Brincar às dívidas

Projecto Farol

O Projecto Farol lançou um simulador,  “A minha proposta de redução da dívida pública“, onde se pode brincar com três variáveis e concluir ao fim de quantos anos é que a dívida pública atinge os 60%.

Segundo este projecto, o Governo prevê teremos uma taxa de crescimento real do PIB de 1,27%, um saldo primário de 3,50% e  uma taxa de juro nominal de 4,30%, o que permitirá que a dívida pública atinja os 60% daqui a 26 anos.

Estes indicadores fazem sentido? Olhemos para o respectivo histórico (gráficos disponibilizados pelo Projecto Farol).

saldoReceitaDespesaEvolução do Défice/Superavit (%) PIB

taxaCrescimentoPibEvolução da taxa de crescimento real do PIB

taxaJuroDividaPublicaEvolução da taxa de juro

Parece que as previsões do governo fazem sentido, sim. Basta que o PIB cresca como não tem crescido, que os juros se estabeleçam onde não têm estado e que o saldo primário seja o que não tem sido. Simples, como se vê. Mas quem raio é que se importa com o que se passará nos próximos 26 anos se não se ganharem as próximas eleições?

Comments

  1. Joaquim Amado Lopes says:

    Será que, em vez de “a dívida pública vai descer para 60% do PIB em 26 anos porque o PIB vai crescer 1,27% por ano, o saldo primário vai ser de 3,50% e a taxa de juro nominal se vai manter nos 4,30%”, o raciocínio não é mais “para que a dívida desça para 60% do PIB em 26 anos, é necessário que o PIB cresça 1,27% ao ano, o saldo primário seja de 3,50% e a taxa de juro nominal seja de 4,30%”?

    É que também se pode perguntar, com o PIB a crescer como tem crescido, os juros a manterem-se como têm estado e o saldo primário a ser o que tem sido, fazendo o default quantos anos serão necessários para que a dívida pública chegue novamente aos 127% do PIB (mesmo assumindo que o default não tem impacto no crescimento do PIB, no saldo primário nem nas taxas de juro)?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.