. Quando a violência tomou conta da ocorrência, porém, Mastriano fez o mesmo que Trump e outros cobardes no local: fugiu.

O lado mais perturbador da ascensão deste extremista, a meu ver, diz respeito à sensível questão do fundamentalismo religioso. Recentemente, num comício, Mastriano foi descrito como “escolhido por Deus”, o que é sempre um sinal de alerta para a presença de charlatanice religioso-populista.

Na verdade, Mastriano é partidário de posições dominionistas, que defendem a transformação dos EUA numa teocracia, onde o Cristianismo ocupa uma posição central e a Bíblia, tal como o Corão nas teocracias islâmicas, assume o lugar de lei fundamental. Como se diz “sharia” em cristianês?

Bem sei que isto soa anedótico, quando pensamos que Mastriano é um dos capos de Trump, um depravado com historial de adultério e recordista de pecados ditos mortais, que é, literalmente, a negação da esmagadora maioria dos ensinamentos de Jesus. Mas existe uma forte possibilidade de, tal como por cá, a extrema-direita estar apenas a instrumentalizar a religião para obter ganhos políticos e instalar-se no poder. E a cavalgar a profunda ignorância que todas as religiões proporcionam aos seus mais alienados fiéis. Ainda assim, confesso-me assustado ao ver os EUA caminharem em direcção a modelos de governação idênticos ao iraniano ou saudita. Como se a pandemia, o estado de crise económica permanente e a invasão da Ucrânia não fossem, por si só, suficientes.

Comments

  1. estevesayres says:

    Os neofascistas e neonazistas estão em todo lado, não é por a caso. que nos EUA, existem os maiores terroristas do Mundo!!!

  2. Paulo Marques says:

    Se é esse o caminho que o líder do mundo livre(tm) quer, só temos é que aceitar e apoiar a transição dos nossos valores para outro patamar, a bem do lado dos bons e da luta contra a Euroásia.
    Afinal, tratam-nos tão bem quando estão contentes e até já nos deixam ter trocas com a Venezuela. Que amigos.

  3. JgMenos says:

    «Mas existe uma forte possibilidade de, tal como por cá, a extrema-direita estar apenas a instrumentalizar a religião para obter ganhos políticos e instalar-se no poder»

    Além de um estúpido ‘tal como cá’, a questão a colocar é a de saber qual a superioridade moral dos fundamentalistas da igualdade para combater o fundamentalismo religioso?

    Duas cretinices que se igualam!

  4. luis barreiro says:

    Ainda ontem vi o totoloto e a jihad cristã vai á frente no campeonato das execuções de lgb bem distante da jiahad mourisca.

    • João Mendes says:

      Se tomasses os comprimidos em vez de veres o totoloto, talvez não dissesses tanta merda. Mas que isto não te iniba. Alegras muito os meus dias! Nunca acabes, pequenito 😘

    • Paulo Marques says:

      Fora a confusão e a generalização só para um lado, só um é que é o nosso querido líder a quem deixamos as decisões geopolíticas e modelo económico-social, sob pena de não corrermos o risco de exercer soberania.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.