Os cortes no pré-escolar e as consequências para o seu filho

Sabia que 150 crianças podem passar parte do dia apenas com a supervisão de dois adultos?

Rentabilizar recursos significou desde logo que deixasse de existir 1 (uma) Assistente Operacional (auxiliar de educação) por cada grupo de Jardim.

Os infantários já começaram a ser refundados. Porque pior é sempre possível, o impossível vem já a seguir.

A ler.

 

Privatização dos infantários da Segurança Social: Ninguém luta pelas nossas crianças?

O Governo prepara-se para privatizar a partir de 1 de Setembro 25 infantários e centros infantis em todo o país. A comunidade criada no Facebook é cada vez maior. A Comunicação Social em breve vai dar atenção a esta luta.
Mas e os Partidos políticos, onde param? Por onde anda o PCP e o Bloco? Não é uma luta que lhes interesse, a luta das nossas crianças? Não é uma luta que lhes interesse, a privatização de 25 infantários e o despedimento colectivo encapotado de mais de 1000 funcionários públicos?
E os Sindicatos de Professores, onde param? As educadoras de infância não são colegas? Não são sindicalizadas? Não estamos a falar de pré-escolar?
E os blogues de educação, onde param? Há tanto para falar de educação e nem uma linha para defender as nossas crianças? Para defender as educadras de infância que vão ficar sem emprego?
Vamos à luta, porra! Podem conseguir o que querem, mas não hão-de consegui-lo sem luta!

Privatização dos infantários da Segurança Social: A menos de 80 dias do início do ano lectivo, nem o concurso público foi lançado


Até posso aceitar que se defenda a privatização dos infantários da Segurança Social. Não concordo, mas posso aceitar.
Até poderia admitir que as novas entidades gestoras prefiram ter a sua equipa educativa em vez de uma equipa herdada da Segurança Social. Não concordo, mas poderia admitir.
O que para mim é completamente intolerável é que tudo se faça em cima do joelho e que este processo vá prejudicar, acima de tudo, as nossas crianças. Não admito nem aceito que, a menos de 80 dias do início do novo ano lectivo, ainda nem sequer tenha aberto o concurso de privatização e se vá mudar tudo – entidade gestora, direcção, funcionários – em cima da hora.
Qual é a entidade? Qual vai ser a sua estrutura orgânica? Qual será o Projecto Educativo? Como vai funcionar?
É escandaloso que se faça tudo desta forma. Ao ponto de se admitir contratar pessoal exterior em regime de outsourcing se a transferência não estiver concluída, como se sabe que não vai estar, a 1 de Setembro.
Para lutar contra tudo isto, está criada uma Página no Facebook para lutar contra o despedimento colectivo de mais de mil educadores e auxiliares especializados em 25 infantários da Segurança Social em todo o país.
São eles o [Read more…]

Só não se privatizam a si próprios porque ninguém os quer (a propósito da privatização do Centro Infantil de Valbom)

O Centro Infantil de Valbom, propriedade da Segurança Social até hoje, vai ser privatizado. A partir de 1 de Setembro de 2012, nada restará de uma história de mais de 30 anos a não ser as paredes.
Directora, equipa pedagógica, educadoras de infância, auxiliares, restantes funcionários – vão todos embora. Para onde, não se sabe muito bem, porque a Segurança Social vai privatizar todos os infantários que ainda estão nas suas mãos.
Não se pense que o Centro Infantil de Valbom é um infantário qualquer. Não, não é um daqueles Centros Escolares que o Daniel Oliveira tanto venera. Não é um depósito de crianças. Não é um monte de betão.
Tem vida, tem alma, tem ar livre, muito ar livre. São 10 mil metros quadrados de jardins e de parque infantil para as nossas crianças brincarem. Só a caixa de areia do Centro Infantil de Valbom é maior do que o espaço livre desses Centros Escolares horrendos com que Sócrates infestou o país.
Tem hortas. 3 hortas. Uma por cada sala do pré-escolar em funcionamento. Alfaces, repolhos, couves roxas – tudo plantado, tratado e colhido pelas nossas crianças. [Read more…]

Querida, encolhi as creches

A arte de Pedro Mota Soares, a caminho do Rossio metido na Rua da Betesga. Pode ficar descansado: por enquanto o seu filho ainda não vai ter de dormir a sesta de pé.

via Minoria Relativa