Um ladrão não deixa de ser ladrão porque em Portugal a justiça é lenta

Como a memória funciona por associação de ideias, anda muito boa gente a recordar-se  esta semana de dois fenómenos conhecidos: em Portugal a justiça é muito lenta e com figuras públicas endinheiradas prescreve, então no cada vez mais abafado caso BPN ela até parece uma equipa treinado pelo Jesus a partir da Páscoa; sabendo-se também como presidentes do Benfica são inimputáveis até passarem a  ex-presidentes.

Ora vejamos:

Na manhã de 30 de Março deste ano [2010], elementos da Polícia Judiciária e do Departamento Central de Investigação e Acção Penal fizeram buscas a duas casas do presidente do SL Benfica (uma situada em Oeiras, outra em Corroios) assim como à sede do grupo Inland/Promovalor, avança a revista Sábado. [Read more…]

Isto dava um filme americano

De série C, é claro:

Balsemão processa a Ongoing

Em Vila Nova de Gaia, contra os MEGA

“Vi gente de todas as cores.Vi balões pretos e amarelos.
Vi gente de todos os agrupamentos.
Vi uma alegria em estar! Em ser.Uma alegria em dizer que isto não vai lá com o nosso silêncio.
Vi gente que se atreve a apontar o autismo de uma autarquia que não nos abriu as portas e nos deixou do lado de fora.
Vi sorrisos. Vi FORÇA!
Vi vontade de querer mais!
Isto vai…Porque queremos…” (in Professores de gaia)

A besta do FMI

Christine Lagarde, de uma penada, descobriu que a situação da Grécia se deve ao facto de os gregos não pagarem impostos. Tendo em conta o exemplo desta senhora, fica-se com a impressão de que ser economista é, afinal, muito simples, embora a verdade seja a de que estamos diante de um discurso ideológico sem ponta de cientificismo ou de análise criteriosa.

Como se não bastasse a Lagarde deixar escapar afirmações tão simplórias, ainda acrescenta a bestialidade de que os problemas das crianças gregas perdem importância quando comparados com os das crianças do Níger. Não faço ideia se a alimária encanecida que preside ao FMI tem feito alguma coisa pelas crianças africanas, mas considero tristemente risível esta ideia de desprezar o sofrimento de uns por haver outros que estão pior: é uma falta de respeito por todos.

A suplementação alimentar que a União Europeia e as multinacionais vos querem proibir, na prática

Ao abrigo do Tratado de Lisboa, o cidadão europeu tem uma ferramenta para obrigar a Comissão Europeia a rever uma determinada matéria, esse meio é uma petição de 1 milhão de europeus. O lobby da grande indústria farmacêutica precisa de ser parado em nome dos melhores interesses da saúde colectiva.

Veja  a “Pétition 1924/2006/CE

Assine  a petição europeia e recomende-a:

A partir de Setembro prepara-se mais uma purga no mercado europeu de suplementos alimentares, seguindo a aplicação do Codex Alimentarius na Europa.

Outras informações úteis:
Saúde em perigo (Santé en danger).

Alimentos não são medicamentos.

Chatice Tuga

Eu desejo um dia normal

Há muito, muito tempo, que queria escrever, nem que fosse uma linha, sobre a normalidade no nosso quotidiano. É muito bom chegar ao fim do dia e dizer «tive um dia normal, sem sobressaltos. Os nossos filhos estão bem, os nossos pais e irmãos atenderam-nos o telefone.»

Muito bem escreveu Miguel Esteves Cardoso a propósito da chegada da sua amada a casa, depois da já conhecida cirurgia:

 Não há no mundo maior delícia do que a normalidade.

Um dia normal, é um dia sagrado!

Famílias em crise

Em 2011, foram retiradas às famílias quase 3000 menores, ou seja, crianças e adolescentes separados das suas famílias e entregues a instituições.

Famílias em crise, onde, ao contrário do que se possa esperar e onde não é suposto, as crianças não encontram o carinho, a compreensão, o apoio e a paz, mas antes a violência, a negligência e os maus tratos.

É muito preocupante.

Há casais que não podem ter filhos e procuram naquelas instituições «filhos» a adoptar, os filhos de outros que não souberam nem puderam ser pais no verdadeiro sentido da palavra.