A burguesia portuguesa num parágrafo

Cristina Espírito Santo

Eles não têm culpa. Foram criados assim. O circuito é apertadinho. A prima não sei quê, a tia não sei quantos: chazinhos, passeatas, garraiadas, às vezes ópera para ostentar vestuário e jóias. De resto, educação nicles. Dizem ‘piqueno’ e tratam grosseiramente as pessoas por você. Deplorável miséria mental. Talvez precisassem de umas expropriaçõezinhas para aprender alguma coisa.

Mário de Carvalho.

Comments


  1. TÊM COMO CULTURA A IMBECILIDADE DE CASTA E COMO COMPORTAMENTO A CRIMINALIDADE NAZI.


  2. abençoadas palavras.
    E sei do que fala.

    A burguesia ibérica herdou os defeitos da nobreza dantanho.
    Não trabalha, não produz, não se importa.
    Pior, não somente despreza trabalho e trabalhadores como tem inveja de quem é pobre. Qualquer coisita que pobre tenha, para eles, é bocado que lhes tiram da boca.
    Vivem em 2014 como a Europa vivia em 1914. 5 anos de secundário, uns rudimentos de inglês, outros de história, dois ou três títulos de literatura que nunca leram mas de que ouviram falar, alguma geografia de grandes potências floreada por viagens de recreio. E toca a casar que já é tempo e ilustração que baste. Ao macho incumbe mais uns anitos de curso de comércio ou de gestão em instituição estrangeira ou nacional para aprender a fazer as contas das boticas da casa.

    E isto, nas mais “ilustradas” porque as outras nem para isso se dão ao trabalho.

  3. João Soares says:

    Na década de 70 estes “estafermococos” deveriam ter sido tratados com doses abundantes de amoxicilina ,para serem exterminados.A dose foi muito pequena e estas bactérias tornaram-se resistentes.Agora só existe uma solução :
    – NAPALM ! com fartura !

  4. niko says:

    porca miseria

  5. Anabela says:

    Temos o que merecemos: Uma burguesia inculta que se mede apenas pelo valor material. Prefiro a Nobrza a esta casta paupérrima !

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.