Faltas

Há dias fui fazer uma TAC no Hospital da Universidade de Coimbra. A hora do meu exame foi alterada por telefone e antecipada mais de uma hora pois estavam a faltar doentes que tinham marcação para essa tarde.

Este facto, aparentemente irrelevante, esconde, na maioria dos casos, um dos dramas para que nos está a atirar este governo sádico: muitas pessoas não têm dinheiro para beneficiar de assistência médica, nem pública nem, muito menos, privada. Muitos doentes faltam a exames, a consultas, a tratamentos, por não terem dinheiro para deslocações nem para as taxas moderadoras. Depois, nem para medicamentos.

Como dizia alguém, em conversa, numa farmácia, “eu para a taxa para entrar na urgência ainda tenho dinheiro; mas não sei se tenho que chegue para, se fizer algum exame, pagar à saída”.

Há dias, numa das suas discursatas, o 1º ministro, descaradamente, ufanava-se de ter salvo o Serviço Nacional de Saúde. Não sei o que mais me revolta: se estas palavras se o facto de saber que há quem acredite e defenda isto

Comments


  1. O nazismo renovado é feito a partir daqui. Quantas pessoas não morrem por falta de assistência médica?!


  2. O estado deste país é vergonhoso.
    Quando deixamos os mais frágeis de nós morrer por não terem dinheiro para as urgências e os exames de saúde, isso diz muito da porcaria de país que somos.
    Da porcaria de desgoverno que temos.
    Da porcaria de gente que elegeu este desgoverno de merda!
    Entretanto, os ricos estão cada vez mais ricos. Por que será?

  3. Rui Silva says:

    Esta conclusão assim sem mais, parece-me mais baseada em “fé”.
    Algo do género: ” como sou contra a atuação do governo tudo o que ” parece ” mau é culpa do governo.”

    cumps

    Rui Silva

    • joao lopes says:

      não há dinheiro.qual a parte da frase que não percebeu?(nota:esta é uma frase emblematica do actual governo).nota nº 2:as pessoas(vulgo a “populaça” como é chamado pelo pulido valente) não tem dinheiro,qual a parte que não percebeu?

  4. Ricardo says:

    O ovo da serpente começa pela total indiferença pelos mais débeis física ou economicamente e acaba na privação da liberdade. Em todos os regimes de feição ditatorial e uma lei comum. E um exagero? Eu avalio a árvore pelos frutos. É o governo mais ideologicamente à direita pos 25 de abril. Que sirva de lição a quem votou nesta gente.


  5. Há meses que não consigo marcar uma consulta no Centro de Saúde, por falta de médico. Direito à saúde? Só pode ser piada…


  6. -“Ele há cada uma!”… Conseguiram, isso sim, destruír o SNS(!)…que anteriormente a estas delirantes políticas restritivas, era um Serviço Universal e tendencialmente Gratuito.
    Aqui nos CHUC – designação que agora também integra os Hospitais da Universidade de Coimbra – impera o caos desde que ocorreu a fusão das Unidades Hospitalares adstritas a Coimbra, pela “necessidade premente de se centralizar”, com o vislumbre de se cortar no “despesismo da Saúde”!… (???)
    Sim!…Infelizmente é verdade, a avaliar entre alguns achados:
    – A marcação de consultas e de exames complementares de diagnóstico, têm uma morosidade incrível;
    – As Listas de espera para Cirurgia, continuam a crescer alarvemente;
    – O atendimento no Serviço de Urgência está caótico – “Ele é vir ver para crer!” – E quem é que vai à Urgência?…Precisamente aqueles que não têm outro subssistema de Saúde, nem tampouco têm possibilidades económicas-financeiras de vir a ter…ainda assim, não se livram, entre taxa moderadora, análises, Rx, ECG e afins, de lá deixar perto de 50 €…
    Ah pois é! Porque esta “coisa” das cobranças coersivas tem muito que se diga…a menos que se faça prova de insuficiência económica, quando uma tal comissão das Finanças começar a cobrar os tachos, pratos, colheres e quiçá(?), penicos, por incumprimento no pagamento das taxas moderadoras.
    Agora, se as pessoas se retraiem no consumo de cuidados de saúde, tais como a realização de exames?…Sim, é possível porque receiam as cobranças coersivas presenciais – isto é, no dia do exame e/ou consulta – que digam respeito a consumos atrasados.
    Todavia, estou em crer que cada vez menos valorizam essa questão, porque a realidade infelizmente, é que as pessoas estão cada vez mais pobres, e bem assim, tampouco querem saber de “provas de insuficiência económica!”…
    Já que tem que ser (se é que tem???)…O FISCO QUE PROCURE!!!

    • Rui Silva says:

      O sistema não funciona melhor por falta de melhor gestão e por puro corporativismo que impera.

      Rui Silva


  7. E que tal explicar aqui a gente quem acha vexa que vai pagar?
    Isto só para ser coerente clsarp.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.