A família pedófila

família pedófile

Para os meus discentes do derradeiro ano da Licenciatura de Antropologia do ISCTE, antes de entrarmos no Modelo Bolonha de Universidade.

É-me quase impossível esquecer este ano de debates, quer em Etnopsicologia da Infância, quer em Antropologia Económica. Durante o ano que finda este mês, quatro discentes meus foram pais e mães. Não consigo esquecer os incasáveis conselhos que saíam da minha boca, via Freud, Klein, especialmente Bion: permitam às crianças entenderem o mundo, não durmam com elas ou, como diz Boris Cyrulnik, qualquer dia temos uma família pedófila? [Read more…]

a materialidade dos afectos

a afectividade é erótica, porém material

As crianças observam-nos. As crianças sabem de nós. As crianças descortinam-nos. Esses pequenos seres entre os 12 meses e os cinco anos, imitam-nos. Procuram em nós uma satisfação sentimental das suas emoções e colmatar os seus desejos de uma resposta simpática no difícil processo de amar. Um processo que requer um parceiro, esse processo de ida e volta, conjugado no verbo amar: de simpatia, de antipatia, com raiva, ou, simplesmente, não amar. [Read more…]

falar de crianças

as crianças sabem e entendem

Retirado do meu livro de 2008: A ilusão de sermos pais.

Falar de crianças, é uma temática complexa. Primeiro, porque o conceito, às vezes, é usado como substantivo para definir um comportamento, outras vezes como adjectivo se queremos denegrir indivíduos do nosso grupo social dos quais não gostamos, revelando assim a existência de um pensamento negativo sobre pessoas do nosso grupo social. Por outras palavras: é um conceito manipulável. A definição de criança pode ser complexa: não é um conceito que faça referência sempre á mesma idade, porque pode-se ser denominado criança ao nascer, nos cronológicos quatro anos, ou, como definem a lei positiva e canónica no caso português pode-se tornar a ser criança por diminuição da capacidade de entender o real ou desenvolvimento da capacidade de usar a razão E, finalmente, o conceito criança muda conforme é empregue nas várias ciências que falam dos mais novos, no senso comum – o mais usado – e na cultura que é referida, é dizer, muda conforme seja permitido agir dentro dum Estado, uma Nação, Etnia, ou Grupo Social tout court. [Read more…]

Hospital de S. João: As enfermeiras eróticas


Vivemos tempos de crise e de austeridade no Orçamento do Sistema Nacional de Saúde, mas a Administração do Hospital de S. João não quer saber: acaba de encomendar ao estilista Nuno Gama novas fardas para os seus funcionários, num processo que deverá custar aos confres do Hospital mais de um milhão de euros.
O Aventar está em condições de apresentar em primeira mão, hoje, as novas fardas das enfermeiras do Hospital de S. João, desenhadas pelo genial lápis de Nuno Gama.
Devemos agradecer a Nuno Gama e, em última instância, à inteligente Administração do Hospital de S. João. Com estas novas fardas, não vai haver doente que não arribe de imediato, com as consequentes poupanças a nível de hospitalização. Ou não…
– Senhora enfermeira, senhora enfermeira, as minhas lentes de contacto cairam ao chão. Não se importa de apanhar por favor?(…)

%d bloggers like this: