É abuso de autoridade, é violência policial, é terrorismo pago por todos nós, ó animais – ou quando o racismo vem fardado

“É gás pimenta, ó animal”: militares da GNR torturam por diversão imigrantes de Odemira

Quantos mais “casos isolados” de violência policial terão de haver para percebermos, enquanto sociedade, que já não são casos isolados?

As autoridades competentes da UE ou da ONU têm alertado: cuidado com a infiltração da extrema-direita nas Forças de Segurança portuguesas. Mas ninguém parece estar minimamente interessado. [Read more…]

Já chegámos à Madeira?

Estamos em estado de sítio? foi suspensa a liberdade de expressão?

A GNR deteve hoje de madrugada na fronteira do Caia (Elvas) duas pessoas  (…)  os dois cidadãos, um homem de nacionalidade espanhola e uma mulher portuguesa, foram detidos cerca das 4h45 na fronteira do Caia.  A GNR encontrou no interior do carro armas brancas, designadamente uma navalha, uma catana de 40 centímetros e um estilete, e vários panfletos com mensagens anarquistas e anti-polícia, adiantou.  A mesma fonte afirmou ainda que os panfletos estavam escritos em espanhol e tinham mensagens contra a polícia e incitavam à violência. in Público

Vamos lá ver: desde quando se pode justificar uma prisão com a posse de panfletos com “mensagens anarquistas”? As supostas armas brancas são incolores todos os dias, mas aí até admito a ilegalidade. Agora uma polícia que invoca a posse de panfletos está no mínimo a abusar da sua autoridade.

De resto a Lusa não conta tudo. Segundo o Linha de Elvas “Nas primeiras sete horas da operação de controlo na fronteira do Caia foram controlados 364 cidadãos, efectuadas quatro recusas de entrada no país e duas detenções por posse de arma branca, revelou uma fonte do SEF no local.”  Tipo: ó pá, tens cara de Black Bloc, não entras.

Depois digam-me que a Nato defende os valores das democracias  ocidentais. Mas digam muito alto que estas coisas deixam-me surdo.