Despedir é pecado

“Despedir é pecado”. “Despedir é pecado.”

Ouvi na rádio esta frase que ecoa até agora na minha cabeça: “despedir é pecado e uma grande falta de solidariedade”.

Estas palavras do padre missionário António Fernandes caiem em saco roto. Sabemos. Tudo vale neste mundo. Mas podemos substituir «pecado», palavra que não existe no dicionário de muitos patrões, por outras palavras que talvez ainda restem por lá (no dicionário e nas consciências, se é que a têm): despedir é desumano, é maldade, é crueldade, etc.

Penitência para eles!

Comments


  1. Caiem em saco roto = caem em saco roto-mcor

  2. MAGRIÇO says:

    É mais uma prova de como a fé, para alguns, pode ser uma poderosa aliada: basta ter dois pesos e duas medidas. Um pecado para o trabalhador pode ser uma mais valia para o patrão. Lembra-se desse exemplo de probidade que se chama Ângelo Correia?


  3. Meu pai, eu e a minha cunhada trabalhamos na mesma empresa. meu pai criou esta empresa há 15 anos e trabalhou sempre “sozinho”. Em 2008 a minha cunhada não achava trabalho após conclusão da licenciatura e ingressou na empresa; primeiro em estágio prof. depois como funcionária com contrato sem termo. Eu estive em Inglaterra, país e povo que admiro muitíssimo e ao mesmo tempo desprezo por diferentes razões. Em Dezembro de 2009 vim trebalhar com meu pai. Somos formados em engenharia e fazemls projectos e acompanhamento de obras.
    Se contratassemos alguém mas ao fim de algum tempo constatassemos que ter essa pessoa na empresa trazia mais prejuízos do que lucro, perigando a viabilidade de todos os nossos postos de trabalho, quero ver qual seria o diabinho vermelho que me impediria de despedir essa pessoa. e se o diabinho fosse a propria lei, lá teríamos que ir para terra virgem – emigrar – para onde os diabinhos se cingissem a possuir pessoas mas não as leis.
    Sou agraciado com a fé de cristão evangélico e tenho o previlegio – digo previlegio porque todos gostariam mas a maioria não o consegue muitas vezes sequer admitir por causa das suas “riquezas” intelectuais, culturais, sociais, familiares ou financeiras que lhes são mais queridas do que Conhecer Deus – sou portanto priveligiado com o ouvir e ler a Palavra do Criador Supremo diariamente. Portanto de pecado percebo eu muito mais que 99% do clero romano que já reinam há muitos séculos.
    Não sou o único a pensar assim. Somos cada vez mais. Cristo ensina sobre contratos de trabalho. Lê-de e decidi por vós mesmos se valerá mais a pena seguir as doutrinas e conceitos humanistas de sociólogos e filosofos de trazer por casa a soldo de interesses politico-economicos ou as doutrinas que provêm da mão de homens que perderam a vida porque viram o Filho do Homem ressuscitado e os poderes seculares e cléricos não podiam aceitar que tais “homens” vivessem.
    Bem haja e Deus abençoe

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.