Como está o teu nível de sinceridade, Durão?

Durão Balsemão

Há pouco mais de duas semanas, nas Conferências do Estoril, Durão Barroso afirmava perante a plateia que, desde a sua saída da Comissão Europeia, o seu “nível de sinceridade aumenta todos os dias“.

Apesar das dúvidas óbvias que tais declarações suscitam, tentemos por um momento abstrair-nos daquilo que é o historial do primeiro-ministro que abandonou o país por dinheiro e prestígio e assumir que as declarações do mordomo das Lajes, excepcionalmente, são verdadeiramente honestas. Partindo deste princípio, agrada-me a possibilidade de virmos em breve a saber um pouco mais sobre os meandros do nebuloso Clube Bilderberg, no seio do qual alguns acreditam que se decidem os destinos do globo. É que o magnata da comunicação social Francisco Pinto Balsemão prepara-se para passar a pasta de membro residente do steering committee desta organização ao senhor cherne, pelo que, dado o recente aumento do seu nível de sinceridade, talvez fiquemos em breve a saber um pouco mais sobre estas reuniões que juntam a elite europeia e norte-americana, sempre envoltas em total secretismo, patrulhadas por exércitos locais e cuja esmagadora maioria dos participantes partilham a extraordinária coincidência de serem eleitos ou seleccionados para cargos de relevo nos seus países e/ou em organizações internacionais pouco depois de por lá passarem. Alguns chegam mesmo a demitir-se dos cargos que anteriormente ocupavam, um mês depois de lá terem estado. Vale tudo.

Agora a sério: é claro que não vamos saber coisa nenhuma. Perguntar-lhe o que quer que seja sobre esta organização terá o mesmo efeito que a tentativa frustrada da jornalista Marisa Moura em 2013: silêncio. O nível de sinceridade de Durão, a existir, nunca chegará a tanto. Para além de que importa manter a maior parte dos ainda portugueses na ignorância. Eles não iam perceber…

O Clube

António José Seguro e Paulo Portas chegaram hoje a Londres para encontro anual Clube Bilderberg, “instituição” que reúne a “nata” do mundo político, financeiro, militar e lobista em geral. Este Clube, composto por gente injustamente acusada de mexer todos os cordéis por trás de todos os eventos políticos e económicos relevantes no planeta Terra, vê-se forçado, devido a toda esta injustiça, a reunir à porta fechada, sem jornalistas (em sua representação estão os CEO’s dos principais grupos de comunicação social mundiais como Rupert Murdoch, esse arauto da informação isenta e de qualidade) e, regra geral, sob forte protecção das forças de autoridade do país anfitrião. Mas mesmo que fosse permitida a presença dos jornalistas no evento, a julgar pelo tipo de destaque mediático que estes encontros têm, o mais certo era que poucos marcassem presença. Afinal de contas, que interesse tem cobrir um encontro que reúne cerca de 150 dos principais players mundiais que tomam decisões por nós sobre quase todas as dimensões da nossa vida? Pffffff! Conspiradores… [Read more…]