Acabou a corrupção em Portugal

corrução

Excerto de O Economista Português

Sim, sim, já se sabe que o chamado acordo ortográfico (AO90) não prescreve a eliminação de consoantes articuladas, ou seja, as que se pronunciam (e até admite que umas consoantes possam ser articuladas ou não e, portanto, escritas ou não). É verdade que, com o AO90, por exemplo, facto deverá continuar a escrever-se facto, pelo menos no caso das pessoas que pronunciam o C, o que corresponde à maioria dos portugueses, sendo de ressalvar, talvez, os que pronunciam “atorze” quando querem indicar o dobro de sete.

Não é menos verdade, no entanto, que, apesar de tudo isso, há uma epidemia de quedas indevidas de consoantes, o que torna possível ler garrafais “contatos” em cartazes e descobrir frequentes questões “de fato” no Diário da República, para não falar em “patos de silêncio” ou em “patos com o diabo”, vade retro. [Read more…]